DJ Dolores lança 'Recife o 19'

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Música pós-gênero
Música pós-gênero

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/10/2019 às 21:30:00

 

Um dos mais inventi
vos produtores do 
Brasil, o DJ Dolores lança o projeto 'Recife o 19'. O álbum, híbrido, sem nenhuma ligação específica com nenhum estilo musical, apresenta um som pós-gênero, que não se prende a nenhum conceito pré-definido. 
"Assumi várias posições no disco, da composição original à mixagem e seria um trabalho solitário não fosse a companhia e suporte de pessoas queridas que reverteram cada dificuldade em estímulo e esperança. O conjunto de canções que compõem o álbum tem em sua origem a história, a busca do entendimento do passado como guia do futuro. Seja na reflexão sobre a estrutura social brasileira em "A Casta" ou na micro-história narrada em "Adilia's Place", no afro futurismo de "Exú Ciborgue" e nas lembranças de "Nanquim" - conta ele.
Codinome de Helder Aragão, DJ Dolores é um dos nomes seminais do movimento manguebeat do Recife. Como designer, criou alguns dos ícones visuais da cena, além de assinar capas de discos e videoclipes para bandas como Chico Science & Nação Zumbi, Mundo Livre SA e Mestre Ambrósio, entre outros.
Em 1999, faz seus primeiros shows como DJ Dolores, iniciando uma trajetória improvável entre o experimentalismo da música eletrônica e matizes da cultura nordestina. De lá até aqui produziu álbuns e trilhas sonoras, incluindo 'Narradores de Javé', 'O Som ao Redor' (Kleber Mendonça) e 'Tatuagem' (Hilton Lacerda), entre outros.
'Recife o 19' é um lançamento do selo inglês Sterns Music já disponível nos principais aplicativos de música e também em CD e vinil.

Um dos mais inventi vos produtores do  Brasil, o DJ Dolores lança o projeto 'Recife o 19'. O álbum, híbrido, sem nenhuma ligação específica com nenhum estilo musical, apresenta um som pós-gênero, que não se prende a nenhum conceito pré-definido. 
"Assumi várias posições no disco, da composição original à mixagem e seria um trabalho solitário não fosse a companhia e suporte de pessoas queridas que reverteram cada dificuldade em estímulo e esperança. O conjunto de canções que compõem o álbum tem em sua origem a história, a busca do entendimento do passado como guia do futuro. Seja na reflexão sobre a estrutura social brasileira em "A Casta" ou na micro-história narrada em "Adilia's Place", no afro futurismo de "Exú Ciborgue" e nas lembranças de "Nanquim" - conta ele.
Codinome de Helder Aragão, DJ Dolores é um dos nomes seminais do movimento manguebeat do Recife. Como designer, criou alguns dos ícones visuais da cena, além de assinar capas de discos e videoclipes para bandas como Chico Science & Nação Zumbi, Mundo Livre SA e Mestre Ambrósio, entre outros.
Em 1999, faz seus primeiros shows como DJ Dolores, iniciando uma trajetória improvável entre o experimentalismo da música eletrônica e matizes da cultura nordestina. De lá até aqui produziu álbuns e trilhas sonoras, incluindo 'Narradores de Javé', 'O Som ao Redor' (Kleber Mendonça) e 'Tatuagem' (Hilton Lacerda), entre outros.
'Recife o 19' é um lançamento do selo inglês Sterns Music já disponível nos principais aplicativos de música e também em CD e vinil.