Terceira Jornada Técnica de Arbitragem vai começar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/10/2019 às 14:02:00

 

A Escola de Arbitragem Sérgio Corrêa (EASC), em parceria com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação Sergipana de Futebol (FSF), está promovendo a Terceira Jornada Técnica para os alunos da turma de 2019, que leva o nome do presidente da FSF, Milton Dantas. O evento teve início na noite da sexta-feira e encerrou na manhã deste sábado (26). A escola hoje conta com 14 alunos, sendo 11 homens e três mulheres.
Sob a orientação da instrutora da CBF e ex-árbitra Cleidy Mary Nunes, os futuros árbitros recebem orientações técnicas, aulas práticas e teóricas. A novidade dessa Terceira Jornada Técnica é a introdução tecnológica. Em parceria com a Polícia Militar de Sergipe, estão sendo utilizados drones, para registrar o treinamento prático, realizado na manhã desta sexta-feira (25), na Arena Batistão.
Além das aulas práticas na arena, o curso teve as aulas teóricas no auditório do Comfort Hotel, na zona sul de Aracaju. O curso de formação de novos árbitros teve início no mês de janeiro e será finalizado no mês de dezembro. Durante esse período, os alunos são preparados através de aulas teóricas e práticas além da participação em estágios em campeonatos amadores.
- Essa jornada tem um objetivo importantíssimo para formação dos árbitros e das árbitras. O reflexo será sentido dentro de campo. Estou muito feliz em estar aqui, passando essas orientações para os futuros árbitros. Estamos ministrando orientações a partir da regra 14 até a regra 17. Teremos também situações de "mão", controle da área penal e mais a regra 11 e o VAR. Com certeza, o curso será muito produtivo, porque a turma é boa e tem demonstrado interesse em assimilar tudo que está sendo ministrado - assim declarou Cleyde Mary, instrutora da jornada.  
Para o diretor da Escola de Arbitragem Sérgio Correa, Ivaney Alves Lima, a jornada foi desenvolvida dentro dos padrões determinados pela CBF, discorrendo sobre a regra, com trabalho de campo, trabalho de equipe e tomada de decisão.  
- Quero agradecer ao Coronel Marcony pela cessão dos drones, que efetuaram as filmagens áreas dos trabalhos de campo se. Esse material com tomadas aéreas será repassado em sala de aula para que cada aluno faça uma auto avaliação da sua atuação. Isso é uma retroalimentação, através de filmagem. A jornada é importante porque o aluno adquire novos conhecimentos, conceitos para serem colocados em prática, quando estiverem em atuação - garantiu Ivaney Alves.

A Escola de Arbitragem Sérgio Corrêa (EASC), em parceria com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação Sergipana de Futebol (FSF), está promovendo a Terceira Jornada Técnica para os alunos da turma de 2019, que leva o nome do presidente da FSF, Milton Dantas. O evento teve início na noite da sexta-feira e encerrou na manhã deste sábado (26). A escola hoje conta com 14 alunos, sendo 11 homens e três mulheres.
Sob a orientação da instrutora da CBF e ex-árbitra Cleidy Mary Nunes, os futuros árbitros recebem orientações técnicas, aulas práticas e teóricas. A novidade dessa Terceira Jornada Técnica é a introdução tecnológica. Em parceria com a Polícia Militar de Sergipe, estão sendo utilizados drones, para registrar o treinamento prático, realizado na manhã desta sexta-feira (25), na Arena Batistão.
Além das aulas práticas na arena, o curso teve as aulas teóricas no auditório do Comfort Hotel, na zona sul de Aracaju. O curso de formação de novos árbitros teve início no mês de janeiro e será finalizado no mês de dezembro. Durante esse período, os alunos são preparados através de aulas teóricas e práticas além da participação em estágios em campeonatos amadores.
- Essa jornada tem um objetivo importantíssimo para formação dos árbitros e das árbitras. O reflexo será sentido dentro de campo. Estou muito feliz em estar aqui, passando essas orientações para os futuros árbitros. Estamos ministrando orientações a partir da regra 14 até a regra 17. Teremos também situações de "mão", controle da área penal e mais a regra 11 e o VAR. Com certeza, o curso será muito produtivo, porque a turma é boa e tem demonstrado interesse em assimilar tudo que está sendo ministrado - assim declarou Cleyde Mary, instrutora da jornada.  
Para o diretor da Escola de Arbitragem Sérgio Correa, Ivaney Alves Lima, a jornada foi desenvolvida dentro dos padrões determinados pela CBF, discorrendo sobre a regra, com trabalho de campo, trabalho de equipe e tomada de decisão.  
- Quero agradecer ao Coronel Marcony pela cessão dos drones, que efetuaram as filmagens áreas dos trabalhos de campo se. Esse material com tomadas aéreas será repassado em sala de aula para que cada aluno faça uma auto avaliação da sua atuação. Isso é uma retroalimentação, através de filmagem. A jornada é importante porque o aluno adquire novos conhecimentos, conceitos para serem colocados em prática, quando estiverem em atuação - garantiu Ivaney Alves.