Multas de radares considerados irregularidades foram anuladas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/10/2019 às 21:57:00

 

Todas as multas aplicadas a partir do dia 23 de setembro deste ano por quatro radares instalados em Aracaju estão automaticamente canceladas. A medida ocorre em virtude de peritos do Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS) ter identificado irregularidades operacionais nos equipamentos instalados na avenida Beira Mar [próximo à Embrapa, sentido Praia e também no do sentido Centro]; na avenida Etelvino Alves [próximo ao condomínio Alamedas Jardins, no sentido avenida Augusto Franco] e na avenida Tancredo Neves [próximo à Maracar, no sentido Rodoviária Nova]. A configuração do problema registrado pelo ITPS conta com o aval do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).
A Prefeitura de Aracaju, por meio da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), enaltece que o condutor multado a partir desta data - diferentemente da conduta comum - não necessita recorrer porque as multas serão anuladas de forma imediata e não serão aplicados os pontos na Carteira Nacional de Habilitação decorrente desses procedimentos. Por outro lado, serão válidas todas as demais multas aplicadas, por excesso de velocidade flagrado por aqueles radares, no período anterior ao dia 27 de setembro. O órgão municipal de trânsito se diz surpreso com a medida já que os radares da avenida Beira Mar, por exemplo, foram aferidos e aprovados pelo Inmetro nos dias 16 e 17 de setembro, conforme consta em laudo, que comprova a regularidade dos equipamentos.
Também por meio de nota pública a empresa Velsis, que monitora os radares instalados na capital sergipana declarou que de igual modo à SMTT não encontrou nenhuma evidência que ateste erro no cálculo de velocidade realizado por aqueles radares. Na avaliação do grupo empresarial: "não há nenhum motivo para preocupação quanto à possibilidade de erros/inconsistências na geração das infrações de trânsito, bem como não se pode confundir erro metrológico (erro no cálculo da velocidade) com ausência no registro de passagem dos veículos, principalmente em situações em que o procedimento de fiscalização de passagens não obedece ao estabelecido nos procedimentos de verificação e inspeção. Todos os equipamentos estão de acordo com as normas e especificações metrológicas vigentes." (Milton Alves Júnior)

Todas as multas aplicadas a partir do dia 23 de setembro deste ano por quatro radares instalados em Aracaju estão automaticamente canceladas. A medida ocorre em virtude de peritos do Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS) ter identificado irregularidades operacionais nos equipamentos instalados na avenida Beira Mar [próximo à Embrapa, sentido Praia e também no do sentido Centro]; na avenida Etelvino Alves [próximo ao condomínio Alamedas Jardins, no sentido avenida Augusto Franco] e na avenida Tancredo Neves [próximo à Maracar, no sentido Rodoviária Nova]. A configuração do problema registrado pelo ITPS conta com o aval do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).
A Prefeitura de Aracaju, por meio da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), enaltece que o condutor multado a partir desta data - diferentemente da conduta comum - não necessita recorrer porque as multas serão anuladas de forma imediata e não serão aplicados os pontos na Carteira Nacional de Habilitação decorrente desses procedimentos. Por outro lado, serão válidas todas as demais multas aplicadas, por excesso de velocidade flagrado por aqueles radares, no período anterior ao dia 27 de setembro. O órgão municipal de trânsito se diz surpreso com a medida já que os radares da avenida Beira Mar, por exemplo, foram aferidos e aprovados pelo Inmetro nos dias 16 e 17 de setembro, conforme consta em laudo, que comprova a regularidade dos equipamentos.
Também por meio de nota pública a empresa Velsis, que monitora os radares instalados na capital sergipana declarou que de igual modo à SMTT não encontrou nenhuma evidência que ateste erro no cálculo de velocidade realizado por aqueles radares. Na avaliação do grupo empresarial: "não há nenhum motivo para preocupação quanto à possibilidade de erros/inconsistências na geração das infrações de trânsito, bem como não se pode confundir erro metrológico (erro no cálculo da velocidade) com ausência no registro de passagem dos veículos, principalmente em situações em que o procedimento de fiscalização de passagens não obedece ao estabelecido nos procedimentos de verificação e inspeção. Todos os equipamentos estão de acordo com as normas e especificações metrológicas vigentes." (Milton Alves Júnior)