Defesa Civil vai credenciar pipeiros para distribuição de água no sertão

Cidades

 

Milton Alves Júnior
Onze municípios sergi-
panos seguem em es
tado grave de seca e dependendo do apoio financeiro e operacional dos governos Federal e Estadual. Apesar da vulnerabilidade nessas regiões, a direção da Defesa Civil em Sergipe reconhece que o volume de água registrado por meio de chuvas registradas entre os meses de abril e julho contribuiu para que o cenário atual apresente situação menos intensa e danosa se comparado aos últimos cinco anos. 
No mais recente levantamento realizado pelo órgão estadual foi possível identificar que mais de 200 mil pessoas permanecem sofrendo com a estiagem. Entre os municípios atingidos estão: Porto da Folha, Pinhão, Poço Verde, Frei Paulo, Monte Alegre de Sergipe e Gararu. A lista é preenchida por Poço Redondo, Carira, Canindé do São Francisco, Nossa Senhora da Glória e Tobias Barreto. 
Pipeiros - Na perspectiva de diminuir os impactos naturais causados pela falta de chuva nesses municípios, na última terça-feira (18), o Governo do Estado publicou um edital de credenciamento de 'pipeiros'. O processo está sendo coordenado pelo Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil, ligado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs). Conforme estabelecido, o credenciamento será para atendimento das demandas imediatas, no entanto, estará aberta a possibilidade de novos credenciamentos em atendimento aos municípios em Situação de Emergência vigentes até a data de 31 de dezembro de 2020, desde que atendam às exigências previstas no edital.
De acordo com o diretor da Defesa Civil Estadual, tenente coronel Alexandre José, é de fundamental importância que os candidatos a pipeiros estejam atentos às exigências documentais a serem apresentados ao departamento responsável pelo processo, bem como observem com cautela todos os deveres a serem procedidos ao firmar contrato com o Governo de Sergipe. Em Sergipe 62 caminhões-pipa fazem a distribuição de água potável nas comunidades afetadas pela seca, atendendo aproximadamente 43 mil pessoas com essa ajuda humanitária. Esse trabalho assistencial conta ainda com o apoio realizado por caminhões contratados pelo Governo Federal, e por meio de convênios firmados de forma independente por prefeituras.
Em declaração oficial o tenente coronel destacou que: "foi imprescindível o lançamento desse Edital para dar tempo aos pipeiros se adequarem além da verificação das condições dos caminhões-pipa. As regras são claras para que os operadores desses caminhões estejam aptos a trabalhar com a Defesa Civil Estadual." Esse credenciamento vai ocorrer na sede administrativa da Sedurbs, em Aracaju, das 7 às 13 horas e das 15 às 17 horas, no período de 27 de fevereiro a 04 de março. "Sabemos que esse processo começa após o carnaval, mas é preciso já começar a reforçar o período para que todos possam se preparar e evitar possíveis impasses. Serão cinco dias úteis e por isso todos devem ficar atentos", concluiu.
Preocupação - O que tem gerado preocupação aos sertanejos é que não há previsão de chuvas intensificadas nas áreas mais distantes da faixa litorânea. Para completar o cenário de preocupação vivenciada por milhares de sergipanos, a predominância do sol deve permanecer até o dia 20 de março quando oficialmente no Brasil sai de cena o verão e começa o outono. No que se refere ao índice de municípios atingidos pela seca rigorosa, no ano de 2016 foram contabilizados 23 municípios em situação de emergência; em 2017 - quando a seca foi ainda pior, foram registrados 29 municípios nessa mesma época do ano. Em 2018 e 2019 os índices começaram a cair. De acordo com a Defesa Civil é possível que até o final do verão outros municípios possam decretar situação de emergência.
Segundo o gerente técnico da Defesa Civil Estadual, Edivaldo Santos, enquanto pipeiros se preparam para se adequar ao edital, é preciso que os municípios também estejam atentos aos documentos necessários para protocolar o apoio governamental. "O município tem a autonomia de fazer o decreto, eles encaminham toda a documentação para a Defesa Civil e aqui nós analisamos a documentação e fazemos a solicitação de homologação estadual. Na sequência enviamos para a Secretaria Nacional da Defesa Civil, onde é feita toda a análise e, estando dentro dos parâmetros, sai o reconhecimento federal da situação de emergência", relatou.

Milton Alves Júnior

Onze municípios sergi- panos seguem em es tado grave de seca e dependendo do apoio financeiro e operacional dos governos Federal e Estadual. Apesar da vulnerabilidade nessas regiões, a direção da Defesa Civil em Sergipe reconhece que o volume de água registrado por meio de chuvas registradas entre os meses de abril e julho contribuiu para que o cenário atual apresente situação menos intensa e danosa se comparado aos últimos cinco anos. 
No mais recente levantamento realizado pelo órgão estadual foi possível identificar que mais de 200 mil pessoas permanecem sofrendo com a estiagem. Entre os municípios atingidos estão: Porto da Folha, Pinhão, Poço Verde, Frei Paulo, Monte Alegre de Sergipe e Gararu. A lista é preenchida por Poço Redondo, Carira, Canindé do São Francisco, Nossa Senhora da Glória e Tobias Barreto. 

Pipeiros - Na perspectiva de diminuir os impactos naturais causados pela falta de chuva nesses municípios, na última terça-feira (18), o Governo do Estado publicou um edital de credenciamento de 'pipeiros'. O processo está sendo coordenado pelo Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil, ligado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs). Conforme estabelecido, o credenciamento será para atendimento das demandas imediatas, no entanto, estará aberta a possibilidade de novos credenciamentos em atendimento aos municípios em Situação de Emergência vigentes até a data de 31 de dezembro de 2020, desde que atendam às exigências previstas no edital.
De acordo com o diretor da Defesa Civil Estadual, tenente coronel Alexandre José, é de fundamental importância que os candidatos a pipeiros estejam atentos às exigências documentais a serem apresentados ao departamento responsável pelo processo, bem como observem com cautela todos os deveres a serem procedidos ao firmar contrato com o Governo de Sergipe. Em Sergipe 62 caminhões-pipa fazem a distribuição de água potável nas comunidades afetadas pela seca, atendendo aproximadamente 43 mil pessoas com essa ajuda humanitária. Esse trabalho assistencial conta ainda com o apoio realizado por caminhões contratados pelo Governo Federal, e por meio de convênios firmados de forma independente por prefeituras.
Em declaração oficial o tenente coronel destacou que: "foi imprescindível o lançamento desse Edital para dar tempo aos pipeiros se adequarem além da verificação das condições dos caminhões-pipa. As regras são claras para que os operadores desses caminhões estejam aptos a trabalhar com a Defesa Civil Estadual." Esse credenciamento vai ocorrer na sede administrativa da Sedurbs, em Aracaju, das 7 às 13 horas e das 15 às 17 horas, no período de 27 de fevereiro a 04 de março. "Sabemos que esse processo começa após o carnaval, mas é preciso já começar a reforçar o período para que todos possam se preparar e evitar possíveis impasses. Serão cinco dias úteis e por isso todos devem ficar atentos", concluiu.

Preocupação - O que tem gerado preocupação aos sertanejos é que não há previsão de chuvas intensificadas nas áreas mais distantes da faixa litorânea. Para completar o cenário de preocupação vivenciada por milhares de sergipanos, a predominância do sol deve permanecer até o dia 20 de março quando oficialmente no Brasil sai de cena o verão e começa o outono. No que se refere ao índice de municípios atingidos pela seca rigorosa, no ano de 2016 foram contabilizados 23 municípios em situação de emergência; em 2017 - quando a seca foi ainda pior, foram registrados 29 municípios nessa mesma época do ano. Em 2018 e 2019 os índices começaram a cair. De acordo com a Defesa Civil é possível que até o final do verão outros municípios possam decretar situação de emergência.
Segundo o gerente técnico da Defesa Civil Estadual, Edivaldo Santos, enquanto pipeiros se preparam para se adequar ao edital, é preciso que os municípios também estejam atentos aos documentos necessários para protocolar o apoio governamental. "O município tem a autonomia de fazer o decreto, eles encaminham toda a documentação para a Defesa Civil e aqui nós analisamos a documentação e fazemos a solicitação de homologação estadual. Na sequência enviamos para a Secretaria Nacional da Defesa Civil, onde é feita toda a análise e, estando dentro dos parâmetros, sai o reconhecimento federal da situação de emergência", relatou.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS