Confirmada a 13ª morte por dengue no estado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/10/2019 às 22:51:00

 

Milton Alves Júnior
A décima terceira mor-
te por dengue somen-
te este ano foi confirmada no final da manhã de ontem pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Desta vez a vitima foi uma criança de 8 anos, natural do município de Riachuelo, que morreu no início dessa semana após enfrentar três dias de internamento pediátrico em um hospital particular de Aracaju. Segundo boletim médico apresentado pela unidade hospitalar, o quadro clínico apresentado pela criança no momento do acolhimento já era considerado grave. Atualizando os dados a SES informou que este ano foram confirmados 3.442 casos de dengue, 1.161 casos estão sendo investigados e 3.776 foram descartados.
Da 1ª até a 35º semana epidemiológica, foram notificados 9.009 casos suspeitos. Apesar de o índice da doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti já ter ultrapassado 300% a mais se comparado ao ano passado, as secretarias de estado e municípios de saúde seguem reforçando a tese de que Sergipe não enfrenta epidemia da doença. Em Aracaju - município com os maiores índices da doença, os bairros mais atingidos são: Santa Maria, Santos Dumont, São Conrado, Farolândia, Olaria, 17 de Março, e Cidade Nova. Já no estado, com exceção de Aracaju, os municípios com maior incidência da doença são: Nossa Senhora do Socorro, Lagarto e São Cristóvão.
Sobre a negativa a respeito do cenário de epidemia, em comunicado oficial o Governo de Sergipe enalteceu que até o momento não foi constatado um: "aumento repentino do número de casos. O descarte é proporcionado quando a notificação não atende à definição de caso, ou por diagnóstico laboratorial não reagente. Os óbitos por dengue, os casos de dengue grave ou com sinais de alarme, analisados, foram confirmados por critério laboratorial ou clínico epidemiológico." Em todo o ano de 2018 não foi registrado nenhum caso de morte em virtude da dengue em Sergipe.
Negativo - Essa semana o Laboratório Central do Estado (Lacen), vinculado à Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH), apresentou laudo negando a morte de uma adolescente de 16 anos em virtude da dengue. Natural de Aracaju, coletas de sangue foram recolhidas assim que ponto foi constatado em virtude de apresentar suspeitas da doença. A paciente morava no Bairro 18 do Forte, zona Norte da capital sergipana, e morreu no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) na última segunda-feira, 30. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), reforçou que, além de negar possibilidade de morte por dengue, os resultados da virologia e sorologia também deram negativos para zika e chikungunya.

Milton Alves Júnior

A décima terceira mor- te por dengue somen- te este ano foi confirmada no final da manhã de ontem pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Desta vez a vitima foi uma criança de 8 anos, natural do município de Riachuelo, que morreu no início dessa semana após enfrentar três dias de internamento pediátrico em um hospital particular de Aracaju. Segundo boletim médico apresentado pela unidade hospitalar, o quadro clínico apresentado pela criança no momento do acolhimento já era considerado grave. Atualizando os dados a SES informou que este ano foram confirmados 3.442 casos de dengue, 1.161 casos estão sendo investigados e 3.776 foram descartados.
Da 1ª até a 35º semana epidemiológica, foram notificados 9.009 casos suspeitos. Apesar de o índice da doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti já ter ultrapassado 300% a mais se comparado ao ano passado, as secretarias de estado e municípios de saúde seguem reforçando a tese de que Sergipe não enfrenta epidemia da doença. Em Aracaju - município com os maiores índices da doença, os bairros mais atingidos são: Santa Maria, Santos Dumont, São Conrado, Farolândia, Olaria, 17 de Março, e Cidade Nova. Já no estado, com exceção de Aracaju, os municípios com maior incidência da doença são: Nossa Senhora do Socorro, Lagarto e São Cristóvão.
Sobre a negativa a respeito do cenário de epidemia, em comunicado oficial o Governo de Sergipe enalteceu que até o momento não foi constatado um: "aumento repentino do número de casos. O descarte é proporcionado quando a notificação não atende à definição de caso, ou por diagnóstico laboratorial não reagente. Os óbitos por dengue, os casos de dengue grave ou com sinais de alarme, analisados, foram confirmados por critério laboratorial ou clínico epidemiológico." Em todo o ano de 2018 não foi registrado nenhum caso de morte em virtude da dengue em Sergipe.

Negativo - Essa semana o Laboratório Central do Estado (Lacen), vinculado à Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH), apresentou laudo negando a morte de uma adolescente de 16 anos em virtude da dengue. Natural de Aracaju, coletas de sangue foram recolhidas assim que ponto foi constatado em virtude de apresentar suspeitas da doença. A paciente morava no Bairro 18 do Forte, zona Norte da capital sergipana, e morreu no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) na última segunda-feira, 30. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), reforçou que, além de negar possibilidade de morte por dengue, os resultados da virologia e sorologia também deram negativos para zika e chikungunya.