Governadores cobram medidas efetivas para combater desastre ambiental no litoral nordestino

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O GOVERNADOR BELIVALDO CHAGAS E A VICE ELIANE AQUINO PARTICIPARAM DA REUNIÃO; ALÉM DAS QUESTÕES CLIMÁTICAS, FOI DISCUTIDA MISSÃO À EUROPA
O GOVERNADOR BELIVALDO CHAGAS E A VICE ELIANE AQUINO PARTICIPARAM DA REUNIÃO; ALÉM DAS QUESTÕES CLIMÁTICAS, FOI DISCUTIDA MISSÃO À EUROPA

Governadores do Nordeste durante Conferência Brasileira de Mudança do Clima
Governadores do Nordeste durante Conferência Brasileira de Mudança do Clima

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 07/11/2019 às 00:15:00

 

O governador Belival
do Chagas e a vice-
governadora Eliane Aquino participaram, nesta quarta-feira (06), em Recife (PE), juntamente com os demais governadores do NE, de Reunião do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste.  Na pauta central, o crime ambiental que atinge o litoral de todo o nordeste brasileiro, além disso, foi discutida a Missão à Europa; além das oportunidades no mercado do Gás.
Participaram da reunião os governadores Camilo Santana (Ceará); Renan Filho (Alagoas); Wellington Dias (Piauí); Rui Costa (Bahia); João Azevedo(Paraíba) e Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Paulo Câmara (PE); Flávio Dino(Maranhão). 
 Por meio de nota, os governadores do Nordeste classificaram o desastre como maior crime ambiental já praticado na costa brasileira, ao tempo em que cobrou medidas efetivas por parte do governo federal. "Crime ambiental sem precedentes que não vem, no entendimento dos Dirigentes Estaduais de Meio Ambiente do Nordeste, organizações da sociedade civil, centros de pesquisa e pelo Ministério Publico Federal, sendo combatido e mitigado como deveria pelo Governo Federal e seus órgãos competentes. Trata-se da maior tragédia ambiental dos mares em toda a nossa história. É urgente que haja mobilização de recursos financeiros, políticos e científicos para a imediata retirada do óleo de nossas praias e para barrar a chegada de novas manchas ao nosso litoral"
De acordo com os governadores, os Estados já retiraram do mar ou das praias mais de 5 mil toneladas do óleo. Foram atingidos 9 estados, mais de 100 municípios, e quase 300 localidades e pelo menos 14 unidades de conservação numa faixa que se estende por 2.500 Km.
"É preciso colocar em operação o PNC - Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por óleo, que até o momento não fora totalmente efetivado. Isso só se dará de forma concreta se o Governo Federal se dispuser a uma gestão integrada da crise com total transparência nos dados e ações, inclusive com apoio da marinha brasileira, universidades e demais pesquisadores para a definição de metodologias para identificação da origem do óleo e efetivo monitoramento dos impactos a longo prazo"     
Por fim, definiu-se a criação de grupo de trabalho, composto por representantes dos noves estados, para acompanhar, trocar de informações e ações conjuntas e busca de investimentos para mitigação dos efeitos das manhas de óleo.
Missão à Europa - Um dos objetivos da reunião foi também a de planejar e organizar os detalhes da missão que os governadores do Nordeste farão à Europa, no período de 17 a 22 de novembro, com o objetivo de atrair investimentos para a região. Os governadores do Nordeste percorrerão 03 países (França, Itália e Alemanha), no intuito de apresentar aos governos e empresários  europeus, as oportunidades de negócios da região nordeste. Dentre essas, as oportunidades de negócios relacionados à cadeia do gás.
Na missão, o Governo de Sergipe abordará a providencialidade da criação de políticas para o gás natural liquefeito (GNL), tendo em vista a projeção de ampliação da participação do gás natural na matriz energética mundial; o gás ser o combustível de transição da economia de carbono, por suas vantagens econômicas, geopolíticas e ambientais; pelo crescimento, em escala global, da oferta e demanda de gás; e também pelo aumento da demanda pelo GNL como combustível automotivo para veículos pesados.
"Vamos apresentar as potencialidades do Nordeste, no caso de Sergipe, mostraremos o nosso grande potencial energético, sobretudo ligado à cadeia do gás. Sergipe se tornará a estrela do gás no Brasil. Seremos um dos maiores produtores, com certeza, nós teremos nessa cadeia produtiva, vários empreendimentos que virão a Sergipe, e temos que aproveitar esse momento para atrair novos investimentos, com isso, gerar emprego e renda e mais desenvolvimento para a região", pontuou o governador Belivaldo Chagas. 
Conferência Climática - Pela manhã, também em Recife (PE), os governadores do Nordeste participaram da Conferência Brasileira de Mudança do Clima, no intuito de debater e formular novas propostas para otimizar as ações de enfrentamento da crise climática.  Na ocasião, reafirmaram o compromisso com Acordo de Paris, no tocante ao desenvolvimento sustentável e preservação ambiental, além disso, trataram sobre as manchas de óleo no litoral do nordeste.
"A questão da sustentabilidade também é uma pauta do Consórcio Nordeste. Defendemos o desenvolvimento do Brasil e do Nordeste, mas que ele seja acompanhado do respeito ao meio ambiente, preservando o futuro das novas gerações. É uma responsabilidade de todos", defendeu o governador Belivaldo Chagas.

O governador Belival do Chagas e a vice- governadora Eliane Aquino participaram, nesta quarta-feira (06), em Recife (PE), juntamente com os demais governadores do NE, de Reunião do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste.  Na pauta central, o crime ambiental que atinge o litoral de todo o nordeste brasileiro, além disso, foi discutida a Missão à Europa; além das oportunidades no mercado do Gás.
Participaram da reunião os governadores Camilo Santana (Ceará); Renan Filho (Alagoas); Wellington Dias (Piauí); Rui Costa (Bahia); João Azevedo(Paraíba) e Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Paulo Câmara (PE); Flávio Dino(Maranhão). 
 Por meio de nota, os governadores do Nordeste classificaram o desastre como maior crime ambiental já praticado na costa brasileira, ao tempo em que cobrou medidas efetivas por parte do governo federal. "Crime ambiental sem precedentes que não vem, no entendimento dos Dirigentes Estaduais de Meio Ambiente do Nordeste, organizações da sociedade civil, centros de pesquisa e pelo Ministério Publico Federal, sendo combatido e mitigado como deveria pelo Governo Federal e seus órgãos competentes. Trata-se da maior tragédia ambiental dos mares em toda a nossa história. É urgente que haja mobilização de recursos financeiros, políticos e científicos para a imediata retirada do óleo de nossas praias e para barrar a chegada de novas manchas ao nosso litoral"
De acordo com os governadores, os Estados já retiraram do mar ou das praias mais de 5 mil toneladas do óleo. Foram atingidos 9 estados, mais de 100 municípios, e quase 300 localidades e pelo menos 14 unidades de conservação numa faixa que se estende por 2.500 Km.
"É preciso colocar em operação o PNC - Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por óleo, que até o momento não fora totalmente efetivado. Isso só se dará de forma concreta se o Governo Federal se dispuser a uma gestão integrada da crise com total transparência nos dados e ações, inclusive com apoio da marinha brasileira, universidades e demais pesquisadores para a definição de metodologias para identificação da origem do óleo e efetivo monitoramento dos impactos a longo prazo"     
Por fim, definiu-se a criação de grupo de trabalho, composto por representantes dos noves estados, para acompanhar, trocar de informações e ações conjuntas e busca de investimentos para mitigação dos efeitos das manhas de óleo.

Missão à Europa - Um dos objetivos da reunião foi também a de planejar e organizar os detalhes da missão que os governadores do Nordeste farão à Europa, no período de 17 a 22 de novembro, com o objetivo de atrair investimentos para a região. Os governadores do Nordeste percorrerão 03 países (França, Itália e Alemanha), no intuito de apresentar aos governos e empresários  europeus, as oportunidades de negócios da região nordeste. Dentre essas, as oportunidades de negócios relacionados à cadeia do gás.
Na missão, o Governo de Sergipe abordará a providencialidade da criação de políticas para o gás natural liquefeito (GNL), tendo em vista a projeção de ampliação da participação do gás natural na matriz energética mundial; o gás ser o combustível de transição da economia de carbono, por suas vantagens econômicas, geopolíticas e ambientais; pelo crescimento, em escala global, da oferta e demanda de gás; e também pelo aumento da demanda pelo GNL como combustível automotivo para veículos pesados.
"Vamos apresentar as potencialidades do Nordeste, no caso de Sergipe, mostraremos o nosso grande potencial energético, sobretudo ligado à cadeia do gás. Sergipe se tornará a estrela do gás no Brasil. Seremos um dos maiores produtores, com certeza, nós teremos nessa cadeia produtiva, vários empreendimentos que virão a Sergipe, e temos que aproveitar esse momento para atrair novos investimentos, com isso, gerar emprego e renda e mais desenvolvimento para a região", pontuou o governador Belivaldo Chagas. 

Conferência Climática - Pela manhã, também em Recife (PE), os governadores do Nordeste participaram da Conferência Brasileira de Mudança do Clima, no intuito de debater e formular novas propostas para otimizar as ações de enfrentamento da crise climática.  Na ocasião, reafirmaram o compromisso com Acordo de Paris, no tocante ao desenvolvimento sustentável e preservação ambiental, além disso, trataram sobre as manchas de óleo no litoral do nordeste.
"A questão da sustentabilidade também é uma pauta do Consórcio Nordeste. Defendemos o desenvolvimento do Brasil e do Nordeste, mas que ele seja acompanhado do respeito ao meio ambiente, preservando o futuro das novas gerações. É uma responsabilidade de todos", defendeu o governador Belivaldo Chagas.