Secretaria da Saúde divulga novos dados sobre dengue e sarampo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Mércia Feitosa, diretora da Vigilância em Saúde da SES
Mércia Feitosa, diretora da Vigilância em Saúde da SES

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/10/2019 às 00:02:00

 

A Diretoria de Vigilân-
cia em Saúde da Se-
cretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou nesta quinta- feira, o novo informe epidemiológico da dengue no Estado onde consta 4.170 casos confirmados de dengue, 1.330 casos continuam em investigação e 4.155 foram descartados. Foram registrados e confirmados 12 óbitos por dengue grave. A confirmação ou descarte dos óbitos depende de minuciosa investigação domiciliar e hospitalar do óbito, das informações dos aspectos clínicos e epidemiológicos do paciente através de resultado laboratorial.
De acordo com a diretora da Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa, a SES vem desenvolvendo diversas ações para enfrentamento das doenças transmitidas pelo Aedes."A Brigada Itinerante Estadual de Combate à Dengue está atuando intensivamente com agenda nos municípios seguindo critério de índice de infestação. Estamos com uma nova fase de nossa campanha publicitária, e realizando continuadamante atividades de mobilização social em todos os municípios, bem como dialogando com os gestores municipais para que as ações de controle do Aedes sejam intensificadas e/ou implementadas. Continuamos fortalecendo a vigilância laboratorial", elenca Mércia.
Sarampo - Sobre o sarampo em Sergipe, até o momento, são 49 casos notificados, três confirmados, 40 descartados e seis estão em investigação. Até o momento, não houve registro de óbito por sarampo no Estado de Sergipe.  O Sarampo é uma doença viral altamente contagiosa caracterizada por febre, exantema - erupção avermelhada na pele - e sintomas respiratórios, com a possibilidade de complicações graves que podem deixar sequelas ou serem fatais. A transmissão do sarampo é direta, ou seja, de pessoa para pessoa, por meio de secreções expelidas através da tosse, espirro, respiração, e o único meio de prevenção é a vacina.
A SES, por meio do Programa Estadual de Imunização, reforça a importância dos pais e responsáveis a levarem as suas crianças com idade entre seis meses a menores de cinco anos para serem imunizadas contra o sarampo. "A vacina é a única forma de prevenção da doença. Não existe outra maneira de evitar o sarampo", reforçou a gerente do programa, Sândala Teles.

A Diretoria de Vigilân- cia em Saúde da Se- cretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou nesta quinta- feira, o novo informe epidemiológico da dengue no Estado onde consta 4.170 casos confirmados de dengue, 1.330 casos continuam em investigação e 4.155 foram descartados. Foram registrados e confirmados 12 óbitos por dengue grave. A confirmação ou descarte dos óbitos depende de minuciosa investigação domiciliar e hospitalar do óbito, das informações dos aspectos clínicos e epidemiológicos do paciente através de resultado laboratorial.
De acordo com a diretora da Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa, a SES vem desenvolvendo diversas ações para enfrentamento das doenças transmitidas pelo Aedes."A Brigada Itinerante Estadual de Combate à Dengue está atuando intensivamente com agenda nos municípios seguindo critério de índice de infestação. Estamos com uma nova fase de nossa campanha publicitária, e realizando continuadamante atividades de mobilização social em todos os municípios, bem como dialogando com os gestores municipais para que as ações de controle do Aedes sejam intensificadas e/ou implementadas. Continuamos fortalecendo a vigilância laboratorial", elenca Mércia.

Sarampo - Sobre o sarampo em Sergipe, até o momento, são 49 casos notificados, três confirmados, 40 descartados e seis estão em investigação. Até o momento, não houve registro de óbito por sarampo no Estado de Sergipe.  O Sarampo é uma doença viral altamente contagiosa caracterizada por febre, exantema - erupção avermelhada na pele - e sintomas respiratórios, com a possibilidade de complicações graves que podem deixar sequelas ou serem fatais. A transmissão do sarampo é direta, ou seja, de pessoa para pessoa, por meio de secreções expelidas através da tosse, espirro, respiração, e o único meio de prevenção é a vacina.
A SES, por meio do Programa Estadual de Imunização, reforça a importância dos pais e responsáveis a levarem as suas crianças com idade entre seis meses a menores de cinco anos para serem imunizadas contra o sarampo. "A vacina é a única forma de prevenção da doença. Não existe outra maneira de evitar o sarampo", reforçou a gerente do programa, Sândala Teles.