Garota de 16 anos morre com suspeita de dengue grave

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/10/2019 às 23:38:00

 

Gabriel Damásio
A Secretaria Estadual da 
Saúde (SES) confir
mou ontem que está investigando mais uma morte com suspeitas de dengue hemorrágica. A vítima foi uma adolescente Ana Laura Santos Oliveira, 16 anos, que morava no bairro 18 do Forte (zona norte de Aracaju), que morreu nesta segunda-feira, depois de ficar três dias internada no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Ela deu entrada na última sexta-feira, com quadro de febre alta, dores e sangramentos. O estado de saúde era grave e chegou a ser levada para a UTI, mas não resistiu. Amostras do sangue da paciente foram recolhidas e enviadas para análises de sorologia no Laboratório Central do Estado (Lacen).
O corpo de Ana foi velado ontem na casa dos pais e enterrado à tarde no Cemitério São João Batista, conjunto Costa e Silva (zona oeste). Segundo familiares, a jovem começou a sentir os primeiros sintomas na terça-feira passada, quando se queixou de febre e dores no corpo. Ela chegou a ser levada para o pronto-socorro do Hospital Municipal Nestor Piva, no 18 do Forte, mas os pais relata que o caso de Ana foi considerado menos grave e ela foi liberada depois de medicada e apresentar melhora. Os sintomas voltaram mais uma vez nos dias seguintes e ela voltou a ser atendida e liberada no Nestor Piva. 
A situação ficou mais grave na sexta-feira, quando Laura passou a apresentar sangramentos e irritação generalizada da pele. Levada para o Huse, ela acabou falecendo, com quadro de choque séptico e síndrome respiratória aguda. De acordo com a família, os médicos chegaram inicialmente a descartar a suspeita de dengue, mas foram considerando tal hipótese na medida em que o quadro ia se agravando. Os parentes também criticaram a forma como a adolescente foi atendida, principalmente no Nestor Piva. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) negou as queixas de mau atendimento e disse que a família foi orientada a encaminhar a jovem ao Huse para fazer o exame de sorologia, que não é feito na unidade municipal. 
Se a causa da morte de Ana Laura for mesmo confirmada como dengue hemorrágica, ela será a 13ª vítima fatal da doença em Sergipe neste ano. Desde janeiro, de acordo com dados da Secretaria Estadual da saúde, são 8.655 casos notificados em praticamente todos os municípios, com 3.644 confirmados. A maioria dos casos notificados foi registrada em Aracaju, mas as situações mais graves, incluindo a maioria das 12 mortes causadas pela doença, tem sido registradas na região do Sertão. 

Gabriel Damásio

A Secretaria Estadual da  Saúde (SES) confir mou ontem que está investigando mais uma morte com suspeitas de dengue hemorrágica. A vítima foi uma adolescente Ana Laura Santos Oliveira, 16 anos, que morava no bairro 18 do Forte (zona norte de Aracaju), que morreu nesta segunda-feira, depois de ficar três dias internada no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Ela deu entrada na última sexta-feira, com quadro de febre alta, dores e sangramentos. O estado de saúde era grave e chegou a ser levada para a UTI, mas não resistiu. Amostras do sangue da paciente foram recolhidas e enviadas para análises de sorologia no Laboratório Central do Estado (Lacen).
O corpo de Ana foi velado ontem na casa dos pais e enterrado à tarde no Cemitério São João Batista, conjunto Costa e Silva (zona oeste). Segundo familiares, a jovem começou a sentir os primeiros sintomas na terça-feira passada, quando se queixou de febre e dores no corpo. Ela chegou a ser levada para o pronto-socorro do Hospital Municipal Nestor Piva, no 18 do Forte, mas os pais relata que o caso de Ana foi considerado menos grave e ela foi liberada depois de medicada e apresentar melhora. Os sintomas voltaram mais uma vez nos dias seguintes e ela voltou a ser atendida e liberada no Nestor Piva. 
A situação ficou mais grave na sexta-feira, quando Laura passou a apresentar sangramentos e irritação generalizada da pele. Levada para o Huse, ela acabou falecendo, com quadro de choque séptico e síndrome respiratória aguda. De acordo com a família, os médicos chegaram inicialmente a descartar a suspeita de dengue, mas foram considerando tal hipótese na medida em que o quadro ia se agravando. Os parentes também criticaram a forma como a adolescente foi atendida, principalmente no Nestor Piva. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) negou as queixas de mau atendimento e disse que a família foi orientada a encaminhar a jovem ao Huse para fazer o exame de sorologia, que não é feito na unidade municipal. 
Se a causa da morte de Ana Laura for mesmo confirmada como dengue hemorrágica, ela será a 13ª vítima fatal da doença em Sergipe neste ano. Desde janeiro, de acordo com dados da Secretaria Estadual da saúde, são 8.655 casos notificados em praticamente todos os municípios, com 3.644 confirmados. A maioria dos casos notificados foi registrada em Aracaju, mas as situações mais graves, incluindo a maioria das 12 mortes causadas pela doença, tem sido registradas na região do Sertão.