Léo Lins faz piada sobre Bolsonaro em show na cidade que censurou Gustavo Mendes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/09/2019 às 06:42:00

 

O humorista Léo Lins esteve em Teófilo Otoni, interior de Minas Gerais, nesta segunda feira, 16 de setembro, e apresentou o seu show "Bullying Arte" no Cine Teatro Vitória, com lotação máxima, na mesma cidade em que Gustavo Mendes realizou sua apresentação dia 30 de agosto, em que se desentendeu com a platéia após criticar o presidente Jair Bolsonaro. O caso repercutiu nacionalmente e Mendes afirmou ter sido vítima de censura.
No entanto, Léo Lins discorda de Mendes e nega que tenha havido qualquer tipo de censura durante a sua apresentação na cidade. Apesar de toda a polêmica, não faltaram piadas sobre Jair Bolsonaro no show: "Não houve censura em Teofilo Otoni. Eu fiz piada com o prefeito, com a esquerda, com a direita, com o Bolsonaro. Devo confessar que houve um tumulto na entrada, mas pelo menos a 'briga' foi pra entrar no show ao invés de sair. O meu show não é de cunho político, mas eu não podia deixar de aproveitar o fato de estar ali, na mesma cidade em que aconteceu toda aquela polêmica. Se tem alguém que sabe o que é ser censurado sou eu, que já tive show proibido em mais de 20 cidades, e já tive de recorrer a liminar judicial para conseguir me apresentar".

O humorista Léo Lins esteve em Teófilo Otoni, interior de Minas Gerais, nesta segunda feira, 16 de setembro, e apresentou o seu show "Bullying Arte" no Cine Teatro Vitória, com lotação máxima, na mesma cidade em que Gustavo Mendes realizou sua apresentação dia 30 de agosto, em que se desentendeu com a platéia após criticar o presidente Jair Bolsonaro. O caso repercutiu nacionalmente e Mendes afirmou ter sido vítima de censura.
No entanto, Léo Lins discorda de Mendes e nega que tenha havido qualquer tipo de censura durante a sua apresentação na cidade. Apesar de toda a polêmica, não faltaram piadas sobre Jair Bolsonaro no show: "Não houve censura em Teofilo Otoni. Eu fiz piada com o prefeito, com a esquerda, com a direita, com o Bolsonaro. Devo confessar que houve um tumulto na entrada, mas pelo menos a 'briga' foi pra entrar no show ao invés de sair. O meu show não é de cunho político, mas eu não podia deixar de aproveitar o fato de estar ali, na mesma cidade em que aconteceu toda aquela polêmica. Se tem alguém que sabe o que é ser censurado sou eu, que já tive show proibido em mais de 20 cidades, e já tive de recorrer a liminar judicial para conseguir me apresentar".