Marcos Santana faz balanço de 3 anos de gestão

Geral


  • O prefeito Marcos Santana presta contas na Câmara de São Cristóvão

 

O prefeito Marcos Santana, abriu na última terça-feira (18), a primeira sessão ordinária do ano da Câmara Municipal de São Cristóvão. Na oportunidade, o gestor municipal fez um balanço do trabalho desenvolvido nos últimos três anos e apresentou as perspectivas para a cidade em 2020.
Inicialmente, Marcos, agradeceu aos parlamentares pela relação harmoniosa entre os poderes. "Tenho a devida compreensão de que, sem a aprovação majoritária dos componentes desta Casa às proposituras encaminhadas pelo Poder Executivo, as dificuldades teriam sido ainda maiores. Saibam que o senhor vem cumprindo um papel fundamental no árduo trabalho que estamos realizando, de verdadeira reconstrução da nossa cidade".
Em seu discurso falou sobre os desafios enfrentados e destacou a situação  'caótica' em que encontrou o município em janeiro de 2017. "Só dos chamados restos a pagar, ou seja, dívidas com fornecedores, havia algo próximo de 5 milhões de reais. Além disso, verificamos a existência de dívidas dos chamados precatórios (já judicializadas) num patamar superior à casa dos 2 milhões, as quais já deveriam obrigatoriamente ter sido pagas em 2016, mas foram negociadas, propositalmente, para pagamento a partir de janeiro de 2017. Mas o fato mais grave, todavia, estava relacionado à decisão tomada pela gestão que nos antecedeu no sentido de rescindir todos os contratos firmados pelo Município no dia 30 de dezembro de 2016, impossibilitando, dessa forma, a manutenção da prestação de uma série de serviços essenciais para a população. Precisamos relembrar os fatos já que nas últimas semanas a nossa população tem sido desrespeitada, vilipendiada, com uma enxurrada de notícias falsas, calúnias, distorções de fatos (do passado e do presente) é preciso".
Sobre os avanços, o prefeito destacou áreas prioritárias, como educação e saúde. "Comparando os anos de 2017 e 2019, aumentamos consideravelmente o volume de recursos investidos em Educação: na área pedagógica, praticamente dobramos, passando de 530 mil para mais de um milhão de reais. No transporte escolar, aumentamos em praticamente 50% o investimento. Em relação à estrutura física das escolas, mais do que triplicamos os investimentos, passando de 302 mil para 978 mil, com destaque para a climatização de salas de aula já em diversas unidades".
Com relação a Saúde, Marcos falou sobre o avanço qualitativo dos números.  "Temos implementado uma verdadeira revolução municipal. Ainda no segundo semestre de 2017, reabrimos a Unidade de Urgência 24 Horas do Conjunto Eduardo Gomes, garantindo o atendimento para a população e evitando os deslocamentos para o HUSE. Estamos com 24 equipes de saúde da família, 16 equipes de saúde bucal. No que diz respeito à cobertura estimada das Equipes de Atenção Básica, que em 2017 era de 47% da população, conseguimos que atingisse, no final de 2019, o patamar de 97,5%. Criamos um Centro de Especialidades, reformamos unidades de saúde e estamos construindo uma nova. Sabemos, naturalmente, que enfrentaremos ainda muitas adversidades, muito mais até do que já nos deparamos nos últimos três anos. Alguns acontecimentos recentes já nos dão uma ideia do nível de desonestidade que alguns dos nossos adversários se valerão. Mas temos certeza que estamos no caminho certo, que lutaremos o combate. E o povo de São Cristóvão saberá distinguir o joio do trigo e decidir soberanamente o que espera para as futuras gerações.

O prefeito Marcos Santana, abriu na última terça-feira (18), a primeira sessão ordinária do ano da Câmara Municipal de São Cristóvão. Na oportunidade, o gestor municipal fez um balanço do trabalho desenvolvido nos últimos três anos e apresentou as perspectivas para a cidade em 2020.
Inicialmente, Marcos, agradeceu aos parlamentares pela relação harmoniosa entre os poderes. "Tenho a devida compreensão de que, sem a aprovação majoritária dos componentes desta Casa às proposituras encaminhadas pelo Poder Executivo, as dificuldades teriam sido ainda maiores. Saibam que o senhor vem cumprindo um papel fundamental no árduo trabalho que estamos realizando, de verdadeira reconstrução da nossa cidade".
Em seu discurso falou sobre os desafios enfrentados e destacou a situação  'caótica' em que encontrou o município em janeiro de 2017. "Só dos chamados restos a pagar, ou seja, dívidas com fornecedores, havia algo próximo de 5 milhões de reais. Além disso, verificamos a existência de dívidas dos chamados precatórios (já judicializadas) num patamar superior à casa dos 2 milhões, as quais já deveriam obrigatoriamente ter sido pagas em 2016, mas foram negociadas, propositalmente, para pagamento a partir de janeiro de 2017. Mas o fato mais grave, todavia, estava relacionado à decisão tomada pela gestão que nos antecedeu no sentido de rescindir todos os contratos firmados pelo Município no dia 30 de dezembro de 2016, impossibilitando, dessa forma, a manutenção da prestação de uma série de serviços essenciais para a população. Precisamos relembrar os fatos já que nas últimas semanas a nossa população tem sido desrespeitada, vilipendiada, com uma enxurrada de notícias falsas, calúnias, distorções de fatos (do passado e do presente) é preciso".
Sobre os avanços, o prefeito destacou áreas prioritárias, como educação e saúde. "Comparando os anos de 2017 e 2019, aumentamos consideravelmente o volume de recursos investidos em Educação: na área pedagógica, praticamente dobramos, passando de 530 mil para mais de um milhão de reais. No transporte escolar, aumentamos em praticamente 50% o investimento. Em relação à estrutura física das escolas, mais do que triplicamos os investimentos, passando de 302 mil para 978 mil, com destaque para a climatização de salas de aula já em diversas unidades".
Com relação a Saúde, Marcos falou sobre o avanço qualitativo dos números.  "Temos implementado uma verdadeira revolução municipal. Ainda no segundo semestre de 2017, reabrimos a Unidade de Urgência 24 Horas do Conjunto Eduardo Gomes, garantindo o atendimento para a população e evitando os deslocamentos para o HUSE. Estamos com 24 equipes de saúde da família, 16 equipes de saúde bucal. No que diz respeito à cobertura estimada das Equipes de Atenção Básica, que em 2017 era de 47% da população, conseguimos que atingisse, no final de 2019, o patamar de 97,5%. Criamos um Centro de Especialidades, reformamos unidades de saúde e estamos construindo uma nova. Sabemos, naturalmente, que enfrentaremos ainda muitas adversidades, muito mais até do que já nos deparamos nos últimos três anos. Alguns acontecimentos recentes já nos dão uma ideia do nível de desonestidade que alguns dos nossos adversários se valerão. Mas temos certeza que estamos no caminho certo, que lutaremos o combate. E o povo de São Cristóvão saberá distinguir o joio do trigo e decidir soberanamente o que espera para as futuras gerações.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS