Lula é solto após STF decidir sobre prisão em segunda instância

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Logo após deixar a carceragem da PF, Lula foi saudado pela multidão e discursou; defesa pede agora o julgamento do habeas corpus que pede a suspeição de Sergio Moro e a anulação da sentença
Logo após deixar a carceragem da PF, Lula foi saudado pela multidão e discursou; defesa pede agora o julgamento do habeas corpus que pede a suspeição de Sergio Moro e a anulação da sentença

Acompanhado de aliados, o ex-presidente Lula no momento em que deixava a sede da Polícia Federal em Curitiba
Acompanhado de aliados, o ex-presidente Lula no momento em que deixava a sede da Polícia Federal em Curitiba

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/11/2019 às 21:52:00

 

Das agências
O ex-presidente Luiz 
Inácio Lula da Silva 
deixou ontem à tarde a carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba após a decisão da Justiça Federal que autorizou sua soltura. Lula estava preso desde 7 de abril do ano passado pela condenação no caso do triplex do Guarujá (SP), um dos processos da Operação Lava Jato. 
Lula deixou a sede da PF pela porta da frente, acompanhado por parlamentares do PT e seus advogados. Ele caminhou em direção aos apoiadores que o esperavam em um palco, onde fez um pronunciamento aos militantes. 
Em um discurso de aproximadamente 20 minutos, Lula agradeceu aos militantes do PT que fizeram um acampamento na frente da PF em Curitiba durante os 580 dias de duração da prisão. 
A liberdade do ex-presidente foi proferida pelo juiz Danilo Pereira Júnior, após a defesa de Lula pedir a libertação do ex-presidente com base na decisão proferida ontem (7) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a validade da execução provisória de condenações criminais, conhecida como prisão após a segunda instância.
Discurso - "Todo santo dia, vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir à safadeza e à canalhice que um lado podre do estado brasileiro, da Justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal, da Receita Federal que trabalharam para criminar o PT, criminar o Lula", discursou Lula. "Eles não prenderam um homem, tentaram matar uma ideia. E uma ideia não se mata, uma ideia não desaparace", afirmou. 
Lula criticou o governo de Jair Bolsonaro e precarização dos trabalhadores brasileiros. "O povo está trabalhando de Uber, o povo está trabalhando de bicicleta entregando pizza, o povo está trabalhando sem nenhum respeito", afirmou. 
O ex-presidente também criticou a farsa jurídica que foi montada pela operação Lava Jato para condená-lo e prendê-lo. "Se pegar o Moro e o Dallagnol e bater em um liquidificador não dá 10% da honestidade que eu tenho", acrescentou. 
Lula deverá seguir para São Bernardo do Campo e deverá fazer um pronunciamento à Nação por volta de 10h de este sábado, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, de onde ele saiu no dia 7 de abril de 2018 para se entregar à Polícia Federal para o cumprimento da condenação de Sérgio Moro contra ele. 
Assim como ocorreu com sua prisão, em abril de 2018, uma multidão aguardava por horas a saída do petista em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba, com cantos e gritos. Logo que deixou a cela, Lula se dirigiu aos militantes que moraram no local por todo o período da prisão para agradecer pelo apoio. Em seguida, ele seguiu para São Bernardo do Campo, onde deverá fazer um discurso na manhã deste sábado.
Lula deixou a prisão um dia depois da decisão do Supremo Tribunal Federal, por 6 a 5, contra a antecipação da pena para réus condenados em segunda instância.

O ex-presidente Luiz  Inácio Lula da Silva  deixou ontem à tarde a carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba após a decisão da Justiça Federal que autorizou sua soltura. Lula estava preso desde 7 de abril do ano passado pela condenação no caso do triplex do Guarujá (SP), um dos processos da Operação Lava Jato. 
Lula deixou a sede da PF pela porta da frente, acompanhado por parlamentares do PT e seus advogados. Ele caminhou em direção aos apoiadores que o esperavam em um palco, onde fez um pronunciamento aos militantes. 
Em um discurso de aproximadamente 20 minutos, Lula agradeceu aos militantes do PT que fizeram um acampamento na frente da PF em Curitiba durante os 580 dias de duração da prisão. 
A liberdade do ex-presidente foi proferida pelo juiz Danilo Pereira Júnior, após a defesa de Lula pedir a libertação do ex-presidente com base na decisão proferida ontem (7) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a validade da execução provisória de condenações criminais, conhecida como prisão após a segunda instância.

Discurso - "Todo santo dia, vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir à safadeza e à canalhice que um lado podre do estado brasileiro, da Justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal, da Receita Federal que trabalharam para criminar o PT, criminar o Lula", discursou Lula. "Eles não prenderam um homem, tentaram matar uma ideia. E uma ideia não se mata, uma ideia não desaparace", afirmou. 
Lula criticou o governo de Jair Bolsonaro e precarização dos trabalhadores brasileiros. "O povo está trabalhando de Uber, o povo está trabalhando de bicicleta entregando pizza, o povo está trabalhando sem nenhum respeito", afirmou. 
O ex-presidente também criticou a farsa jurídica que foi montada pela operação Lava Jato para condená-lo e prendê-lo. "Se pegar o Moro e o Dallagnol e bater em um liquidificador não dá 10% da honestidade que eu tenho", acrescentou. 
Lula deverá seguir para São Bernardo do Campo e deverá fazer um pronunciamento à Nação por volta de 10h de este sábado, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, de onde ele saiu no dia 7 de abril de 2018 para se entregar à Polícia Federal para o cumprimento da condenação de Sérgio Moro contra ele. 
Assim como ocorreu com sua prisão, em abril de 2018, uma multidão aguardava por horas a saída do petista em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba, com cantos e gritos. Logo que deixou a cela, Lula se dirigiu aos militantes que moraram no local por todo o período da prisão para agradecer pelo apoio. Em seguida, ele seguiu para São Bernardo do Campo, onde deverá fazer um discurso na manhã deste sábado.
Lula deixou a prisão um dia depois da decisão do Supremo Tribunal Federal, por 6 a 5, contra a antecipação da pena para réus condenados em segunda instância.