Mais de 78 mil sergipanos farão provas do Enem

Cidades

 

A menos de 15 dias para o primeiro dia de provas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem/2019), milhares de estudantes sergipanos seguem impulsionando o fluxo de estudos na esperança de obter pontuação expressiva e conquistar o acesso a uma universidade pública do país. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), 78.487 sergipanos estão inscritos e devidamente aptos para participar do exame deste ano. Apresentado como o maior concurso universitário da América do Sul, ao todo, 6.384.957 milhões de brasileiros, com idades variadas, estão inscritos no processo. Somente no cenário local estão disponíveis cinco mil vagas destinadas à Universidade Federal de Sergipe (UFS).
Conforme publicado em abril deste ano através do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), as provas do Enem serão aplicadas nos dias 03 e 10 de novembro de 2019, dois domingos consecutivos. No primeiro dia, serão realizadas as provas de Linguagens, Redação e Ciências Humanas, com início às 13h30 (horário de Brasília) duração de 5h30. Já no segundo dia, as avaliações serão de Ciências da Natureza e Matemática, com início no mesmo horário e duração de 5h. O resultado será divulgado posteriormente e os candidatos podem utilizar a nota para se inscrever em programas como o Sistema de Seleção Unificada (SiSU), o Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).
Assim como ocorre ao longo dos últimos anos, essas notas também são válidas para candidatos que porventura desejem entrar em universidades de Portugal. De acordo com o professor de língua portuguesa Luís Filipi Gomes, passados três anos de preparação múltipla de todas as disciplinas escolares, nessa reta final o foco de muitos candidatos está direcionado para a tradicional prova de redação. Além de exigir dos estudantes conhecimento significativo do tema a ser abordado, bem como as técnicas de criação e desenvolvimento do texto, a Redação historicamente possui peso elevado na hora definir a lista final dos aprovados. Somente nos últimos quatro meses o professor acredita que tenha debatido mais de 30 possíveis temas.
"São apostas que as vezes dão certo, mas na maioria das vezes a gente acaba se surpreendendo com o tema escolhido. Confesso que não sou crítico aos assuntos abordados em anos anteriores, acho até que foram muito bem selecionados. Disponibilizar temas evidentes é muito 'doce' para quem está numa luta acirrada para acessar o ensino superior", declarou o professor. Questionado pelo JORNAL DO DIA sobre quais temas ele acredita improvável que seja tema este ano, ele disse: "manchas de óleo nas praias, queimadas na Amazônia, temas ligados à luta LGBT... são temas excepcionalmente especiais, ricos em conteúdos, mas que raramente caem. Nas aulas não deixamos de conversar sobre isso, mas focamos em outros pontos."
Aulões - Assim como ocorre ao longo dos últimos 15 anos, instituições particulares de ensino estão realizando revisões gerais a fim de abordar todos os assuntos referentes a cada ano do ensino médio, e contribuir para que conteúdos possivelmente 'adormecidos' na memória dos estudantes acabem sendo lembrados nessa fase final de preparação. O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), também segue intensificando as atividades. O Instituto Federal de Sergipe (IFS) - Campus São Cristóvão, desde o início de agosto desse ano também tem realizado revisões gerais para o Enem. (Milton Alves Júnior)

A menos de 15 dias para o primeiro dia de provas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem/2019), milhares de estudantes sergipanos seguem impulsionando o fluxo de estudos na esperança de obter pontuação expressiva e conquistar o acesso a uma universidade pública do país. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), 78.487 sergipanos estão inscritos e devidamente aptos para participar do exame deste ano. Apresentado como o maior concurso universitário da América do Sul, ao todo, 6.384.957 milhões de brasileiros, com idades variadas, estão inscritos no processo. Somente no cenário local estão disponíveis cinco mil vagas destinadas à Universidade Federal de Sergipe (UFS).
Conforme publicado em abril deste ano através do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), as provas do Enem serão aplicadas nos dias 03 e 10 de novembro de 2019, dois domingos consecutivos. No primeiro dia, serão realizadas as provas de Linguagens, Redação e Ciências Humanas, com início às 13h30 (horário de Brasília) duração de 5h30. Já no segundo dia, as avaliações serão de Ciências da Natureza e Matemática, com início no mesmo horário e duração de 5h. O resultado será divulgado posteriormente e os candidatos podem utilizar a nota para se inscrever em programas como o Sistema de Seleção Unificada (SiSU), o Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).
Assim como ocorre ao longo dos últimos anos, essas notas também são válidas para candidatos que porventura desejem entrar em universidades de Portugal. De acordo com o professor de língua portuguesa Luís Filipi Gomes, passados três anos de preparação múltipla de todas as disciplinas escolares, nessa reta final o foco de muitos candidatos está direcionado para a tradicional prova de redação. Além de exigir dos estudantes conhecimento significativo do tema a ser abordado, bem como as técnicas de criação e desenvolvimento do texto, a Redação historicamente possui peso elevado na hora definir a lista final dos aprovados. Somente nos últimos quatro meses o professor acredita que tenha debatido mais de 30 possíveis temas.
"São apostas que as vezes dão certo, mas na maioria das vezes a gente acaba se surpreendendo com o tema escolhido. Confesso que não sou crítico aos assuntos abordados em anos anteriores, acho até que foram muito bem selecionados. Disponibilizar temas evidentes é muito 'doce' para quem está numa luta acirrada para acessar o ensino superior", declarou o professor. Questionado pelo JORNAL DO DIA sobre quais temas ele acredita improvável que seja tema este ano, ele disse: "manchas de óleo nas praias, queimadas na Amazônia, temas ligados à luta LGBT... são temas excepcionalmente especiais, ricos em conteúdos, mas que raramente caem. Nas aulas não deixamos de conversar sobre isso, mas focamos em outros pontos."

Aulões -
Assim como ocorre ao longo dos últimos 15 anos, instituições particulares de ensino estão realizando revisões gerais a fim de abordar todos os assuntos referentes a cada ano do ensino médio, e contribuir para que conteúdos possivelmente 'adormecidos' na memória dos estudantes acabem sendo lembrados nessa fase final de preparação. O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), também segue intensificando as atividades. O Instituto Federal de Sergipe (IFS) - Campus São Cristóvão, desde o início de agosto desse ano também tem realizado revisões gerais para o Enem. (Milton Alves Júnior)

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS