PSL está implodindo

Rita Oliveira

 

Na segunda quinzena de agosto passa
do Sergipe acompanhou uma grande 
polêmica envolvendo o PSL de Sergipe. Tudo começou quando o deputado estadual Rodrigo Valadares, que preside o PTB, assumiu o comando do partido do presidente Jair Bolsonaro no estado, após conversa em Aracaju com o vice-presidente nacional da sigla, deputado federal Julian Lemos.
O aval da Executiva Nacional do PSL para Rodrigo Valadares comandar o partido em Sergipe teve uma reação agressiva do recém-empossado presidente da Executiva Municipal, João Tarantela. Tarantella, que já tinha se lançado pré-candidato a prefeito da capital em 2020, não só disse que não aceitaria ser comandado pelo deputado  - por ter "forte ligação com o PT"  - como o agrediu com palavras.
Chegou a declarar a imprensa: "Se Rodrigo Valadares assumir o PSL, daqui pra o final do ano eu tiro ele na tora. Não vou permitir que um vagabundo, que há seis meses atrás era Lula livre e agora é Bolsonaro desde criança, venha hoje liderar o projeto de Bolsonaro em Sergipe. Eu não aceito. Ele agora se meteu com um doido",  disse.
Afirmou ainda que o deputado era "um picareta" e um "irresponsável" ao querer comandar o PSL só porque hoje é o partido com maior fundo partidário e tempo de televisão. "É um vagabundo da pior raça de ladrão".  Ainda saiu com essa: "Rodrigo Valadares é oportunista e golpista". Ressaltou que iria a Brasília e só retornaria de lá com o comando do PSL.
O vereador Cabo Amintas (PTB) foi na defesa do presidente estadual do seu partido dizendo que Tarantella era carta fora do baralho, que precisava de tratamento psicológico e seu choro era de derrotado.
Passado dois meses, Rodrigo Valadares continua no comando do PSL em Sergipe, através do seu irmão Flávio Valadares, e pode ser candidato pelo partido a prefeito de Aracaju ano que vem se tiver segurança jurídica para deixar o PTB. E Cabo Amintas, com a abertura da janela partidária em março do ano que vem, assumirá o Diretório Municipal do PSL.
Depois de uns 15 dias de muito bate-boca em agosto passado no PSL de Sergipe, agora o país acompanha uma guerra declarada entre aliados do presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE), e um grupo alinhado ao presidente Bolsonaro. O racha ficou evidente depois de Bolsonaro ter aconselhado um seguidor a "esquecer o partido" e ter dito que Bivar estava "queimado". 
Disse esta semana o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), revoltado com a articulação de Bolsonaro para tomar dele a liderança da bancada na Câmara e dar para o seu filho Eduardo Bolsonaro: "Vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele. Eu tenho a gravação. Não tem conversa, não tem conversa. Eu implodo o presidente. Acabou o cara", disse o líder do PSL. "Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo. Eu andei no sol em 245 cidades gritando o nome desse vagabundo", acrescentou.
Waldir voltou ao comando do PSL, com assinaturas da maioria dos deputados. Depois o presidente do partido tomou a decisão de retirar Eduardo e seu irmão, o senador Flávio Bolsonaro, do comando da legenda em São Paulo e no Rio de Janeiro, respectivamente. 
Ainda na queda de braço pelo comando do PSL, a cúpula do partido ligada a Bivar suspendeu as atividades partidárias de cinco deputados. Em retaliação a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) foi tirada da liderança do governo no Congresso.
A crise no PSL extrapolou as barreiras do partido e atingiu a articulação política do governo Bolsonaro no Congresso Nacional. O presidente sofreu derrotas em série nos últimos dias e já disse, inclusive, que pode deixar a sigla.
Trocando em miúdos, esse cenário político dentro do PSL não poderia ser diferente quando o líder maior é despreparado, desequilibrado emocional e só quer governar com os filhos.

Na segunda quinzena de agosto passa do Sergipe acompanhou uma grande  polêmica envolvendo o PSL de Sergipe. Tudo começou quando o deputado estadual Rodrigo Valadares, que preside o PTB, assumiu o comando do partido do presidente Jair Bolsonaro no estado, após conversa em Aracaju com o vice-presidente nacional da sigla, deputado federal Julian Lemos.
O aval da Executiva Nacional do PSL para Rodrigo Valadares comandar o partido em Sergipe teve uma reação agressiva do recém-empossado presidente da Executiva Municipal, João Tarantela. Tarantella, que já tinha se lançado pré-candidato a prefeito da capital em 2020, não só disse que não aceitaria ser comandado pelo deputado  - por ter "forte ligação com o PT"  - como o agrediu com palavras.
Chegou a declarar a imprensa: "Se Rodrigo Valadares assumir o PSL, daqui pra o final do ano eu tiro ele na tora. Não vou permitir que um vagabundo, que há seis meses atrás era Lula livre e agora é Bolsonaro desde criança, venha hoje liderar o projeto de Bolsonaro em Sergipe. Eu não aceito. Ele agora se meteu com um doido",  disse.
Afirmou ainda que o deputado era "um picareta" e um "irresponsável" ao querer comandar o PSL só porque hoje é o partido com maior fundo partidário e tempo de televisão. "É um vagabundo da pior raça de ladrão".  Ainda saiu com essa: "Rodrigo Valadares é oportunista e golpista". Ressaltou que iria a Brasília e só retornaria de lá com o comando do PSL.
O vereador Cabo Amintas (PTB) foi na defesa do presidente estadual do seu partido dizendo que Tarantella era carta fora do baralho, que precisava de tratamento psicológico e seu choro era de derrotado.
Passado dois meses, Rodrigo Valadares continua no comando do PSL em Sergipe, através do seu irmão Flávio Valadares, e pode ser candidato pelo partido a prefeito de Aracaju ano que vem se tiver segurança jurídica para deixar o PTB. E Cabo Amintas, com a abertura da janela partidária em março do ano que vem, assumirá o Diretório Municipal do PSL.
Depois de uns 15 dias de muito bate-boca em agosto passado no PSL de Sergipe, agora o país acompanha uma guerra declarada entre aliados do presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE), e um grupo alinhado ao presidente Bolsonaro. O racha ficou evidente depois de Bolsonaro ter aconselhado um seguidor a "esquecer o partido" e ter dito que Bivar estava "queimado". 
Disse esta semana o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), revoltado com a articulação de Bolsonaro para tomar dele a liderança da bancada na Câmara e dar para o seu filho Eduardo Bolsonaro: "Vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele. Eu tenho a gravação. Não tem conversa, não tem conversa. Eu implodo o presidente. Acabou o cara", disse o líder do PSL. "Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo. Eu andei no sol em 245 cidades gritando o nome desse vagabundo", acrescentou.
Waldir voltou ao comando do PSL, com assinaturas da maioria dos deputados. Depois o presidente do partido tomou a decisão de retirar Eduardo e seu irmão, o senador Flávio Bolsonaro, do comando da legenda em São Paulo e no Rio de Janeiro, respectivamente. 
Ainda na queda de braço pelo comando do PSL, a cúpula do partido ligada a Bivar suspendeu as atividades partidárias de cinco deputados. Em retaliação a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) foi tirada da liderança do governo no Congresso.
A crise no PSL extrapolou as barreiras do partido e atingiu a articulação política do governo Bolsonaro no Congresso Nacional. O presidente sofreu derrotas em série nos últimos dias e já disse, inclusive, que pode deixar a sigla.
Trocando em miúdos, esse cenário político dentro do PSL não poderia ser diferente quando o líder maior é despreparado, desequilibrado emocional e só quer governar com os filhos.

Cessão onerosa 1

A Câmara dos Deputados fez uma simulação da parcela que cada município brasileiro receberá no rateio decorrente do leilão de áreas do pré-sal marcado para 6 de novembro.  O total, calculado sobre o critério do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), equivale a mais de R$ 10,8 bilhões ficando para Sergipe dividir com os 75 municípios a importância de R$ 161.408.871,09.

Cessão onerosa 2

Os municípios de Sergipe que mais receberão recursos da cessão onerosa de petróleo são: Aracaju (R$ 33.255.528,32), Nossa Senhora do Socorro (R$ 9.618.711,02), Itabaiana (R$ 4.501.315,13), São Cristovão (R$ 4.201.227,45), Estância (R$ 3.601.052,20) e Tobias Barreto (R$ 3.300.964,43).

Cessão onerosa 3

Receberão R$ 2.700.789,08 os municípios de Simão Dias e Itabaianinha. Ficarão com R$ 2.400.701,40 os municípios de Itaporanga D´Ajuda, Capela, Nossa Senhora da Glória e Poço Redondo. Serão contemplados com R$ 2.100.613,73:  Barra dos Coqueiros, Boquim, Canindé do São Francisco, Umbaúba, Propriá, Laranjeiras e Porto da Folha. Os demais receberão abaixo de R$ 1.800.000,00.   

Cessão onerosa 4

Já o Estado de Sergipe, que deveria receber R$ 419,9 milhões, ficará apenas com R$ 298 milhões. Esses recursos o governador Belivaldo Chagas já disse que utilizficando faltando mais de R$ 100 milhões para recuperação das rodovias estaduais orçado em mais de R$ 400 milhões. A perda é de R$ 121,8 milhões.

Pedra no caminho 1

Em conversa com a coluna, uma liderança do PDT afirmou que, no momento, não está havendo qualquer conversa do partido com o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) sobre filiação partidária.  Revela que havendo um encontro com essa finalidade tem de ficar bem definido a questão de Nossa Senhora do Socorro.

Pedra no caminho 2

Garante que o deputado federal Fábio Henrique será mesmo candidato a prefeito de Socorro em 2020. "Isso gerará um conflito político se Edvaldo desejar mesmo vir para o PDT, em razão dele já ter declarado apoio à reeleição do prefeito Padre Inaldo, que é seu companheiro de partido. É realmente um problema sério", disse.

É candidato 1

Em Socorro, o presidente Municipal do PSC, Gleidson Oliveira, já declarou que o grupo exige a candidatura de Fábio Henrique a prefeito do município. E segundo uma fonte, Fábio tem dito que "só não será candidato a prefeito se Deus não quiser".  

É candidato 2

O deputado Fábio Henrique, inclusive, destinou R$ 10 milhões em emendas do Orçamento da União 2020 para obras de pavimentação de ruas em Nossa Senhora do Socorro, através da Codevasf.

 Emenda

De Fábio Henrique ao ter destinado para o Governo do Estado R$ 10 milhões dos R$ 22,5 milhões em emendas impositivas que cada parlamentar tem direito a indicar: "Não sou da base do governo, mas quero ajudar ao governador Belivaldo nesse momento de dificuldade. Belivaldo é sério. Temos de ajudar".  Dos R$ 10 milhões, o deputado colocou R$ 5 milhões para saúde e R$ 5 milhões para segurança pública:

Alessandro 

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) esclarece que dos R$ 22,5 milhões de emendas impositivas que tem o direito de indicar junto ao Orçamento Geral da União 2020, destinou R$ 11.548.711,00 para o estado, sendo R$ 9.548.711,00 para segurança pública e R$ 2.000.000,00 para saúde. Revela que das emendas individuais colocou R$ 500.000,00 para Assistência Social e R$ 636.000,00 para Segurança Pública, somando R$ 1.136.000,00. Enfatiza o senador, que no total geral, destinou para o estado a importância de R$ 12.684.711,00.

Congresso petista 1

Com o tema "Lula Livre" acontece hoje o 7° Congresso Estadual do PT, com início às 8h, na sede do Sindicato dos Bancários. O encontro vai eleger a nova direção estadual do partido e reunir suas principais lideranças políticas.

Congresso petista 2

Segundo o presidente municipal do PT, Jefferson Lima, o congresso encerra um ciclo de organização interna e instaura um debate mais forte para as eleições de 2020. "Juntos, vamos traçar o modelo de cidade que precisamos em Aracaju e em cada município do nosso estado", frisa o petista, enfatizando que o Congresso Nacional ocorrerá em novembro, quando a legenda definirá a próxima direção nacional.

Bem prestigiada

O prefeito Marcos Santana (MDB) foi eleito ontem presidente da Associação dos Municípios da Barra do Cotinguiba e Vale do Japaratuba. A eleição ocorreu na sede da entidade, em Aracaju, e contou com a presença do governador Belivaldo Chagas e dos prefeitos Edvaldo Nogueira (Aracaju), Valmir de Jesus (General Maynard), Jeferson Santana (Maruim) e do vice- prefeito de Indiaroba, Marcos Henrique. Ainda presentes o senador Rogério Carvalho e os deputados estaduais Luciano Bispo, presidente da Alese, e Francisco Gualberto.

Veja essa ...

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), afirmou ontem que o presidente Jair Bolsonaro (PSL)  tentou comprar deputados  para assinarem lista favorável à colocação de seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) como novo líder da bancada. 

Curtas

O vereador Júnior Farias é pré-candidato a prefeito de Monte Alegre pelo PRB, hoje Republicanos,  dos ex-deputados federais Heleno Silva e Jony Marcos.

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, estará em Aracaju na próxima sexta, 25, para realizar Encontro Empresarial de apresentação das aplicações da instituição financeira e oportunidades de negócios para 2020.

O evento vai reunir empresários e autoridades a partir das 8h30, no Hotel Sesc Atalaia, localizado na Orla da Atalaia em Aracaju.

A comissão parlamentar mista de inquérito que investiga notícias falsas nas redes sociais e assédio virtual inicia na próxima terça-feira (22) as audiências públicas que vão embasar os trabalhos. A reunião acontece a partir das 13h, no Plenário 2 da Ala Senador Nilo Coelho.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS