São Cristóvão e Poço Redondo recebem brigada contra a dengue

Cidades

 

Milton Alves Júnior
Os municípios de São Cristóvão e Poço Redondo recebem essa semana a intervenção operacional da Brigada Itinerante de Combate à Dengue. Promovida pelo Governo de Sergipe por meio do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a atividade segue buscando dialogar com a população local e conscientizar a população a se somar aos órgãos municipais, estaduais e federais de saúde no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e Chikungunya. O trabalho ostensivo segue, em especial, devido ao aumento representativo da dengue em 2019. Dados do Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa) indicam que o aumento dos casos em comparação ao ano anterior subiu mais de 300%.
Ao todo foram mais de dez mil casos registrados, sendo que até o final do mês passado exatos 5.319 foram confirmados e outros 1.300 seguiam em processo de análise. O fator mais preocupante refere-se ao número de mortes; 13 pessoas perderam a vida em decorrência da dengue. Laudos médicos realizados também por um laboratório credenciado junto à SES confirmou as fatalidades provocadas pelo mosquito. Os números assustadores reforçam a tese defendida pelos órgãos públicos ligados à pasta da saúde, a qual visa demonstrar aos moradores a necessidade de todos se tornarem fiscais diários. Essa ação paralela à já realizada por agentes de combate às endemias, deve ser realizada dentro de casa, nos ambientes educacionais ou trabalhistas.
Essa colaboração unificada faz parte do projeto defendido pela gerente do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Sidney Sá. "Precisamos que esse trabalho realizado todos os dias pelos agentes da saúde também sejam realizados pelos moradores. Esses mutirões servem, além de buscar identificar pontos de reprodução dos mosquitos e eliminá-los de imediato, chamar a atenção da população para que todos, desde crianças até os idosos, ajudem a combater os mosquitos que transmitem doenças, e, lamentavelmente, tira vidas assim como ocorreu no ano passado", disse. Dentro da programação, os profissionais da brigada seguem realizando atividades no município de Poço Verde amanhã, quando o grupo migra para a cidade de São Cristóvão.
Pertencente à região da Grande Aracaju, São Cristóvão, inclusive, foi apontada em todos os levantamentos realizados no ano passado como uma das cidades com alto índice da doença. A meta da Secretaria de Estado da Saúde é seguir intensificando os trabalhos para que ao final do próximo mês de março o Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti apresente real mudança positiva dos dados em comparação a 2019. "Essa é a nossa proposta. Precisamos mudar esse cenário é para isso necessitamos muito da parceria cada vez mais atuante por parte dos moradores de todos os 75 municípios sergipanos. Seja dentro de casa, no trabalho, em escolas ou universidades, monitorar e combater o Aedes Aegypti é um dever de todos. Apenas juntos conseguiremos combater a atuação do mosquito e evitar novos casos", concluiu Sidney Sá.

Milton Alves Júnior

Os municípios de São Cristóvão e Poço Redondo recebem essa semana a intervenção operacional da Brigada Itinerante de Combate à Dengue. Promovida pelo Governo de Sergipe por meio do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a atividade segue buscando dialogar com a população local e conscientizar a população a se somar aos órgãos municipais, estaduais e federais de saúde no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e Chikungunya. O trabalho ostensivo segue, em especial, devido ao aumento representativo da dengue em 2019. Dados do Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa) indicam que o aumento dos casos em comparação ao ano anterior subiu mais de 300%.
Ao todo foram mais de dez mil casos registrados, sendo que até o final do mês passado exatos 5.319 foram confirmados e outros 1.300 seguiam em processo de análise. O fator mais preocupante refere-se ao número de mortes; 13 pessoas perderam a vida em decorrência da dengue. Laudos médicos realizados também por um laboratório credenciado junto à SES confirmou as fatalidades provocadas pelo mosquito. Os números assustadores reforçam a tese defendida pelos órgãos públicos ligados à pasta da saúde, a qual visa demonstrar aos moradores a necessidade de todos se tornarem fiscais diários. Essa ação paralela à já realizada por agentes de combate às endemias, deve ser realizada dentro de casa, nos ambientes educacionais ou trabalhistas.
Essa colaboração unificada faz parte do projeto defendido pela gerente do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Sidney Sá. "Precisamos que esse trabalho realizado todos os dias pelos agentes da saúde também sejam realizados pelos moradores. Esses mutirões servem, além de buscar identificar pontos de reprodução dos mosquitos e eliminá-los de imediato, chamar a atenção da população para que todos, desde crianças até os idosos, ajudem a combater os mosquitos que transmitem doenças, e, lamentavelmente, tira vidas assim como ocorreu no ano passado", disse. Dentro da programação, os profissionais da brigada seguem realizando atividades no município de Poço Verde amanhã, quando o grupo migra para a cidade de São Cristóvão.
Pertencente à região da Grande Aracaju, São Cristóvão, inclusive, foi apontada em todos os levantamentos realizados no ano passado como uma das cidades com alto índice da doença. A meta da Secretaria de Estado da Saúde é seguir intensificando os trabalhos para que ao final do próximo mês de março o Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti apresente real mudança positiva dos dados em comparação a 2019. "Essa é a nossa proposta. Precisamos mudar esse cenário é para isso necessitamos muito da parceria cada vez mais atuante por parte dos moradores de todos os 75 municípios sergipanos. Seja dentro de casa, no trabalho, em escolas ou universidades, monitorar e combater o Aedes Aegypti é um dever de todos. Apenas juntos conseguiremos combater a atuação do mosquito e evitar novos casos", concluiu Sidney Sá.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS