Deputados apostam num ano de 'diálogo e tranquilidade'

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/02/2013 às 09:56:00

A nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, presidida mais uma vez pela deputada Angélica Guimarães (PSC), terá uma biênio marcado pela tranquilidade e pelo diálogo. A aposta é dos parlamentares presentes à sessão de ontem. O líder da bancada de oposição, deputado estadual Venâncio Fonseca, acredita que o legislativo terá um ano produtivo e sem tantos confrontos, como ocorreu em 2012.

Venâncio disse que está na expectativa de que o Legislativo continue como um órgão fiscalizador do Poder Executivo, garantindo uma melhor aplicação dos recursos. "Um exemplo foi o exaustivo debate em torno do Proinveste. Demos uma demonstração de independência e força política, mostrando os equívocos do governo, que entendeu e chamou para o diálogo. E através do diálogo chegaremos a um consenso", observou.

O líder da oposição disse que o Poder Legislativo é isso: transmite sempre a impressão de tensão, de confronto, mas é marcada pelo debate produtivo e tranquilo. "Num dia estamos discutindo, divergindo, e no dia seguinte o clima está tranquilo, embora estejamos travando um debate acirrado. Assim é o parlamento, é assim na democracia. Esse ano será tranquilo, em 2014, ano eleitoral será complicado", prevê.

O senador Eduardo Amorim (PSC) afirma que a Mesa Diretora nasceu de um processo pautado pela busca de transparência e pelo diálogo no parlamento, características que, segundo ele, vão marcar o biênio da deputada Angélica Guimarães. O senador disse que será desta forma que os parlamentares vão agir, por exemplo, no retorno do pedido de empréstimo (Proinveste), que será reencaminhado pelo governador Marcelo Déda.

"Teremos diálogo e cobrança de transparência. É preciso zelo e cuidado com a coisa pública. Os deputados e qualquer membro de uma Mesa num parlamento, seja aqui ou em Brasília, precisam ter um papel fiscalizador. Solicitamos um diálogo e o diálogo foi aberto", comentou. Amorim entende que se as sugestões dos parlamentares forem aprovadas, a tendência é que (Proinveste) seja aprovado pelos deputados estaduais. "Fazemos política com responsabilidade e não praticamos a política do quanto pior melhor. Agiram com responsabilidade (aqui) e pediram o diálogo".