Acusado de matar padrasto se apresenta à polícia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/10/2019 às 22:40:00

 

O homem acusado de matar o padrasto a tiros na rua Serafim Bomfim, bairro Santos Dumont (zona norte), na noite da última segunda-feira, se apresentou ontem à tarde ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o caso. Alyson dos Santos Costa, 27 anos, compareceu à sede da unidade, acompanhado por um advogado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o suspeito confessou ter atirado contra Arnaldo Salgueiro, 42, que foi morto dentro de casa. O suspeito foi liberado logo em seguida, por estar fora do período de flagrância, mas vai responder ao inquérito em liberdade.
De acordo com o advogado Josephe Barreto, que defende Alyson, ele abriu fogo contra o acusado para defender a mãe, que vivia um relacionamento abusivo com Arnaldo e era constantemente agredida por ele, chegando a ser violentada sexualmente e verbalmente. O enteado disse ainda que, no dia do fato, decidiu tirar satisfações depois que a esposa relatou ter visto marcas de agressões no corpo da mãe. De acordo com essa versão, Arnaldo teria discutido com Alyson e avançado contra ele, forçando-o a atirar.  
A SSP informou que o caso continuará a ser investigado pelo DHPP e que o suspeito poderá ser indiciado por homicídio. Outras testemunhas serão ouvidas nos próximos dias. 

O homem acusado de matar o padrasto a tiros na rua Serafim Bomfim, bairro Santos Dumont (zona norte), na noite da última segunda-feira, se apresentou ontem à tarde ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o caso. Alyson dos Santos Costa, 27 anos, compareceu à sede da unidade, acompanhado por um advogado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o suspeito confessou ter atirado contra Arnaldo Salgueiro, 42, que foi morto dentro de casa. O suspeito foi liberado logo em seguida, por estar fora do período de flagrância, mas vai responder ao inquérito em liberdade.
De acordo com o advogado Josephe Barreto, que defende Alyson, ele abriu fogo contra o acusado para defender a mãe, que vivia um relacionamento abusivo com Arnaldo e era constantemente agredida por ele, chegando a ser violentada sexualmente e verbalmente. O enteado disse ainda que, no dia do fato, decidiu tirar satisfações depois que a esposa relatou ter visto marcas de agressões no corpo da mãe. De acordo com essa versão, Arnaldo teria discutido com Alyson e avançado contra ele, forçando-o a atirar.  
A SSP informou que o caso continuará a ser investigado pelo DHPP e que o suspeito poderá ser indiciado por homicídio. Outras testemunhas serão ouvidas nos próximos dias.