Juiz de São Cristóvão proíbe venda de carne nas feiras

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/06/2012 às 12:27:00

O juiz da Comarca de São Cristóvão, Manuel da Costa Neto, determinou ontem que o Município impeça, imediatamente, a entrada em mercados e feiras livres de toda carne que não tenha passado por inspeção sanitária. Além disso, a Prefeitura deverá coibir o abate de animais, interditando qualquer local não autorizado pelos órgãos competentes, entre outras medidas. Em caso de descumprimento, a multa será de R$ 100 mil diretamente ao prefeito e ao coordenador da Vigilância em Saúde.
Outra determinação do juiz é que seja realizada campanha, através dos agentes municipais, informando à população, em especial nas feiras livres, sobre o risco de consumir carne sem origem sanitária comprovada. O magistrado também autorizou a utilização de força policial e oficiou o delegado da cidade para que possa investigar e localizar os abatedouros clandestinos, especialmente os localizados no Alto do Cristo e no Povoado Coqueiro.

Doenças - Em sua decisão, Manoel Costa Neto lembrou que "a carne de gado vacum pode ser originária do abate clandestino de animais com brucelose, aftosa, carbúnculo, raiva, envenenamento ofídico, etc., o que coloca em risco a saúde da população de São Cristóvão e de Aracaju".
Na decisão, o juiz relatou que ele mesmo mandou interditar o matadouro da cidade, em outubro de 2009, porque o local não apresentava as mínimas condições de higiene e os dejetos estavam sendo lançados in natura em rio local, afetando o meio ambiente.