Vice tem que agregar

Rita Oliveira


O senador Rogério Carvalho apresentou requerimento solicitando a presença da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves (foto), a comparecer na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), para que esclareça informações sobre a falta de verbas para a Casa da Mulher Brasileira. Segundo Rogério, em 2019, o país registrou taxas recordes de assassinato contra mulheres. 

 

Vice tem que agregar

 

Em conversa ontem com a coluna, 
uma fonte ligada ao projeto do pre
feito Edvaldo Nogueira (PCdoB) garante que ele não tem nenhum compromisso político com o PSD para que o partido indique o seu vice.
Revela que a conversa foi para que o próprio deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) fosse o vice. Isso organizaria a chapa e contemplaria o PT com a ida do suplente da coligação, o vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, para a Câmara dos Deputados.    
Segundo a fonte, Edvaldo jamais vai construir uma chapa de centro-direita pelo fato de sempre ter militado pela esquerda. Lembra que foi filiado ao PCdoB por 39 anos, somente deixando agora o partido para se filiar ao PDT, que é um partido de centro-esquerda e que faz oposição ao governo Jair Bolsonaro.
Diz que não entende porque o ex-governador Jackson Barreto (MDB) fica toda hora falando na preocupação de que o prefeito possa formar uma chapa de centro-direita, por avaliar que Aracaju é de centro-esquerda. Cita que no 1º turno das eleições 2018 Bolsonaro ganhou em Aracaju e que Lula e Dilma já perderam na capital no 1º turno, vindo a ganhar no 2º turno, como ganhou Fernando Haddad.  
Lembra que em 2010 foi o próprio Jackson quem trouxe para a coligação liderada por Marcelo Déda (PT) o Edvan Amorim (hoje PSDB), André Moura (PSC) e Laércio Oliveira (PP). E lá atrás, em  1998, ele se aliou com Albano Franco (PSDB).  
"Agora o governador Belivaldo Chagas está privatizando o Samu. Ninguém estranhou ainda, ninguém diz que Belivaldo é de direita. É só Edvaldo que não pode fazer as coisas?", questiona.
Enfatiza que Edvaldo foi quem garantiu a sobrevivência de Aracaju quando assumiu a prefeitura em 2017, herdada de João Alves Filho (DEM), com recursos de emendas parlamentares viabilizados por André Moura. "Ninguém pensa nisso!", queixa-se.
A fonte, que é muito próxima do prefeito, reconhece que o ex-presidente da OAB, Henri Clay, seria um grande nome para vice de Edvaldo, e  garante que ele jamais construirá uma chapa de centro-direita pela sua história política e não acatará a indicação de um nome para ser o seu candidato a vice que não some, que não agregue ao projeto.

Em conversa ontem com a coluna,  uma fonte ligada ao projeto do pre feito Edvaldo Nogueira (PCdoB) garante que ele não tem nenhum compromisso político com o PSD para que o partido indique o seu vice.
Revela que a conversa foi para que o próprio deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) fosse o vice. Isso organizaria a chapa e contemplaria o PT com a ida do suplente da coligação, o vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, para a Câmara dos Deputados.    
Segundo a fonte, Edvaldo jamais vai construir uma chapa de centro-direita pelo fato de sempre ter militado pela esquerda. Lembra que foi filiado ao PCdoB por 39 anos, somente deixando agora o partido para se filiar ao PDT, que é um partido de centro-esquerda e que faz oposição ao governo Jair Bolsonaro.
Diz que não entende porque o ex-governador Jackson Barreto (MDB) fica toda hora falando na preocupação de que o prefeito possa formar uma chapa de centro-direita, por avaliar que Aracaju é de centro-esquerda. Cita que no 1º turno das eleições 2018 Bolsonaro ganhou em Aracaju e que Lula e Dilma já perderam na capital no 1º turno, vindo a ganhar no 2º turno, como ganhou Fernando Haddad.  
Lembra que em 2010 foi o próprio Jackson quem trouxe para a coligação liderada por Marcelo Déda (PT) o Edvan Amorim (hoje PSDB), André Moura (PSC) e Laércio Oliveira (PP). E lá atrás, em  1998, ele se aliou com Albano Franco (PSDB).  
"Agora o governador Belivaldo Chagas está privatizando o Samu. Ninguém estranhou ainda, ninguém diz que Belivaldo é de direita. É só Edvaldo que não pode fazer as coisas?", questiona.
Enfatiza que Edvaldo foi quem garantiu a sobrevivência de Aracaju quando assumiu a prefeitura em 2017, herdada de João Alves Filho (DEM), com recursos de emendas parlamentares viabilizados por André Moura. "Ninguém pensa nisso!", queixa-se.
A fonte, que é muito próxima do prefeito, reconhece que o ex-presidente da OAB, Henri Clay, seria um grande nome para vice de Edvaldo, e  garante que ele jamais construirá uma chapa de centro-direita pela sua história política e não acatará a indicação de um nome para ser o seu candidato a vice que não some, que não agregue ao projeto.

