Homem é preso com material de pedofilia em Lagarto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/09/2019 às 05:24:00

 

Agentes da Polícia Federal prenderam ontem, em Lagarto (Centro-Sul), um homem de 30 anos de idade, investigado como suspeito de armazenar e divulgar material pornográfico infanto-juvenil pela internet. A diligência foi para cumprir um mandado de busca e apreensão expedido pela 8ª Vara Federal de Sergipe, sediada em Lagarto. Os policiais estiveram na casa do acusado e apreenderam um notebook e um telefone celular, encontrados no quarto dele.
A PF informou que uma análise preliminar realizada no celular apreendido detectou a presença de material pornográfico infanto-juvenil armazenado. O conteúdo envolve abusos sexuais praticados contra crianças e adolescentes. A simples posse e o compartilhamento desse tipo de material são considerados crimes pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, com penas de até seis anos de prisão. O suspeito, que é surdo-mudo, foi preso em flagrante e conduzido para a Superintendência da Polícia Federal, em Aracaju, onde foi autuado e colocado à disposição da justiça.

Agentes da Polícia Federal prenderam ontem, em Lagarto (Centro-Sul), um homem de 30 anos de idade, investigado como suspeito de armazenar e divulgar material pornográfico infanto-juvenil pela internet. A diligência foi para cumprir um mandado de busca e apreensão expedido pela 8ª Vara Federal de Sergipe, sediada em Lagarto. Os policiais estiveram na casa do acusado e apreenderam um notebook e um telefone celular, encontrados no quarto dele.
A PF informou que uma análise preliminar realizada no celular apreendido detectou a presença de material pornográfico infanto-juvenil armazenado. O conteúdo envolve abusos sexuais praticados contra crianças e adolescentes. A simples posse e o compartilhamento desse tipo de material são considerados crimes pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, com penas de até seis anos de prisão. O suspeito, que é surdo-mudo, foi preso em flagrante e conduzido para a Superintendência da Polícia Federal, em Aracaju, onde foi autuado e colocado à disposição da justiça.