Sergipe fatura com os festejos juninos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/06/2012 às 12:42:00

Com a chegada do São João milhares de turistas vêm a Sergipe motivados pelas grandes festas que, assim como no verão sergipano, movimentam a economia gerando empregos e renda. Nesta época vendedores ambulantes aumentam seus ganhos com a grande circulação de pessoas que chegam atraídas pelos famosos festejos juninos.
A festança é muito boa não só em relação ao turismo, mas, principalmente no aspecto econômico, pois é o momento de ganhar dinheiro e diversos setores lucram neste período. Os gastos de visitantes e turistas movimentam a economia no Estado e os hotéis, restaurantes e bares ficam lotados. Ano passado a economia sergipana teve um incremento de cerca de R$ 45 milhões, somente no turismo.
Foram mais de 300 mil turistas visitando Sergipe e este ano com a maior divulgação dos festejos, tanto em feiras nacionais como internacionais, a tendência é aumentar o número de turistas e de faturamento. "Em 2012, iniciamos o nosso trabalho de divulgação dos festejos juninos do Estado logo no mês de abril. Saímos a frente de vários estados nordestinos que também têm tradição nesta época do ano e acredito que o nosso vanguardismo seja um dos fatores primordiais para essa grande movimentação turística neste período", avalia p secretário de Turismo de Sergipe, Elber Batalha.
Para o secretário-adjunto da Secretaria do Estado do Turismo (Setur), José Roberto de Lima, os festejos juninos geram uma cadeia produtiva própria. "São apresentações de quadrilhas juninas que envolvem vestidos, cachês de trios pés de serra, transporte dos componentes, shows musicais nos diversos municípios sergipanos, gastos dos residentes e dos turistas que, principalmente a partir da segunda quinzena de junho, lotam a cidade."

Números - De acordo com uma estimativa preliminar, realizada pelo setor de pesquisa da Setur sobre a Cadeia Produtiva do Turismo, o valor movimentado no período chega a aproximadamente R$ 75 milhões sendo que apenas as quadrilhas juninas participantes de competições movimentam cerca de R$ 4.8 milhões. A ocupação hoteleira no período junino cresce de forma bastante expressiva e chega a 100% com uma média de 75% na segunda quinzena de junho.
Com o Forró Caju e o Arraiá do Povo na capital, além das festas das cidades mais próximas como Estância, 68km da capital, Forró Siri, em Nossa Senhora do Socorro (13km), os turistas tem a possibilidade de conhecer cada um dos destinos e desfrutar de seus pontos turísticos. Existe também a oportunidade de percorrer roteiros turísticos inovadores como a Marinete do Forró (ônibus adaptado como um arraial ambulante que faz gratuitamente um city tour animado por um trio-pé-de-serra) e o Barco do Forró, uma arraiá montado em um catamarã com dois roteiros, um pelo Rio Sergipe, e outro pelo Rio Vaza Barris.