Mourão promete apoio do governo a Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
MOURÃO TAMBÉM VISITOU O MUSEU HISTÓRICO EM SÃO CRISTÓVÃO
MOURÃO TAMBÉM VISITOU O MUSEU HISTÓRICO EM SÃO CRISTÓVÃO

O vice-presidente ao receber a homenagem na Assembleia Legislativa
O vice-presidente ao receber a homenagem na Assembleia Legislativa

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/10/2019 às 22:55:00

 

Gabriel Damásio
Em uma agenda ex-
tensa e marcada por 
um forte esquema de segurança, o vice-presidente Hamilton Martins Mourão fez boas referências a Sergipe e prometeu apoio do governo federal às principais demandas do Estado. Ele chegou a Aracaju por volta das 9h40 de ontem, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e cumpriu três compromissos: uma visita ao Museu Histórico de Sergipe, em São Cristóvão (Grande Aracaju); uma palestra-almoço com empresários no Radisson Hotel, na Atalaia (zona sul); e a entrega de uma comenda da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), no Centro. 
Nos três locais, o entorno foi isolado por seguranças do Exército e soldados da Polícia Militar, que controlaram o acesso aos prédios. Os jornalistas puderam acompanhar os atos no museu e na Alese, mas a circulação deles foi restringida durante a presença do vice-presidente nos respectivos prédios, sendo liberados apenas depois que a comitiva deixou os locais. O general reformado deixou Aracaju por volta das 17h, quando embarcou para Brasília. 
Acompanhado pelo governador Belivaldo Chagas e pelas principais lideranças políticas e empresariais do Estado, Mourão disse que teve uma conversa "muito profícua" com Belivaldo e garantiu que o governo Bolsonaro "não se furtará em auxiliar os nossos Estados", trabalhando junto com os governadores em medidas que superem a crise fiscal e insiram os Estados em uma grande agenda de produtividade. Entre as principais demandas, ele citou a duplicação da BR-101, cujas obras se arrastam há mais de 20 anos. "No que diz respeito à agenda de produtividade, vemos o que podemos fazer pelo estado. Essa questão de infraestrutura é fundamental não apenas para intensificar o turismo, mas também facilitar o escoamento da produção e diminuir o custo que se tem para transportar o que se produz aqui e o que vem de fora", disse.
 
Fundo Nordeste - O general falou ainda sobre o acesso dos Estados a mais recursos federais, a exemplo do Fundo Nordeste, uma proposta de linha de créditos federais para obras nos Estados da região. "Poderia ser por uma legislação simples, ou mesmo uma medida provisória, que já está em discussão ainda no seio do governo federal. E aqui temos parlamentares federais que podem manter a pressão e fazer o seu papel para que 20 a 30% desses recursos possam ser emprestados aos Estados. Com isso, eles terão mais condições de solucionar problemas de infraestrutura e de investimentos, ou outras questões de produtividade sejam atacadas", assegurou.  
O vice-presidente fez uma série de referências históricas ao papel de Sergipe na formação e no desenvolvimento do país, ainda no Brasíl Colônia, garantindo a interligação entre as cidades de Recife e Salvador, após a expulsão dos colonizadores franceses, em 1590. "Sergipe é um estado pequeno, mas grande na capacidade de sua gente e na quantidade de brasileiros e brasileiras ilustres que nasceram aqui e muito fizeram pelo conjunto do país", elogiou o general, ao receber a Medalha do Mérito Parlamentar, na Alese. 

Gabriel Damásio

Em uma agenda ex- tensa e marcada por  um forte esquema de segurança, o vice-presidente Hamilton Martins Mourão fez boas referências a Sergipe e prometeu apoio do governo federal às principais demandas do Estado. Ele chegou a Aracaju por volta das 9h40 de ontem, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e cumpriu três compromissos: uma visita ao Museu Histórico de Sergipe, em São Cristóvão (Grande Aracaju); uma palestra-almoço com empresários no Radisson Hotel, na Atalaia (zona sul); e a entrega de uma comenda da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), no Centro. 
Nos três locais, o entorno foi isolado por seguranças do Exército e soldados da Polícia Militar, que controlaram o acesso aos prédios. Os jornalistas puderam acompanhar os atos no museu e na Alese, mas a circulação deles foi restringida durante a presença do vice-presidente nos respectivos prédios, sendo liberados apenas depois que a comitiva deixou os locais. O general reformado deixou Aracaju por volta das 17h, quando embarcou para Brasília. 
Acompanhado pelo governador Belivaldo Chagas e pelas principais lideranças políticas e empresariais do Estado, Mourão disse que teve uma conversa "muito profícua" com Belivaldo e garantiu que o governo Bolsonaro "não se furtará em auxiliar os nossos Estados", trabalhando junto com os governadores em medidas que superem a crise fiscal e insiram os Estados em uma grande agenda de produtividade. Entre as principais demandas, ele citou a duplicação da BR-101, cujas obras se arrastam há mais de 20 anos. "No que diz respeito à agenda de produtividade, vemos o que podemos fazer pelo estado. Essa questão de infraestrutura é fundamental não apenas para intensificar o turismo, mas também facilitar o escoamento da produção e diminuir o custo que se tem para transportar o que se produz aqui e o que vem de fora", disse. 

Fundo Nordeste - O general falou ainda sobre o acesso dos Estados a mais recursos federais, a exemplo do Fundo Nordeste, uma proposta de linha de créditos federais para obras nos Estados da região. "Poderia ser por uma legislação simples, ou mesmo uma medida provisória, que já está em discussão ainda no seio do governo federal. E aqui temos parlamentares federais que podem manter a pressão e fazer o seu papel para que 20 a 30% desses recursos possam ser emprestados aos Estados. Com isso, eles terão mais condições de solucionar problemas de infraestrutura e de investimentos, ou outras questões de produtividade sejam atacadas", assegurou.  
O vice-presidente fez uma série de referências históricas ao papel de Sergipe na formação e no desenvolvimento do país, ainda no Brasíl Colônia, garantindo a interligação entre as cidades de Recife e Salvador, após a expulsão dos colonizadores franceses, em 1590. "Sergipe é um estado pequeno, mas grande na capacidade de sua gente e na quantidade de brasileiros e brasileiras ilustres que nasceram aqui e muito fizeram pelo conjunto do país", elogiou o general, ao receber a Medalha do Mérito Parlamentar, na Alese.