Gás natural terá redução a partir de 1º de novembro

Política

 

A Sergipe Gás S/A (Sergás) informa a redução das tarifas do gás natural praticadas pela empresa nos diversos segmentos de mercado, a partir do dia 1° de novembro.  A redução obedece à política de preços da Petrobras, que prevê reajustes trimestrais a partir das variações do dólar e do preço internacional do petróleo.
No segmento do gás natural veicular, a redução será de 2,29%, a tarifa passará de R$1,8653 para R$1,8226, proporcionando uma redução de quatro centavos no preço da molécula praticado pela Sergas. Já no seguimento residencial, a redução será de 1,29%, saindo dos atuais R$3,3203 para R$3,2776 proporcionando uma economia de quatro centavos.
Para o seguimento industrial, a redução será de 2,26%, e o segmento comercial terá percentual redutor de 1,75%. A cogeração também terá uma redução de 2,55%, assim como o GNC - gás natural comprimido, que terá uma redução na sua tarifa de 2,61%, saindo dos atuais R$1,6350 para R$1,5923.
O diretor presidente da Sergás, Valmor Barbosa, explica que os preços praticados no mercado do gás natural são definidos pela Petrobras e estão submetidos às variações de preço no mercado internacional a cada trimestre. "A variação de preços no mercado internacional e a cotação do dólar em reais, no trimestre anterior, definem os percentuais de reajuste do preço do gás entregue pela Petrobras à Sergas", frisa.
Ele lembra, ainda, que esta redução no preço da molécula do gás, aliada a redução da carga tributária do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no gás natural, para as indústrias instaladas em Sergipe, enquadradas no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), realizada pelo Governo do Estado, "poderá ajudar a aumentar a competitividade dessa matriz energética em relação aos demais combustíveis".

A Sergipe Gás S/A (Sergás) informa a redução das tarifas do gás natural praticadas pela empresa nos diversos segmentos de mercado, a partir do dia 1° de novembro.  A redução obedece à política de preços da Petrobras, que prevê reajustes trimestrais a partir das variações do dólar e do preço internacional do petróleo.
No segmento do gás natural veicular, a redução será de 2,29%, a tarifa passará de R$1,8653 para R$1,8226, proporcionando uma redução de quatro centavos no preço da molécula praticado pela Sergas. Já no seguimento residencial, a redução será de 1,29%, saindo dos atuais R$3,3203 para R$3,2776 proporcionando uma economia de quatro centavos.
Para o seguimento industrial, a redução será de 2,26%, e o segmento comercial terá percentual redutor de 1,75%. A cogeração também terá uma redução de 2,55%, assim como o GNC - gás natural comprimido, que terá uma redução na sua tarifa de 2,61%, saindo dos atuais R$1,6350 para R$1,5923.
O diretor presidente da Sergás, Valmor Barbosa, explica que os preços praticados no mercado do gás natural são definidos pela Petrobras e estão submetidos às variações de preço no mercado internacional a cada trimestre. "A variação de preços no mercado internacional e a cotação do dólar em reais, no trimestre anterior, definem os percentuais de reajuste do preço do gás entregue pela Petrobras à Sergas", frisa.
Ele lembra, ainda, que esta redução no preço da molécula do gás, aliada a redução da carga tributária do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no gás natural, para as indústrias instaladas em Sergipe, enquadradas no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), realizada pelo Governo do Estado, "poderá ajudar a aumentar a competitividade dessa matriz energética em relação aos demais combustíveis".

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS