Mudanças eleitorais

Gilvan Manoel


Humorista contratado por Bolsonaro jogou bananas para jornalistas, em frente ao Palácio da Alvorada: presidente não queria explicar o pibinho de 1,1% em seu primeiro ano. Mais um crime de responsabilidade

 

Mudanças eleitorais

 

Com várias mudanças nas regras 
eleitorais estabelecidas com a mi
nirreforma que alterou a Lei das Eleições e o Código Eleitoral, as eleições 2020 serão diferentes das anteriores. A mudança mais significativa no pleito deste ano é para a eleição de vereador, com o fim das coligações proporcionais e a ampliação do número de candidatos que cada partido poderá lançar. Se não houver novas mudanças, essas regras também devem valer para as eleições proporcionais de 2022 - deputado estadual e deputado federal.
A partir destas eleições, os partidos não poderão mais fazer coligações partidárias para vereador. As legendas poderão se juntar somente na eleição majoritária, devendo concorrer isoladamente nas eleições proporcionais.
Isso quer dizer que as siglas contarão apenas com seus próprios votos. Com isso, os partidos mais fortes sairão fortalecidos enquanto os menores terão mais dificuldades em eleger candidatos.
As legendas terão que se adaptar às mudanças. Para o alcance do coeficiente eleitoral haverá a necessidade de um número maior de candidatos como também nomes que tenham maior representatividade em número de votos para alcançarem a votação necessária.
O fim das coligações proporcionais nas eleições 2020 deve levar vereadores a pressionarem seus partidos pelo lançamento de candidaturas majoritárias. Sem a composição com outras legendas para turbinar as votações e garantir o coeficiente eleitoral, as siglas devem avaliar a hipótese de ter candidatos a prefeito que possam ajudar a puxar votos para os vereadores.
Vale ressaltar que o candidato majoritário só será um puxador de votos para a chapa proporcional se tiver viabilidade eleitoral. Se não, ele puxa a chapa para baixo.
Diante dessa mudança significativa, o que se observa é que apesar de estarmos a sete meses das eleições são poucos os partidos com atuação em cima dessas mudanças. Com o início, de hoje até três abril, da janela partidária para que vereadores possam trocar de partido sem a perda do mandato, muitos partidos hoje representados na Câmara Municipal de Aracaju vão perder representantes. Hoje 16 partidos possuem representações na Câmara:
PSD - Nitinho, Evandro Franca e Zé Valter; PMB -Thiago Batalha; MDB - Dr. Gonzaga e Bigode do Santa Maria; PCdoB - Isac e Professor Bittencourt; PHS - Seu Marcos; Rede - Américo de Deus; PRTB -Anderson de Tuca; PTB - Cabo Amintas; PSDB - Manoel Marcos; PSB - Élber Batalha e Lucas Aribé; Patriota - Emília Correa; Cidadania - Fábio Meireles; PDT - Jason Neto; PRB - Pastor Alves; DEM - Vinícius Porto e Juvêncio Oliveira; PTB - Zezinho do Bugio; e, sem partido - Cabo Didi e Palhaço Soneca.
Alguns partidos, como DEM e o MDB devem perder todos os seus representantes, enquanto o PDT, que vai abrigar o prefeito Edvaldo Nogueira, deverá se transformar na maior bancada, ao lado do PSDB.
Muitos partidos ainda não começaram a se preparar para as mudanças e os poucos que iniciaram estão com dificuldades, porque precisam aguardar a abertura de janela partidária, que permitiria a troca de partido sem risco de perda do mandato, por infidelidade partidária.
Para eleger o primeiro vereador na capital, um partido deverá precisar entre 13 mil e 14 mil votos, o que, isoladamente nenhum candidato deverá obter. Ou formam chapas competitivas ou muitos partidos não conseguir eleger nenhum vereador.

Com várias mudanças nas regras  eleitorais estabelecidas com a mi nirreforma que alterou a Lei das Eleições e o Código Eleitoral, as eleições 2020 serão diferentes das anteriores. A mudança mais significativa no pleito deste ano é para a eleição de vereador, com o fim das coligações proporcionais e a ampliação do número de candidatos que cada partido poderá lançar. Se não houver novas mudanças, essas regras também devem valer para as eleições proporcionais de 2022 - deputado estadual e deputado federal.
A partir destas eleições, os partidos não poderão mais fazer coligações partidárias para vereador. As legendas poderão se juntar somente na eleição majoritária, devendo concorrer isoladamente nas eleições proporcionais.
Isso quer dizer que as siglas contarão apenas com seus próprios votos. Com isso, os partidos mais fortes sairão fortalecidos enquanto os menores terão mais dificuldades em eleger candidatos.
As legendas terão que se adaptar às mudanças. Para o alcance do coeficiente eleitoral haverá a necessidade de um número maior de candidatos como também nomes que tenham maior representatividade em número de votos para alcançarem a votação necessária.
O fim das coligações proporcionais nas eleições 2020 deve levar vereadores a pressionarem seus partidos pelo lançamento de candidaturas majoritárias. Sem a composição com outras legendas para turbinar as votações e garantir o coeficiente eleitoral, as siglas devem avaliar a hipótese de ter candidatos a prefeito que possam ajudar a puxar votos para os vereadores.
Vale ressaltar que o candidato majoritário só será um puxador de votos para a chapa proporcional se tiver viabilidade eleitoral. Se não, ele puxa a chapa para baixo.
Diante dessa mudança significativa, o que se observa é que apesar de estarmos a sete meses das eleições são poucos os partidos com atuação em cima dessas mudanças. Com o início, de hoje até três abril, da janela partidária para que vereadores possam trocar de partido sem a perda do mandato, muitos partidos hoje representados na Câmara Municipal de Aracaju vão perder representantes. Hoje 16 partidos possuem representações na Câmara:
PSD - Nitinho, Evandro Franca e Zé Valter; PMB -Thiago Batalha; MDB - Dr. Gonzaga e Bigode do Santa Maria; PCdoB - Isac e Professor Bittencourt; PHS - Seu Marcos; Rede - Américo de Deus; PRTB -Anderson de Tuca; PTB - Cabo Amintas; PSDB - Manoel Marcos; PSB - Élber Batalha e Lucas Aribé; Patriota - Emília Correa; Cidadania - Fábio Meireles; PDT - Jason Neto; PRB - Pastor Alves; DEM - Vinícius Porto e Juvêncio Oliveira; PTB - Zezinho do Bugio; e, sem partido - Cabo Didi e Palhaço Soneca.
Alguns partidos, como DEM e o MDB devem perder todos os seus representantes, enquanto o PDT, que vai abrigar o prefeito Edvaldo Nogueira, deverá se transformar na maior bancada, ao lado do PSDB.
Muitos partidos ainda não começaram a se preparar para as mudanças e os poucos que iniciaram estão com dificuldades, porque precisam aguardar a abertura de janela partidária, que permitiria a troca de partido sem risco de perda do mandato, por infidelidade partidária.
Para eleger o primeiro vereador na capital, um partido deverá precisar entre 13 mil e 14 mil votos, o que, isoladamente nenhum candidato deverá obter. Ou formam chapas competitivas ou muitos partidos não conseguir eleger nenhum vereador.

Troca-troca

Com a janela que se abre nesta quinta-feira para vereador pelo menos 15 dos 24 vereadores de Aracaju devem trocar de partido. São eles: Vinícius Porto (DEM), Bigode (MDB), Dr Gonzaga (MDB), Thiaguinho Batalha (PMB), Isac (PCdoB), Anderson de Tuca (PRTB), Seu Marcos (PHS), Lucas Aribé (PSB), Manuel Marcos (PSDB), Zezinho do Bugio (PTB), Américo de Deus (Rede), Cabo Amintas (PTB), Fábio Meireles (Cidadania), Cabo Didi (Sem Partido) e Palhaço Soneca (Sem partido).

No PDT

Há seis meses estavam certos de se filiar ao PDT os vereadores Thiaguinho, Isac, Anderson de Tuca e Seu Marcos.  Esse entendimento foi feito com o presidente do Diretório Municipal, vereador Jason Neto.

Impasse

Com a possibilidade de Vinícius Porto, que já deixou o DEM, se filiar ao PDT a convite do prefeito Edvaldo Nogueira, que já deixou o PCdoB e vai ingressar este mês na legenda, Isac, Anderson e Seu Marcos estão ameaçando não se filiar mais ao PDT. Nada pessoal contra o vereador Vinícius, mas pelo fato de já ter sido consensuado entre os quatro e Jason que a sigla só teria cinco pré-candidatos com mandato a uma cadeira na Câmara Municipal.

Com Edvaldo

Esse impasse ficará a cargo do prefeito resolver, uma vez que ficou acordado para sua ida para o PDT que ele assumiria o comando do Diretório Municipal direta ou indiretamente. Jason Neto deixará a presidência do partido após filiação de Edvaldo.

PSL e PSD

Devem se filiar ao PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro, os vereadores Cabo Didi e Cabo Amintas.  Caminham para ingressar no PSD do deputado federal Fábio Mitidieri os vereadores: Bigode, Gonzaga, Soneca, Zezinho do Bugio e Manuel Marcos. Estão com um pé no Cidadania do senador Alessandro Vieira os vereadores Lucas Aribé e Américo de Deus. Deve se filiar ao PSC do ex-deputado federal André Moura o vereador Fábio Meireles.

Fidelidade

Apesar da abertura da janela partidária vão permanecer nos seus partidos os vereadores de Aracaju: Nitinho Vitale (PSD), Zé Valter (PSD), Jason Neto (PDT), Emília Corrêa (Patriota), Professor Bittencourt (PCdoB), Elber Batalha (PSB) e Pastor Alves (Republicano). Juvêncio Oliveira (DEM) e Evando Franco (PSD) não disputarão a reeleição este ano.

Na tribuna

Ontem o vereador Vinícius Porto confirmou, na tribuna da Câmara, que deixará o DEM e que até o fim deste mês anuncia qual a sigla partidária que vai se filiar.  Disse que já conversou com o ex-deputado federal José Carlos Machado e que sua desfiliação do Democratas será nesta quinta-feira. Vinícius é o líder do prefeito na Câmara Municipal.

É pré-candidata

A ex-vereadora de Aracaju e ex-prefeita de São Cristovão, Rivanda Farias, disputará mandato de vereadora na capital em outubro deste ano. Já esteve conversando com o presidente estadual do Republicano, ex-deputado federal Jony Marcos, e com o presidente do Diretório Municipal do PSC, Clóvis Silveira. Rivanda ainda não definiu qual partido se filiará.   

Fake News

Desabafo do deputado estadual Samuel Carvalho (Cidadania), que é pré-candidato a prefeito de Nossa Senhora do Socorro: "O fake news tem sido uma arma na mão de pessoas mal intencionadas. Tenho sofrido diversos ataques nas redes sociais e já estou agindo conforme a lei para que esses ataques sejam cessados. Não esqueça, fake news é crime para quem cria e para quem compartilha. Compartilhe verdades!".

Empregos

A Unidade Estadual do IBGE em Sergipe informa que nesta quinta-feira, às 10h30, divulgará os dados a respeito da realização do Processo Seletivo Simplificado (PSS) para os cargos de Agente Censitário Municipal (ACM), Agente Censitário Supervisor (ACS) e Recenseador. Estão previstas a abertura de mais de duas mil vagas temporárias para o estado.

Reitoria

As entidades representativas de docentes, técnico-administrativos, estudantes e aposentados da Universidade Federal de Sergipe convocaram manifestação para hoje, às 8 horas, no hall da reitoria. As entidades divulgaram nota expressando "o seu repúdio às tentativas da Reitoria de deslegitimar a Consulta Pública para a sucessão da gestão da universidade". Para as entidades, "a Consulta Pública é um instrumento democrático e plural da comunidade acadêmica, que tem a possibilidade de protagonizar os debates sobre projetos para a instituição"

Estatuto

Essas mesmas entidades também reduziam "a tentativa de mudança precoce e sem o devido diálogo com a comunidade acadêmica do Estatuto da universidade, a partir da MP 914, uma legislação que pode ser derrubada muito em breve. Além disso, vale citar que, de forma conveniente, a atual gestão da UFS não inscreveu nenhuma candidatura à Reitoria". Quatro chapas se inscreveram para a Consulta Pública, marcada para os dias 19 e 20 deste mês.

Crime virtual

O prefeito Edvaldo Nogueira prestou queixa, nesta quarta-feira, 4, na Divisão de Crimes Cibernéticos, de um crime virtual, usando seu nome. Uma pessoa, que se identifica como Thais Nogueira e se diz assessora do prefeito, enviou convites para algumas pessoas convidando-as a participar de um grupo de WhatsApp denominado "Cidadãos de bem e saúde para todos", colocando como pré-condição a inserção de um código enviado por SMS. Uma amiga do prefeito foi vítima do golpe e teve sua linha telefônica e conta no WhatsApp clonadas.

Crime virtual 2

Na denúncia, o prefeito informou que não possui nenhuma assessora com este nome e que não há de sua parte nem de pessoas próximas iniciativas como esta. A linha telefônica utilizada para aplicar o golpe é a (79) 9653-9585. A amiga do prefeito, vítima do golpe, teve seu telefone bloqueado. Alguns contatos dela receberam mensagens com pedido de dinheiro. Nenhuma pessoa, até o momento, transferiu qualquer quantia.

Obras

O vereador Lucas Aribé (SMTT) para a necessidade de aperfeiçoamento das ações de conscientização e orientação da população aracajuana em relação às obras de intervenção urbanística nos corredores de trânsito. Em seu pronunciamento desta quarta-feira (4), na tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), o parlamentar compartilhou a preocupação com os transtornos para motoristas e pedestres.

Relevância

Embora compreenda a relevância das obras, Lucas ressaltou que a falta de esclarecimento da população pode fazer com que elas sejam mal interpretadas pela sociedade. "A população vem encontrando dificuldades em termos de mobilidade urbana. Vários problemas de trânsito estão acontecendo porque os motoristas não estão informados adequadamente, a presença da SMTT é tímida em vários trechos. Quem usa o transporte público, muitas vezes, não consegue identificar nem mesmo as paradas provisórias", explicou o vereador.

Com Agências

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS