Ginastas sergipanas são ouro e prata no Peru

Esporte

 

Representando a Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica, as atletas sergipanas participaram do Campeonato Sul-Americano e fizeram bonito no Peru. As sergipanas foram treinadas pela professora Thalyta Almeida e conquistaram medalhas de ouro e de prata, durante o Campeonato Sul-Americano de GR, que aconteceu na Vila Deportiva de Videna, em Lima, no Peru.
As atletas participaram da competição representando a Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica, formando duas duplas. O campeonato começou na última quinta-feira (24) mas, as ginastas do CTETA só competiram a partir do segundo dia. Na sexta, Ana Júlia (12) e Ann Luísa (11), conquistaram o 3° lugar por aparelho (arco) e o 2° lugar geral, na categoria AC 3, garantindo a prata. No sábado, foi a vez da dupla Úrsula López (14) e Isabela Roberta (14), conquistarem o ouro para o Brasil, no aparelho bola, na categoria AC 4. As atletas ainda permanecem em solo peruano com previsão de chegada a Aracaju nesta terça-feira (29) à noite.
Por telefone, a Técnica Thalyta Almeida, que acompanha as atletas, comentou o resultado: "Eu só tenho a agradecer. A agradecer a Deus, ao esforço de cada atleta, aos pais delas pela confiança, aos apoiadores que ajudaram para essa viagem acontecer, aos colégios parceiros, à CBG [Confederação Brasileira de Ginástica], à minha equipe do CTETA e ao público, que sempre fica na torcida. Gratidão é a palavra que define tudo isso", concluiu emocionada.
A competição reuniu atletas em quatro categorias diferentes, desde os nove aos quinze anos de idade e é encarada como sendo um dos principais eventos no calendário deste ano para a Ginástica Rítmica do Brasil.
Para a coordenadora do comitê técnico de Ginástica Rítmica da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), Renata Teixeira, o papel do Sul-Americano como forma de auxiliar no desenvolvimento de jovens atletas que representarão o Brasil é muito importante.
"O Sul-Americano de Lima é uma das competições mais importantes do ano para a delegação brasileira, principalmente por ser a oportunidade que as categorias de base têm de competir fora do país e de adquirir experiência", comentou.

Representando a Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica, as atletas sergipanas participaram do Campeonato Sul-Americano e fizeram bonito no Peru. As sergipanas foram treinadas pela professora Thalyta Almeida e conquistaram medalhas de ouro e de prata, durante o Campeonato Sul-Americano de GR, que aconteceu na Vila Deportiva de Videna, em Lima, no Peru.
As atletas participaram da competição representando a Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica, formando duas duplas. O campeonato começou na última quinta-feira (24) mas, as ginastas do CTETA só competiram a partir do segundo dia. Na sexta, Ana Júlia (12) e Ann Luísa (11), conquistaram o 3° lugar por aparelho (arco) e o 2° lugar geral, na categoria AC 3, garantindo a prata. No sábado, foi a vez da dupla Úrsula López (14) e Isabela Roberta (14), conquistarem o ouro para o Brasil, no aparelho bola, na categoria AC 4. As atletas ainda permanecem em solo peruano com previsão de chegada a Aracaju nesta terça-feira (29) à noite.
Por telefone, a Técnica Thalyta Almeida, que acompanha as atletas, comentou o resultado: "Eu só tenho a agradecer. A agradecer a Deus, ao esforço de cada atleta, aos pais delas pela confiança, aos apoiadores que ajudaram para essa viagem acontecer, aos colégios parceiros, à CBG [Confederação Brasileira de Ginástica], à minha equipe do CTETA e ao público, que sempre fica na torcida. Gratidão é a palavra que define tudo isso", concluiu emocionada.
A competição reuniu atletas em quatro categorias diferentes, desde os nove aos quinze anos de idade e é encarada como sendo um dos principais eventos no calendário deste ano para a Ginástica Rítmica do Brasil.
Para a coordenadora do comitê técnico de Ginástica Rítmica da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), Renata Teixeira, o papel do Sul-Americano como forma de auxiliar no desenvolvimento de jovens atletas que representarão o Brasil é muito importante.
"O Sul-Americano de Lima é uma das competições mais importantes do ano para a delegação brasileira, principalmente por ser a oportunidade que as categorias de base têm de competir fora do país e de adquirir experiência", comentou.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS