Prefeitura traz Armandinho para a General Valadão em nova edição do Quinta Instrumental

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 25/09/2019 às 22:06:00

 

O grande nome da guitarra baiana, Armandinho Macêdo, se apresenta nesta quinta-feira, dia 26, na edição de Setembro do Quinta instrumental, projeto promovido pela Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), que visa a ocupar o Centro da cidade com música instrumental. Realizado na praça General Valadão, o evento será iniciado às 19h com a apresentação de Lito Nascimento, outro mestre da guitarra baiana.
 Armandinho é conhecido pelo grande público como referência entre os artistas nacionais e um dos responsáveis pela divulgação da guitarra baiana, ao expandi-la para o trio elétrico, idealizado pelo seu pai, Osmar Macêdo, da dupla Dodô e Osmar. "A guitarra baiana é como uma filha para mim. Na verdade, eu fiz ela renascer como guitarra, dei o nome de guitarra baiana e levei ela para música atual, formei a Cor do Som, tornando-a única e minha guitarra" comentou Armandinho. 
 Instrumentista, compositor, cantor, amante da música instrumental, Armandinho possui experiência para transmitir ao público que comparecer ao Quinta Instrumental, a energia da guitarra baiana e do bandolim, valorizando a importância do projeto. "O fato do projeto ser em praça pública é o grande diferencial, o que o torna tão importante com a valorização da música instrumental num lugar acessível, prestigiando uma música que geralmente não é levada ao grande público. Nós temos uma música instrumental brasileira riquíssima, o que torna o Quinta Instrumental um ótimo disseminador desse gênero", exalta o artista. 
Para a noite do Quinta Instrumental, Armandinho espera o melhor do público sergipano e da musicalidade do evento. "Sempre sou recebido de braços abertos pelo público sergipano, conhecem a minha história, gostam das minhas músicas e da minha guitarra baiana. Então eu tenho um prazer enorme em está voltando para Sergipe, para esse povo que enaltece e prestigia minhas músicas e toda a minha história. Pretendo fazer um show lindo, com todos os meus sucessos, esperando esse retorno maravilhoso do público" ressaltou Armandinho.
Quinta Instrumental - Para Nino Karvan, por ser realizado com investimento de dinheiro público, o evento precisa ser otimizado e, de fato, cumprir com o seu objetivo de fomentar um outro olhar para a música instrumental. "O Quinta Instrumental tem esse poder de mostrar os nossos talentos e de fomentar a cena musical, tanto que, para se ter ideia, no 1º ano, em 2017, a gente sofreu pra encontrar 19 projetos e lançar a programação; no ano seguinte, já foram 32 projetos inscritos no edital e, esse ano, mais de 40", revela Nino Karvan.

O grande nome da guitarra baiana, Armandinho Macêdo, se apresenta nesta quinta-feira, dia 26, na edição de Setembro do Quinta instrumental, projeto promovido pela Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), que visa a ocupar o Centro da cidade com música instrumental. Realizado na praça General Valadão, o evento será iniciado às 19h com a apresentação de Lito Nascimento, outro mestre da guitarra baiana.
 Armandinho é conhecido pelo grande público como referência entre os artistas nacionais e um dos responsáveis pela divulgação da guitarra baiana, ao expandi-la para o trio elétrico, idealizado pelo seu pai, Osmar Macêdo, da dupla Dodô e Osmar. "A guitarra baiana é como uma filha para mim. Na verdade, eu fiz ela renascer como guitarra, dei o nome de guitarra baiana e levei ela para música atual, formei a Cor do Som, tornando-a única e minha guitarra" comentou Armandinho. 
 Instrumentista, compositor, cantor, amante da música instrumental, Armandinho possui experiência para transmitir ao público que comparecer ao Quinta Instrumental, a energia da guitarra baiana e do bandolim, valorizando a importância do projeto. "O fato do projeto ser em praça pública é o grande diferencial, o que o torna tão importante com a valorização da música instrumental num lugar acessível, prestigiando uma música que geralmente não é levada ao grande público. Nós temos uma música instrumental brasileira riquíssima, o que torna o Quinta Instrumental um ótimo disseminador desse gênero", exalta o artista. 
Para a noite do Quinta Instrumental, Armandinho espera o melhor do público sergipano e da musicalidade do evento. "Sempre sou recebido de braços abertos pelo público sergipano, conhecem a minha história, gostam das minhas músicas e da minha guitarra baiana. Então eu tenho um prazer enorme em está voltando para Sergipe, para esse povo que enaltece e prestigia minhas músicas e toda a minha história. Pretendo fazer um show lindo, com todos os meus sucessos, esperando esse retorno maravilhoso do público" ressaltou Armandinho.

Quinta Instrumental - Para Nino Karvan, por ser realizado com investimento de dinheiro público, o evento precisa ser otimizado e, de fato, cumprir com o seu objetivo de fomentar um outro olhar para a música instrumental. "O Quinta Instrumental tem esse poder de mostrar os nossos talentos e de fomentar a cena musical, tanto que, para se ter ideia, no 1º ano, em 2017, a gente sofreu pra encontrar 19 projetos e lançar a programação; no ano seguinte, já foram 32 projetos inscritos no edital e, esse ano, mais de 40", revela Nino Karvan.