Curto-circuito provoca incêndio em ônibus

Geral


  • Os passageiros conseguiram descer antes do ônibus e ninguém ficou ferido

 

Milton Alves Júnior
Um curto-circuito no 
sistema elétrico de 
um ônibus da Viação Paraíso, que faz a linha Circular Praias II, segue apontado como o principal motivo do incêndio que destruiu por completo o veículo no início da manhã de ontem. De acordo com direção do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp), o sinistro foi registrado ainda no início da manhã na Rodovia dos Náufragos, na Zona de Expansão em Aracaju, quando o ônibus realizava o itinerário Terminal de Integração da Atalaia sentido bairro Mosqueiro. Já nas proximidades do povoado Gameleira, ao perceber o problema, o motorista decidiu parar o veículo no acostamento e pedir que os passageiros evacuassem pelas três portas laterais.
Com o apoio do cobrador, todos foram retirados sem ferimentos ou sinais de inalação da fumaça. Sem registro de vítimas, não foi necessário acionar equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), agentes lotados no Batalhão de Turismo (BPTur), da Polícia Militar, estiveram no local e acionaram profissionais do Corpo de Bombeiros para realizar o resfriamento da pista e apagar as chamas que destruíram o ônibus e atingiram a vegetação que ficava ao lado direito do veículo. Por se tratar de um suposto problema mecânico, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Aracaju (SMTT), não descartou a possibilidade de emitir multa ao grupo empresarial.
Por volta das 10h30, a administração municipal informou por meio de nota que: "a Diretoria de Transportes Públicos da SMTT vai apurar o que aconteceu e notificar a empresa. Há possibilidade de emissão de multa à empresa se for comprovado que a falta da devida manutenção provocou o curto-circuito no veículo." Ainda segundo a Prefeitura de Aracaju, todos os passageiros que precisaram descer do veículo em chamas foram prontamente direcionados para outro ônibus da mesma linha para que pudessem seguir com o respectivo trajeto. Gestores da Viação Paraíso - que faz parte do Grupo Progresso -, informou que desde a oficialização do ocorrido segue contribuindo para identificar o motivo real das chamas.
Morador e vendedor de alimentos na região, Nélio Barreto dos Santos informou que, logo após os passageiros terem desembarcado do veículo, os funcionários da empresa - com o apoio de moradores -, tentaram apagar o princípio do incêndio, mas sem sucesso. "Foi nessa hora que chegou o primeiro carro da polícia e todo mundo começou a chamar o Corpo de Bombeiros. A gente sabia que nada iria acontecer com quem estava dentro do ônibus porque todo mundo já tinha saído nas pressas, mas o medo mesmo era por causa do fogo que atingiu o mato e estava esquentando os fios. Não ouvimos nenhum barulho de explosão nem na hora que começou o incêndio, nem depois. Acho que não chegou a atingir o reservatório de diesel", declarou.
Análises periciais já foram realizadas no veículo. A expectativa é que o resultado desses estudos seja apresentado à direção do Grupo Progresso em até 30 dias úteis. Esse prazo pode ser renovado por mais um mês caso os peritos desejem ampliar as análises.

Milton Alves Júnior

Um curto-circuito no  sistema elétrico de  um ônibus da Viação Paraíso, que faz a linha Circular Praias II, segue apontado como o principal motivo do incêndio que destruiu por completo o veículo no início da manhã de ontem. De acordo com direção do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp), o sinistro foi registrado ainda no início da manhã na Rodovia dos Náufragos, na Zona de Expansão em Aracaju, quando o ônibus realizava o itinerário Terminal de Integração da Atalaia sentido bairro Mosqueiro. Já nas proximidades do povoado Gameleira, ao perceber o problema, o motorista decidiu parar o veículo no acostamento e pedir que os passageiros evacuassem pelas três portas laterais.
Com o apoio do cobrador, todos foram retirados sem ferimentos ou sinais de inalação da fumaça. Sem registro de vítimas, não foi necessário acionar equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), agentes lotados no Batalhão de Turismo (BPTur), da Polícia Militar, estiveram no local e acionaram profissionais do Corpo de Bombeiros para realizar o resfriamento da pista e apagar as chamas que destruíram o ônibus e atingiram a vegetação que ficava ao lado direito do veículo. Por se tratar de um suposto problema mecânico, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Aracaju (SMTT), não descartou a possibilidade de emitir multa ao grupo empresarial.
Por volta das 10h30, a administração municipal informou por meio de nota que: "a Diretoria de Transportes Públicos da SMTT vai apurar o que aconteceu e notificar a empresa. Há possibilidade de emissão de multa à empresa se for comprovado que a falta da devida manutenção provocou o curto-circuito no veículo." Ainda segundo a Prefeitura de Aracaju, todos os passageiros que precisaram descer do veículo em chamas foram prontamente direcionados para outro ônibus da mesma linha para que pudessem seguir com o respectivo trajeto. Gestores da Viação Paraíso - que faz parte do Grupo Progresso -, informou que desde a oficialização do ocorrido segue contribuindo para identificar o motivo real das chamas.
Morador e vendedor de alimentos na região, Nélio Barreto dos Santos informou que, logo após os passageiros terem desembarcado do veículo, os funcionários da empresa - com o apoio de moradores -, tentaram apagar o princípio do incêndio, mas sem sucesso. "Foi nessa hora que chegou o primeiro carro da polícia e todo mundo começou a chamar o Corpo de Bombeiros. A gente sabia que nada iria acontecer com quem estava dentro do ônibus porque todo mundo já tinha saído nas pressas, mas o medo mesmo era por causa do fogo que atingiu o mato e estava esquentando os fios. Não ouvimos nenhum barulho de explosão nem na hora que começou o incêndio, nem depois. Acho que não chegou a atingir o reservatório de diesel", declarou.
Análises periciais já foram realizadas no veículo. A expectativa é que o resultado desses estudos seja apresentado à direção do Grupo Progresso em até 30 dias úteis. Esse prazo pode ser renovado por mais um mês caso os peritos desejem ampliar as análises.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS