Deputados querem explicações do Ibama e da Petrobras

Política

 

O deputado Gilmar 
Carvalho (PSC), 
destacou a necessidade de fazer um requerimento convocando representantes da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), para falar aos parlamentares sobre o desastre ecológico, cujas manchas de óleo invadiram as praias do litoral sergipano.
"Com relação às manchas de óleo nas praias, a Adema não deve ser responsabilizada, mas o Ibama ao lado da Petrobras, divide o peso da culpa e da irresponsabilidade, por isso entendo que o diretor do Ibama em Sergipe deverá comparecer a esta Casa para prestar informações", ressalta.
Já o deputado Francisco Gualberto (PT), acredita que o problema não é do governo do estado e solicitou a presença de representantes da Presidência da Petrobras para também falar com os deputados sobre o derramamento de óleo nas praias do Nordeste, principalmente de Sergipe.
"É importante não ouvir apenas o sacrificado, ou seja, os representantes da Adema, mas aqueles que poderiam estar trabalhando de forma efetiva para a solução da questão. Infelizmente estamos vivendo um momento da política que tem por slogan: fogo na floresta e óleo no mar", alfineta.
Gualberto disse ainda que serão formalizados os requerimentos fazendo as convocações de acordo com o Regimento Interno.
"Vamos formalizar que esta Casa convide um representante da Petrobras e um representante da Ibama, porque são órgãos do governo federal. Sobre essa história dos equipamentos para conter vazamentos, nós temos conhecimento que mais tem domínio sobre essa área. É uma estatal de petróleo, que tem uma política de prevenção de acidentes, portanto, não dá para se engolir a explicação de que barreiras de contenção não existem na Petrobras para se proteger a foz do São Francisco e alguns pontos dos manguezais", afirma.

O deputado Gilmar  Carvalho (PSC),  destacou a necessidade de fazer um requerimento convocando representantes da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), para falar aos parlamentares sobre o desastre ecológico, cujas manchas de óleo invadiram as praias do litoral sergipano.
"Com relação às manchas de óleo nas praias, a Adema não deve ser responsabilizada, mas o Ibama ao lado da Petrobras, divide o peso da culpa e da irresponsabilidade, por isso entendo que o diretor do Ibama em Sergipe deverá comparecer a esta Casa para prestar informações", ressalta.
Já o deputado Francisco Gualberto (PT), acredita que o problema não é do governo do estado e solicitou a presença de representantes da Presidência da Petrobras para também falar com os deputados sobre o derramamento de óleo nas praias do Nordeste, principalmente de Sergipe.
"É importante não ouvir apenas o sacrificado, ou seja, os representantes da Adema, mas aqueles que poderiam estar trabalhando de forma efetiva para a solução da questão. Infelizmente estamos vivendo um momento da política que tem por slogan: fogo na floresta e óleo no mar", alfineta.Gualberto disse ainda que serão formalizados os requerimentos fazendo as convocações de acordo com o Regimento Interno.
"Vamos formalizar que esta Casa convide um representante da Petrobras e um representante da Ibama, porque são órgãos do governo federal. Sobre essa história dos equipamentos para conter vazamentos, nós temos conhecimento que mais tem domínio sobre essa área. É uma estatal de petróleo, que tem uma política de prevenção de acidentes, portanto, não dá para se engolir a explicação de que barreiras de contenção não existem na Petrobras para se proteger a foz do São Francisco e alguns pontos dos manguezais", afirma.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS