Focco/SE vai apurar se órgãos de Sergipe possuem mecanismos de prevenção à corrupção

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Aspecto da reunião realizada na sede do Tribunal de Contas
Aspecto da reunião realizada na sede do Tribunal de Contas

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 30/10/2019 às 21:45:00

 

O Fórum Permanente de Combate à Corrupção no Estado de Sergipe (Focco/SE) realizou mais uma reunião na terça-feira (29), no Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE), com o intuito de dar prosseguimento à implantação da Estratégia de Combate à Fraude e à Corrupção - trabalho nacional organizado pelas Redes de Controle da Gestão Pública.
"Esta Estratégia consiste no mapeamento dos mecanismos que as entidades possuem para a prevenção às ações de fraude e corrupção. Vamos mapear os mecanismos de integridade e prevenção à corrupção de todos os órgãos e entidades do estado nos níveis municipal, estadual e federal para ter um diagnóstico e mostrar para a sociedade como nossas organizações estão e a partir daí implementar ações que as tornem menos suscetíveis a estas ações de fraude", explica o coordenador do Focco/SE e secretário do TCU em Sergipe, Jackson Souza.
Neste primeiro momento, o Focco/SE está coletando informações sobre os responsáveis pelo controle interno e contabilidade dos municípios e entidades para receberem os questionários de avaliação dos instrumentos de integridade e governança.
"É um questionário muito simples; são 49 questões que podem ser respondidas em menos de duas horas, mas que ficarão disponíveis por cerca de três meses para que as entidades possam, a partir das respostas do formulário, perceber se possuem ou não estes mecanismos de integridade que irão compor o mapeamento", esclarece o coordenador.
Outros pontos - Na reunião, decidiu-se ainda elaborar um calendário de ações de educação para universitários, dividido entre eventos pontuais menores, por disciplina e turmas de diversas áreas de formação, além de um evento maior, envolvendo alunos de várias instituições de ensino.
Discutiu-se também a organização de um evento, promovido pelo Focco/SE, alusivo ao Dia de Combate à Corrupção, celebrado em 9 de dezembro.
Além do coordenador do Focco/SE, estiveram presentes na reunião o procurador-geral do Ministério Público de Contas de Sergipe, João Augusto dos Anjos Bandeira de Mello, a promotora de Justiça, Ana Paula Machado, a diretora técnica do TCE/SE, Patrícia Verônica, e a representante da Secretaria de Estado da Transparência e Controle, Sheila Feitosa.
Criado em 2015, o Fórum é formado por representantes dos Ministérios Públicos Federal, Estadual e Especial de Contas, Tribunais de Contas da União e do Estado, além da Controladoria-Geral da União e da Secretaria de Estado da Transparência e Controle, além da participação da Polícia Civil do Estado de Sergipe. As instituições atuam de forma integrada na busca de práticas uniformes para o diagnóstico, prevenção e repressão à corrupção.

O Fórum Permanente de Combate à Corrupção no Estado de Sergipe (Focco/SE) realizou mais uma reunião na terça-feira (29), no Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE), com o intuito de dar prosseguimento à implantação da Estratégia de Combate à Fraude e à Corrupção - trabalho nacional organizado pelas Redes de Controle da Gestão Pública.
"Esta Estratégia consiste no mapeamento dos mecanismos que as entidades possuem para a prevenção às ações de fraude e corrupção. Vamos mapear os mecanismos de integridade e prevenção à corrupção de todos os órgãos e entidades do estado nos níveis municipal, estadual e federal para ter um diagnóstico e mostrar para a sociedade como nossas organizações estão e a partir daí implementar ações que as tornem menos suscetíveis a estas ações de fraude", explica o coordenador do Focco/SE e secretário do TCU em Sergipe, Jackson Souza.
Neste primeiro momento, o Focco/SE está coletando informações sobre os responsáveis pelo controle interno e contabilidade dos municípios e entidades para receberem os questionários de avaliação dos instrumentos de integridade e governança.
"É um questionário muito simples; são 49 questões que podem ser respondidas em menos de duas horas, mas que ficarão disponíveis por cerca de três meses para que as entidades possam, a partir das respostas do formulário, perceber se possuem ou não estes mecanismos de integridade que irão compor o mapeamento", esclarece o coordenador.

Outros pontos - Na reunião, decidiu-se ainda elaborar um calendário de ações de educação para universitários, dividido entre eventos pontuais menores, por disciplina e turmas de diversas áreas de formação, além de um evento maior, envolvendo alunos de várias instituições de ensino.
Discutiu-se também a organização de um evento, promovido pelo Focco/SE, alusivo ao Dia de Combate à Corrupção, celebrado em 9 de dezembro.
Além do coordenador do Focco/SE, estiveram presentes na reunião o procurador-geral do Ministério Público de Contas de Sergipe, João Augusto dos Anjos Bandeira de Mello, a promotora de Justiça, Ana Paula Machado, a diretora técnica do TCE/SE, Patrícia Verônica, e a representante da Secretaria de Estado da Transparência e Controle, Sheila Feitosa.
Criado em 2015, o Fórum é formado por representantes dos Ministérios Públicos Federal, Estadual e Especial de Contas, Tribunais de Contas da União e do Estado, além da Controladoria-Geral da União e da Secretaria de Estado da Transparência e Controle, além da participação da Polícia Civil do Estado de Sergipe. As instituições atuam de forma integrada na busca de práticas uniformes para o diagnóstico, prevenção e repressão à corrupção.