O vice

A coluna tem informações de que alguns aliados do prefeito Edvaldo Nogueira vão trabalhar para que o vice venha a ser o ex-presidente da OAB, Henri Clay, pela sua biografia de centro-esquerda e por ter sido o segundo  candidato a senador mais bem votado em Aracaju.  Ele obteve 52.303 na capital.

Verdes

Vão trabalhar para que, não sendo viável uma filiação sua ao PCdoB, que seja por outra legenda de centro-esquerda, que é o seu perfil ideológico. Não será nenhuma surpresa uma filiação de Henri Clay ao PV, uma vez que o dirigente do partido, Rodrigo Paixão, já declarou ontem que Almeida Lima não será mais o pré-candidato da legenda a prefeito de Aracaju.

Fortalecer

Segundo Rodrigo, o ex-senador Almeida Lima não será mais pré-candidato a prefeito pelo PV porque não cumpriu com o acordo de fortalecimento do partido e, consequentemente, a eleição para a Câmara Municipal. Revela que ele, sequer, se filiou a legenda.

Almoço

Ontem, em Aracaju, estavam almoçando em um restaurante na Praia de Aruana: Henri Clay, o ex-governador Jackson Barreto, o ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado, Ulices Andrade, e o deputado estadual Zezinho Sobral (Podemos). Não precisa dizer que o cardápio foi a sucessão municipal em Aracaju e a viabilidade do ex-presidente da OAB vir a compor com o agrupamento.

Opções

A presença de Zezinho Sobral, que é presidente estadual do Podemos, mostra uma viabilidade de Henri Clay se filiar ao partido e poder ser pré-candidato a vice de Edvaldo Nogueira pelo partido.  Hoje o advogado é pré-candidato a prefeito de Aracaju e vem conversando muito com o PSOL. Uma pessoa vinculada a Henri Clay declarou à coluna que ele toparia abrir mão de ser pré-candidato a prefeito de Aracaju para ser vice de Edvaldo. Desde que seja por um partido de centro-esquerda.  

De Bolsonaro

Na Fan FM, o ex-governador Jackson Barreto não poupou críticas a delegada Danielle Garcia (Cidadania), apresentado pelo senador Delegado Alessandro, como candidata a prefeita de Aracaju. "Essa moça precisa se mancar e assumir que é apoiadora do Governo Bolsonaro. O que é que ela conhece sobre o funcionamento da cidade? Ainda vem dizer que meu governo foi desastroso. Porque ela não saiu dele? Ela tinha um cargo em comissão e brigava por ele, inclusive para que aumentasse seu valor. Falar todo mundo fala, mas de um carguinho todo mundo também gosta", criticou.

", criticou.

Inverdades

Jackson ainda disse que Daniele Garcia faz críticas infundadas ao seu governo. "Fui eu quem nomeei ela, quem equipou o Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap), que ela conduziu sem qualquer interferência minha nas investigações. Portanto o povo precisa estar atento ao que ela fala e o que realmente acontece", finalizou

Pesquisa

A TV Atalaia divulgou ontem à noite, no Jornal do Estado, a primeira pesquisa contratada pela emissora ao Instituto Única, sobre a eleição para prefeito de Aracaju. A pesquisa está registrada na Justiça eleitoral sob número SE 07667/2020, e foram ouvidos 1 mil eleitores no período de 29 de janeiro a três de fevereiro, em 35 bairros da capital. A margem de erro é de 5%, e o nível de confiança atinge 95,45%.

Estimulada

Na pesquisa estimulada - quando são apresentados os nomes dos candidatos - a pesquisa Única/TV Atalaia apresentou os seguintes resultados: Edvaldo Nogueira (sem partido) 30,6%; Danielle Garcia (cidadania) 11,8%; Valadares Filho (PSB) 10,9%; Gilmar Carvalho (PSC) 10,6%; Márcio Macêdo (PT) 1,7%; Almeida Lima (PV) 1,2%; Georlize Teles (DEM) 1,0%; Rodrigo Valadares (PTB) 0,6%; Mário Leony (Psol|) 0,5%; Juraci Nunes (PTC) 0,2%; brancos/nulos 22,0%; indecisos/não sabem 8,9%.

Votos válidos

No caso dos votos válidos, o resultado é o seguinte: Edvaldo 39,2%; Danielle Garcia 15,1%; Valadares Filho 14,0%; Gilmar 13,6; Márcio Macêdo 2,2%; Almeida Lima 1,5%; Georlize Teles 1,3%; Rodrigo Valadares 0,8%; Mário Leony 0,6%; Juraci 0,3%; indeciso/não respondeu 11,4%.

Rejeição

A pesquisa também quis saber em quem o eleitor não votaria de jeito nenhum. O resultado: Valadares Filho 42,5%; Almeida Lima 39,8%; Edvaldo 36,1%; Gilmar 34,0%; Márcio Macêdo 25,4%; Rodrigo Valadares 23,9%; Danielle Garcia 22,2; Georlize Teles 20,6%; Juraci 21,1; Mário Leony 20,9; indecisos 14,4%; brancos/nulos 5,5%.

Segundo turno

O resultado dessa primeira pesquisa, até pelo número de candidatos apresentados, deixa claro que a eleição de Aracaju deve ser decidida em segundo turno. Isso só aconteceu em duas outras oportunidades: em 1996 quando Ismael Silva (PT) disputou o segundo turno com João Gama (PMDB). Gama foi eleito o prefeito; e em 2016, quando Edvaldo Nogueira disputou com Valadares Filho e Edvaldo ganhou.

Veja essa ...

Do ex-prefeito Almeida Lima, ontem à tarde, ao tomar conhecimento da nova posição do PV de Aracaju: "Informado por terceiros, tomei conhecimento no dia de hoje, 05/02, que o Partido Verde - PV decidiu voltar atrás e não mais assumir a minha candidatura a Prefeito de Aracaju na eleição municipal deste ano".

...e essa

Completa Almeida Lima: "Como esta candidatura foi construída antes mesmo de minha ida para o PV e é respaldada por uma história de trinta e três anos de vida pública lastreada pela ética e condizente com a moral pública, venho comunicar ao povo aracajuano que a minha pré-candidatura a Prefeito de Aracaju está mantida, e que até o dia 4 de abril próximo estarei filiado a outro partido".

Curtas

Com o retorno dos trabalhos parlamentares na Câmara Municipal de Aracaju,  o vereador Juvêncio Oliveira (DEM) afirma estar confiante diante da gestão de trabalhos para este ano. Nos três anos de mandato, o vereador já protocolou na Casa cerca de 300 indicações visando melhorias para o povo.

Em seu último ano de mandato, Juvêncio diz que continuará realizando seu trabalho junto às comunidades e às lideranças de cada bairro. Ele já decidiu que não será candidato à reeleição.

O presidente da Câmara de Vereadores de Ilha das Flores, Serginho, fechou ontem os últimos detalhes para realização da 8ª Corrida Feminina de Ilha das Flores, a ser realizada em 8 de março, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. Foi durante reunião com o secretário Robson Martins.

De Jackson Barreto, surpreso após um telefonema do senador Rogério Carvalho, após a decisão do partido em apresentar candidato próprio à PMA: "O PT é uma loucura, uma hora eu não presto, na outra posso dar apoio ao projeto deles", disse sorrindo.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS