FÁCIL ACREDITAR: A SAIDA DA CRISE É LULA

Rômulo Rodrigues

 

* Rômulo Rodrigues
Enfim, o Brasil está chegando ao limiar de uma constatação definitiva: ou Lula, ou a barbárie. Fevereiro terminou e a economia está aturdida com os desfiles das Escolas de Samba do Rio de Janeiro e de São Paulo, com as vitórias das Ganhadeiras de Itararé e Paulo Freire e com Sambas Enredos como os da Mangueira; "Não tem futuro sem partilha, nem Messias de arma na mão" e São Clemente.
 O Deus mercado está em polvorosa, assombrado pelo espectro da crise de 2007, que eles mandam seus locutores dizerem que foi em 2008.
Ao que tudo indica, o Coronavírus nada tem a ver com o descontrole capitalista que já faz o Dólar bater na casa dos R$ 4,50 e a Bovespa despencar 7%.
Quem está por trás da hecatombe é a falta de credibilidade e de eficácia das soluções tecnicistas da grande crise e das soluções buscadas com mentiras, mentiras, mentiras; dos canalhas, canalhas, canalhas!
As raízes estão na crise do Sub Prime, porque desde 2008 eles espalham mentiras para desestabilizarem governos democráticos, em busca de saídas para o que perdem com as quedas das taxas de lucratividade e com a estrangulação do vício do dinheiro fazendo dinheiro, com produção decadente.
Depois de verem o quanto são dispendiosas as táticas de guerras sangrentas no Oriente Médio e na Mesopotâmia, retornaram à América do Sul para roubarem as jazidas de Petróleo, Gás Natural, Nióbio e lítio.
Como o tempo da "mentira tem pernas curtas" foi superado pelo da "mentira tem WhatsApp está cada vez mais mostrado e entendido os golpes da Bolívia e do Brasil e as tentativas de derrubar o governo da Venezuela.
Aos poucos as mentiras espalhadas para derrubar governos vão ficando escancaradas como as recentes constatações feitas pelos membros da OEA de que foi efetuado um golpe na Bolívia e que a fraude alegada na reeleição de Evo Morales nunca existiu.
Aqui no Brasil, também vem a público que investigadores da Polícia Federal afirmam que as tais planilhas da Odebrecht, usadas para condenar Lula, foram adulteradas.
Como a República do Brasil transformou-se em um paraíso de terra fértil para notícias mentirosas servirem como provas para incriminar adversários políticos, ao bel prazer dos controladores do dinheiro no mundo, veio à tona o escândalo do suposto romance de Michelle Bolsonaro com o então ministro Osmar Terra, com aparência de escândalo pré fabricado para ir enganando o público enquanto cortam a juba do Leão no picadeiro do Circo dos Horrores.
Uma coisa é certa: o jornalista que noticiou é o mesmo que quando trabalhou como editor da sucursal do jornal O Globo, em São Paulo, fabricou a primeira reportagem sobre o Triplex do Guarujá, que serviu como notícia crime para a abertura do processo que condenou Lula e abriu as porteiras para o gado enlouquecido eleger o marido, supostamente traído, e coroado com uma famosa peruca de touro, com um par de chifres.
Cada vez mais as notícias vindas de fora provam que o mundo repudia tudo que foi usado para dar golpes no intento de roubar riquezas e soberanias em países da América do Sul, que resultaram e estão resultando em políticas públicas que levaram as populações à extrema pobreza ou miséria absoluta.
O povo chileno, vítima das políticas entreguistas e massacrantes de Paulo Guedes já está há meses nas ruas lutando em busca da recuperação da estabilidade perdida e mandou recado para o sonolento povo brasileiro. "A torcida do Colo-Colo já lançou seu brado de repúdio a uma possível contratação de Luis Felipe Scolari como treinador, classificando-o como um sujeito nefasto que não teve vergonha de elogiar o genocida Pinochet e dizer que às vezes são necessárias várias violações dos Direitos Humanos para manter a ordem.
Uma semana depois de receber homenagem em Roma recebendo o símbolo maior da Cidade Eterna e do povo romano, a Loba que amamentou os Gêmeos Rômulo e Remo, chegou a vez de Lula voltar ao Velho Continente para receber o título de Cidadão Honorário de Paris, onde foi ovacionado e, depois da concorridíssima solenidade teve uma agenda de Chefe de Estado  debatendo com grandes líderes, entre os quais, François Hollande, ex-presidente da França e tendo reunião com o renomado economista Thomas Piketti, autor de O Capital no Século 21, e com todos, discutiu a questão da desigualdade social com a autoridade de quem liderou um governo que tirou o País do Mapa da Fome e fez a maior distribuição de renda do Século 21, cravando para o mundo inteiro, menos para O Globo, a Folha e o Estadão, o conceito que foi manchete  nos maiores Jornais da Europa: "Não haverá diminuição da desigualdade se a gente não mexer no coração da riqueza".
Na mesma semana em que Lula se impõe e eleva o Brasil perante o mundo, o presidente Bolsonaro se destaca por comandar milícias e incentivar rebelião policias fascistas no Ceará.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

Enfim, o Brasil está chegando ao limiar de uma constatação definitiva: ou Lula, ou a barbárie. Fevereiro terminou e a economia está aturdida com os desfiles das Escolas de Samba do Rio de Janeiro e de São Paulo, com as vitórias das Ganhadeiras de Itararé e Paulo Freire e com Sambas Enredos como os da Mangueira; "Não tem futuro sem partilha, nem Messias de arma na mão" e São Clemente.
 O Deus mercado está em polvorosa, assombrado pelo espectro da crise de 2007, que eles mandam seus locutores dizerem que foi em 2008.
Ao que tudo indica, o Coronavírus nada tem a ver com o descontrole capitalista que já faz o Dólar bater na casa dos R$ 4,50 e a Bovespa despencar 7%.
Quem está por trás da hecatombe é a falta de credibilidade e de eficácia das soluções tecnicistas da grande crise e das soluções buscadas com mentiras, mentiras, mentiras; dos canalhas, canalhas, canalhas!
As raízes estão na crise do Sub Prime, porque desde 2008 eles espalham mentiras para desestabilizarem governos democráticos, em busca de saídas para o que perdem com as quedas das taxas de lucratividade e com a estrangulação do vício do dinheiro fazendo dinheiro, com produção decadente.
Depois de verem o quanto são dispendiosas as táticas de guerras sangrentas no Oriente Médio e na Mesopotâmia, retornaram à América do Sul para roubarem as jazidas de Petróleo, Gás Natural, Nióbio e lítio.
Como o tempo da "mentira tem pernas curtas" foi superado pelo da "mentira tem WhatsApp está cada vez mais mostrado e entendido os golpes da Bolívia e do Brasil e as tentativas de derrubar o governo da Venezuela.
Aos poucos as mentiras espalhadas para derrubar governos vão ficando escancaradas como as recentes constatações feitas pelos membros da OEA de que foi efetuado um golpe na Bolívia e que a fraude alegada na reeleição de Evo Morales nunca existiu.
Aqui no Brasil, também vem a público que investigadores da Polícia Federal afirmam que as tais planilhas da Odebrecht, usadas para condenar Lula, foram adulteradas.
Como a República do Brasil transformou-se em um paraíso de terra fértil para notícias mentirosas servirem como provas para incriminar adversários políticos, ao bel prazer dos controladores do dinheiro no mundo, veio à tona o escândalo do suposto romance de Michelle Bolsonaro com o então ministro Osmar Terra, com aparência de escândalo pré fabricado para ir enganando o público enquanto cortam a juba do Leão no picadeiro do Circo dos Horrores.
Uma coisa é certa: o jornalista que noticiou é o mesmo que quando trabalhou como editor da sucursal do jornal O Globo, em São Paulo, fabricou a primeira reportagem sobre o Triplex do Guarujá, que serviu como notícia crime para a abertura do processo que condenou Lula e abriu as porteiras para o gado enlouquecido eleger o marido, supostamente traído, e coroado com uma famosa peruca de touro, com um par de chifres.
Cada vez mais as notícias vindas de fora provam que o mundo repudia tudo que foi usado para dar golpes no intento de roubar riquezas e soberanias em países da América do Sul, que resultaram e estão resultando em políticas públicas que levaram as populações à extrema pobreza ou miséria absoluta.
O povo chileno, vítima das políticas entreguistas e massacrantes de Paulo Guedes já está há meses nas ruas lutando em busca da recuperação da estabilidade perdida e mandou recado para o sonolento povo brasileiro. "A torcida do Colo-Colo já lançou seu brado de repúdio a uma possível contratação de Luis Felipe Scolari como treinador, classificando-o como um sujeito nefasto que não teve vergonha de elogiar o genocida Pinochet e dizer que às vezes são necessárias várias violações dos Direitos Humanos para manter a ordem.
Uma semana depois de receber homenagem em Roma recebendo o símbolo maior da Cidade Eterna e do povo romano, a Loba que amamentou os Gêmeos Rômulo e Remo, chegou a vez de Lula voltar ao Velho Continente para receber o título de Cidadão Honorário de Paris, onde foi ovacionado e, depois da concorridíssima solenidade teve uma agenda de Chefe de Estado  debatendo com grandes líderes, entre os quais, François Hollande, ex-presidente da França e tendo reunião com o renomado economista Thomas Piketti, autor de O Capital no Século 21, e com todos, discutiu a questão da desigualdade social com a autoridade de quem liderou um governo que tirou o País do Mapa da Fome e fez a maior distribuição de renda do Século 21, cravando para o mundo inteiro, menos para O Globo, a Folha e o Estadão, o conceito que foi manchete  nos maiores Jornais da Europa: "Não haverá diminuição da desigualdade se a gente não mexer no coração da riqueza".
Na mesma semana em que Lula se impõe e eleva o Brasil perante o mundo, o presidente Bolsonaro se destaca por comandar milícias e incentivar rebelião policias fascistas no Ceará.

* Rômulo Rodrigues é militante político

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS