Ladrões levam 15 monitores de agencia do INSS

Geral


  • Os ladrões levaram os monitores dos guichês de atendimento

 

Gabriel Damásio
A agência do INSS (Insti
tuto Nacional de Segu
ridade Social) da avenida Ivo do Prado, no Centro de Aracaju, foi alvo de um arrombamento na madrugada desta sexta-feira. Desconhecidos entraram no local e levaram 15 monitores da área de atendimento. O furto foi constatado no começo da manhã, quando servidores encontraram a porta da entrada lateral arrombada, e que as mesas de atendimento estavam sem os monitores. O atendimento da manhã foi suspenso e as perícias médicas marcadas para o período tiveram que ser reagendadas. 
A gerência regional do INSS estima que cerca de 40 a 50 usuários deixaram de ser atendidos durante a manhã de ontem. Muitos deles ficaram surpresos com a interrupção e tiveram que voltar pra casa sem atendimento. Já o Sindicato dos Servidores da Previdência Social (Sindiprev) diz que cerca de 400 pessoas são atendidas por dia. "É um prejuízo grande, principalmente para os que são carentes. Uma pessoa que vem de Canindé do São Francisco, de Porto da Folha, pra fazer uma perícia, mas ao chegar aqui não consegue fazer, porque a agencia está interditada. A pessoa, às vezes não tem o que comer, junta com sacrifício um dinheiro pra vir a Aracaju e não é atendida", lamenta o presidente do Sindiprev, Joaquim Antônio. 
Os vigilantes do turno diurno que chegaram para trabalhar isolaram a agência e controlaram a entrada de servidores, que acionaram uma equipe da Polícia Federal. Dois peritos e alguns agentes estiveram no local e colheram informações sobre o roubo, incluindo possíveis vestígios deixados pelos criminosos. Uma equipe de patrimônio do INSS também esteve na agência para fazer um levantamento do que foi levado. A PF informou que um inquérito policial foi instaurado para investigar o furto e identificar os autores. 
Os servidores do INSS confirmaram que a agência da Ivo do Prado não tem vigilantes noturnos, muito menos câmeras de segurança para proteção do patrimônio. O serviço está cortado desde 2015, quando os serviços de monitoramento foram centralizados. Sobre isso, o gerente executivo regional do INSS, Raimundo Brito, disse que a retirada da vigilância noturna foi decidida ainda sob o governo Dilma Rousseff, por ordem da administração central da repartição. "A gente está fazendo uma licitação para colocar a vigilância eletrônica em funcionamento. Há possibilidade de retomarmos a vigilância noturna. Quando há necessidade justificada, de que a agência está sendo furtada com frequência, aí nós temos como colocar a vigilância noturna, como colocamos na agência do Siqueira Campos", disse ele. 
Raimundo esclareceu ainda que o atendimento ao público na Ivo do Prado foi retomado no começo da tarde, com a transferência de 10 monitores que estavam na agência de Poço Verde, fechada temporariamente por problemas de estrutura. Os equipamentos estavam em uma sala da sede estadual do órgão, em Aracaju, e foram colocados na agência após a saída da PF. Já a porta de vidro, que era usada como entrada alternativa, foi lacrada em definitivo. "Agora, se alguém quiser entrar ali, vai ter que quebrar a porta", garante o gerente.

Gabriel Damásio

A agência do INSS (Insti tuto Nacional de Segu ridade Social) da avenida Ivo do Prado, no Centro de Aracaju, foi alvo de um arrombamento na madrugada desta sexta-feira. Desconhecidos entraram no local e levaram 15 monitores da área de atendimento. O furto foi constatado no começo da manhã, quando servidores encontraram a porta da entrada lateral arrombada, e que as mesas de atendimento estavam sem os monitores. O atendimento da manhã foi suspenso e as perícias médicas marcadas para o período tiveram que ser reagendadas. 
A gerência regional do INSS estima que cerca de 40 a 50 usuários deixaram de ser atendidos durante a manhã de ontem. Muitos deles ficaram surpresos com a interrupção e tiveram que voltar pra casa sem atendimento. Já o Sindicato dos Servidores da Previdência Social (Sindiprev) diz que cerca de 400 pessoas são atendidas por dia. "É um prejuízo grande, principalmente para os que são carentes. Uma pessoa que vem de Canindé do São Francisco, de Porto da Folha, pra fazer uma perícia, mas ao chegar aqui não consegue fazer, porque a agencia está interditada. A pessoa, às vezes não tem o que comer, junta com sacrifício um dinheiro pra vir a Aracaju e não é atendida", lamenta o presidente do Sindiprev, Joaquim Antônio. 
Os vigilantes do turno diurno que chegaram para trabalhar isolaram a agência e controlaram a entrada de servidores, que acionaram uma equipe da Polícia Federal. Dois peritos e alguns agentes estiveram no local e colheram informações sobre o roubo, incluindo possíveis vestígios deixados pelos criminosos. Uma equipe de patrimônio do INSS também esteve na agência para fazer um levantamento do que foi levado. A PF informou que um inquérito policial foi instaurado para investigar o furto e identificar os autores. 
Os servidores do INSS confirmaram que a agência da Ivo do Prado não tem vigilantes noturnos, muito menos câmeras de segurança para proteção do patrimônio. O serviço está cortado desde 2015, quando os serviços de monitoramento foram centralizados. Sobre isso, o gerente executivo regional do INSS, Raimundo Brito, disse que a retirada da vigilância noturna foi decidida ainda sob o governo Dilma Rousseff, por ordem da administração central da repartição. "A gente está fazendo uma licitação para colocar a vigilância eletrônica em funcionamento. Há possibilidade de retomarmos a vigilância noturna. Quando há necessidade justificada, de que a agência está sendo furtada com frequência, aí nós temos como colocar a vigilância noturna, como colocamos na agência do Siqueira Campos", disse ele. 
Raimundo esclareceu ainda que o atendimento ao público na Ivo do Prado foi retomado no começo da tarde, com a transferência de 10 monitores que estavam na agência de Poço Verde, fechada temporariamente por problemas de estrutura. Os equipamentos estavam em uma sala da sede estadual do órgão, em Aracaju, e foram colocados na agência após a saída da PF. Já a porta de vidro, que era usada como entrada alternativa, foi lacrada em definitivo. "Agora, se alguém quiser entrar ali, vai ter que quebrar a porta", garante o gerente.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS