Restaurante da UFS volta a funcionar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/10/2019 às 22:27:00

 

Milton Alves Júnior
Depois de seis meses 
com as atividades 
suspensas por problemas estruturais e burocráticos, os serviços no Restaurante Universitário (Resun), da Universidade Federal de Sergipe (UFS/Campus São Cristóvão), foram reiniciados no início da manhã de ontem juntamente com o retorno das atividades educacionais referentes ao segundo semestre deste ano. Em nota pública emitida pela direção geral da instituição - sobretudo direcionada aos acadêmicos - a instituição federal enalteceu que, em virtude da questão ambiental, é necessário que os consumidores utilizem os próprios copos para consumo de suco. A empresa MA Refeições e eventos LTDA se tornou responsável por operacionalizar o serviço depois de vencer o processo licitatório do Pregão nº 29/2019.
Paralelo à necessidade de melhoria na estrutura do prédio, o atraso no reinício deste fornecimento ocorreu em virtude de no dia 13 de agosto a direção da UFS ter recebido de forma oficial um documento encaminhado pela empresa RMP Romero - EPP com uma solicitação de "Rescisão contratual por caso fortuito". Segundo a instituição, após meses de conjugados esforços administrativos, foi necessário adotar em caráter emergencial medidas a fim de solucionar a continuidade do problema. Com o anúncio da MA Refeiços, a expectativa por parte dos alunos ficava por conta do valor a ser cobrado nesse reinício das atividades. Até o fechamento do restaurante, o valor cobrado por cada refeição era de R$ 1.
Entretanto, de acordo com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Proest), os estudantes com vulnerabilidade socioeconômica podiam fazer suas refeições de forma gratuita. Esses benefícios anteriores permanecem. A exigência fica por conta do limite da quantidade de suco, que ficou estipulado em até 300 ml, bem como a não permissão de sair do ambiente com comida. "O consumo além desse limite pode fazer falta para os demais. É importante lembrar que, por questões de segurança alimentar, os alimentos devem ser consumidos exclusivamente nas dependências do Resun. Não será permitida a saída com alimentos da unidade. Seja consciente no consumo. Sirva-se apenas da quantidade suficiente para sua alimentação. Assim, você evita desperdício de recursos públicos e demonstra consciência coletiva", consta no comunicado encaminhado aos usuários.

Milton Alves Júnior

Depois de seis meses  com as atividades  suspensas por problemas estruturais e burocráticos, os serviços no Restaurante Universitário (Resun), da Universidade Federal de Sergipe (UFS/Campus São Cristóvão), foram reiniciados no início da manhã de ontem juntamente com o retorno das atividades educacionais referentes ao segundo semestre deste ano. Em nota pública emitida pela direção geral da instituição - sobretudo direcionada aos acadêmicos - a instituição federal enalteceu que, em virtude da questão ambiental, é necessário que os consumidores utilizem os próprios copos para consumo de suco. A empresa MA Refeições e eventos LTDA se tornou responsável por operacionalizar o serviço depois de vencer o processo licitatório do Pregão nº 29/2019.
Paralelo à necessidade de melhoria na estrutura do prédio, o atraso no reinício deste fornecimento ocorreu em virtude de no dia 13 de agosto a direção da UFS ter recebido de forma oficial um documento encaminhado pela empresa RMP Romero - EPP com uma solicitação de "Rescisão contratual por caso fortuito". Segundo a instituição, após meses de conjugados esforços administrativos, foi necessário adotar em caráter emergencial medidas a fim de solucionar a continuidade do problema. Com o anúncio da MA Refeiços, a expectativa por parte dos alunos ficava por conta do valor a ser cobrado nesse reinício das atividades. Até o fechamento do restaurante, o valor cobrado por cada refeição era de R$ 1.
Entretanto, de acordo com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Proest), os estudantes com vulnerabilidade socioeconômica podiam fazer suas refeições de forma gratuita. Esses benefícios anteriores permanecem. A exigência fica por conta do limite da quantidade de suco, que ficou estipulado em até 300 ml, bem como a não permissão de sair do ambiente com comida. "O consumo além desse limite pode fazer falta para os demais. É importante lembrar que, por questões de segurança alimentar, os alimentos devem ser consumidos exclusivamente nas dependências do Resun. Não será permitida a saída com alimentos da unidade. Seja consciente no consumo. Sirva-se apenas da quantidade suficiente para sua alimentação. Assim, você evita desperdício de recursos públicos e demonstra consciência coletiva", consta no comunicado encaminhado aos usuários.