Semana decisiva

Rita Oliveira


Um dia depois do passeio do presidente Jair Bolsonaro no Distrito Federal, o  ministro da Saúde,  Luiz Henrique Mandetta, já mudou um pouco o seu discurso da necessidade de isolamento social no balanço feito ontem sobre a pandemia do novo coronavírus. Não falou mais em isolamento, mas distanciamento. Chegou a afirmar: "No momento, a gente deve manter o máximo grau de distanciamento social, para que a gente possa, nas regras que estão nos estados, dar tempo para que o sistema [de saúde] se consolide na sua expansão". Ameaçado de demissão pelo destaque no combate a pandemia e pelas suas posições em defesa do isolamento para conter o vírus, Mandetta, lamentavelmente, começa a ceder às pressões do presidente.

 

Semana decisiva

 

Apesar da evolução da pandemia de coro
navírus no Brasil, assim como no mundo, 
a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, considera prematuro o debate sobre adiamento das eleições deste ano. O entendimento é que há plenas condições materiais de cumprimento do calendário eleitoral.
O vice-presidente, ministro Luís Roberto Barroso, que estará na Presidência do TSE durante o próximo pleito, também tem o entendimento de que neste momento é prematuro tratar de adiamento das eleições municipais 2020.
É colocado que o TSE está acompanhando atentamente a evolução diária do cenário nacional, inclusive para eventuais reavaliações. E que estão mantidas as atividades essenciais à realização das eleições 2020.
Por conta disso, os vereadores que vão disputar a reeleição ou mandato de prefeito têm até esta sexta-feira para se utilizar da janela partidária para trocar de legenda sem o risco de perda do mandato, se assim desejar.
Assim, em meio a pandemia do Covid-19, os dirigentes partidários, vereadores e pré-candidatos vão ter somente quatro dias para tomar posição sobre filiação e fechamento da chapa de vereador, que será crucial para um resultado positivo nas urnas uma vez que a partir do pleito deste ano não haverá mais coligação nas eleições proporcionais.
O fim das coligações nas eleições proporcionais inviabiliza a existência de pequenos partidos, especialmente daquelas agremiações popularmente conhecidas por legendas de aluguel, tão nocivas ao regime democrático representativo brasileiro, as quais, paulatinamente e afortunadamente, acabarão por desaparecer do cenário político nacional.  Isso provocará um troca-troca de partido dos vereadores com mandato.
Com isso, nesses quatro dias que restam para o fechamento da janela partidária em Sergipe muitos que pretendem disputar as eleições deste ano já decidiram. Mas, um número ainda expressivo, ainda faz conta para saber em qual partido tem mais chance de se eleger.
Essa realidade está sendo uma dor de cabeça para os dirigentes partidários que precisam fechar a chapa até a próxima sexta-feira.
Até porque quem não tiver chapa pronta em 3 de abril não terá em 4 de outubro, quando ocorrerá o primeiro turno das eleições municipais 2020.

Apesar da evolução da pandemia de coro navírus no Brasil, assim como no mundo,  a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, considera prematuro o debate sobre adiamento das eleições deste ano. O entendimento é que há plenas condições materiais de cumprimento do calendário eleitoral.
O vice-presidente, ministro Luís Roberto Barroso, que estará na Presidência do TSE durante o próximo pleito, também tem o entendimento de que neste momento é prematuro tratar de adiamento das eleições municipais 2020.
É colocado que o TSE está acompanhando atentamente a evolução diária do cenário nacional, inclusive para eventuais reavaliações. E que estão mantidas as atividades essenciais à realização das eleições 2020.
Por conta disso, os vereadores que vão disputar a reeleição ou mandato de prefeito têm até esta sexta-feira para se utilizar da janela partidária para trocar de legenda sem o risco de perda do mandato, se assim desejar.
Assim, em meio a pandemia do Covid-19, os dirigentes partidários, vereadores e pré-candidatos vão ter somente quatro dias para tomar posição sobre filiação e fechamento da chapa de vereador, que será crucial para um resultado positivo nas urnas uma vez que a partir do pleito deste ano não haverá mais coligação nas eleições proporcionais.
O fim das coligações nas eleições proporcionais inviabiliza a existência de pequenos partidos, especialmente daquelas agremiações popularmente conhecidas por legendas de aluguel, tão nocivas ao regime democrático representativo brasileiro, as quais, paulatinamente e afortunadamente, acabarão por desaparecer do cenário político nacional.  Isso provocará um troca-troca de partido dos vereadores com mandato.
Com isso, nesses quatro dias que restam para o fechamento da janela partidária em Sergipe muitos que pretendem disputar as eleições deste ano já decidiram. Mas, um número ainda expressivo, ainda faz conta para saber em qual partido tem mais chance de se eleger.
Essa realidade está sendo uma dor de cabeça para os dirigentes partidários que precisam fechar a chapa até a próxima sexta-feira.
Até porque quem não tiver chapa pronta em 3 de abril não terá em 4 de outubro, quando ocorrerá o primeiro turno das eleições municipais 2020.

Dificuldade

O ex-governador Jackson Barreto, presidente municipal do MDB, é um dos que enfrenta dificuldades para fechar chapa de vereador em Aracaju. Até o final de semana tinham 18 nomes definidos, quando um partido pode inscrever uma chapa com até 36 nomes.

Já filiados

Entre os novos filiados do MDB em Aracaju o ex-secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) e ex-presidente da Codise, Rosman Pereira, e o empresário Everton Souza. O ex-vereador Renilson Felix caminha para se filiar a legenda.

Baixa no PSB

O vereador de Aracaju, Lucas Aribé, confirmou ontem sua desfiliação do PSB do ex-senador Valadares e a filiação ao Cidadania do senador Alessandro Vieira. Explicou que seu ingresso no partido foi definido após meses de reflexão a respeito da atual conjuntura social do país e se deve principalmente pela afinidade de pensamento com a legenda. Com a saída de Aribé do PSB, o partido fica apenas com o vereador Elber Batalha na Casa.

No ninho tucano

O PSDB na Câmara Municipal de Aracaju, que perderá o único vereador para o PSD [Manuel Marcos) garante que o partido, diferente do publicado na coluna,  lançará chapa para a disputa proporcional na capital. Assegura que a legenda tem recebido novos filiados e o Diretório Municipal está organizando a chapa de pré-candidatos a vereador na capital. Os diretórios municipais do partido no interior também estão se organizando para o pleito, segundo a direção da sigla em Sergipe presidida pelo ex-senador Eduardo Amorim.  Agora é aguardar.    

Na grande Aracaju  

O PDT, que está se fortalecendo muito em Sergipe, terá pré-candidato a prefeito nos municípios da grande Aracaju.  Vai para a disputa com o prefeito Edvaldo Nogueira  em Aracaju;  com o deputado federal Fábio Henrique em Nossa Senhora do Socorro; Betão do Povo em  São Cristovão; e Adailtinho Martins (PSD), filho do deputado estadual Adailton Martins (PSD) e sobrinho do prefeito Airton Martins, na Barra dos Coqueiros.

Ainda não saiu

O vereador de Aracaju, Carlito Alves, e o Republicanos se entenderam de modo que o partido não o expulsaria em atendimento a uma solicitação das pré-candidatas da sigla,  deixando que pedisse a desfiliação exigida por elas. Até ontem não tinha feito isso. Só para lembrar

As 11 pré-candidatas do Republicanos protocolaram ata pedindo a expulsão do vereador pelo entendimento de que não tinha "conduta moral" para permanecer na legenda e disputar a reeleição, após ter se tornado público vídeos e conversas de whatsapp em que expos partes intimas em conversas com uma suposta menor de idade.

Só esperando

Segundo o presidente estadual do Republicanos, ex-deputado federal Jony Marcos, o partido vai esperar o pedido de desfiliação de Carlito Alves até a próxima sexta-feira. Diz que se ele não pedir pra sair, como ficou acordado, será expulso.

Salgado

O ex-prefeito de Salgado, Gilvando Barbosa (MDB), conseguiu a adesão de cinco vereadores a sua pré-candidatura a prefeito do município este ano.  Vão apoiar o projeto os vereadores: Miúdo do Tombo, Vandeilson da Saúde, Preta, Taty de Raimundão e Amaral. Gilvando vai para a eleição tendo como pré- candidat o a vice-prefeito Raimundão da Civil.

Glória

Em nossa Senhora da Glória a eleição municipal caminha para ser polarizada entre o ex-prefeito Serginho Oliveira (PSD) e o ex-deputado estadual Jairo de Glória (Republicanos).

Na contramão 1

Como não poderia ser diferente em meio à crise da pandemia do coronavírus o presidente Bolsonaro aprontou no final de semana. Contrariando o que recomenda a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde para que aglomerações sejam evitadas, saiu para passear no Distrito Federal, no domingo, oportunidade que reuniu muitas pessoas ao seu redor.

Na contramão 2

Bolsonaro continua fazendo pouco caso da pandemia. Além de querer o fim do isolamento social já disse à imprensa ter ciência que o covid-19 vai matar pessoas. "Alguns vão morrer? Vão, ué, lamento. Essa é a vida", disse em entrevista ao programa apresentado por Datena. Ao ser criticado por sair, disse que era preciso enfrentar o vírus como "homem, não como moleque". Já tinha se referido ao coronavírus como uma "gripezinha", um "resfriadinho".

Bombardeio 1

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) criticou a saída do presidente no domingo em Brasília.  "Difícil cobrar responsabilidade da população quando o mau exemplo vem da maior autoridade do país. O Capitão Corona hoje [ontem] foi promover aglomeração em uma das cidades-satélites mais populosas do DF (Ceilândia). Não siga Bolsonaro, cuide da sua vida. Ela vale mais que tudo!", disse, enfatizan do que o jornal Washington Post chegou a abordar o gesto de descaso e irresponsabilidade do presidente brasileiro com ações recomendadas pela OAS para combater a disseminação do coronavírus no país.

Bombardeio 2

Do deputado federal Fábio Henrique (PDT): "Fica uma pergunta no ar: devemos acreditar no ministro Mandetta e no mundo que pedem para ficarmos em casa ou no Jair Bolsonaro que diz na TV para voltarmos ao trabalho, aulas nas escolas, etc. Com a palavra o ministro Luis Henrique Mandetta".

Bombardeio 3

Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD): "Quem nos colocou em quarentena foi o governo e não a imprensa ou oposição. Foi Mandetta quem disse em rede nacional que vamos viver um colapso na saúde e precisávamos nos isolar. Aí vem o PR [presidente da República], desmoraliza seu ministro, a OMS e tenta responsabilizar imprensa, governadores e oposição".

Bombardeio 4

Do ex-presidente da OAB/SE, Henri Clay: "Não sei o porquê do espanto em relação à fala do presidente. Ele foi ele mesmo. Não é doido, é medonho. Não está só. É a voz oficial de empresários gananciosos, antiéticos, desumanos. É líder dessa gente obtusa. O Brasil vai se curar. Sairemos dessa". 

Mais light 1

Da senadora Maria do Carmo (DEM-SE), que defende a permanência do isolamento social: "O momento é difícil e de incertezas e todos precisam contribuir para que a situação não saia do controle. Deus está no comando de todas as coisas, mas precisamos fazer a nossa parte, não podemos negligenciar".

Mais light 2

Enfatiza que está no isolamento social, mas que há diversas proposituras sendo apresentadas e apreciadas no Senado com o intuito de encarar o problema de forma mais ampla e acertada. Cita, como exemplo, o esforço da bancada federal sergipana em realocar recursos de emendas para ações de enfrentamento ao problema no Estado e nos Municípios sergipanos. "Estamos juntos no mesmo barco. Precisamos ter paciência e sabedoria", declarou Maria, acrescentando que é hora de somar forças.

No STF 1

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e os deputados Felipe Rigoni (PSB-ES) e Tabata Amaral (PDT-SP) vão entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspensão imediata da campanha "O Brasil não pode parar", lançada pelo governo federal. Nos vídeos, o governo defende a flexibilização do isolamento social e a movimentação da economia.

No STF 2

Em nota, o senador Alessandro Vieira registrou que o lançamento de uma campanha publicitária "que não seja baseada no melhor entendimento dos especialistas do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde é contraproducente, prejudica a saúde do cidadão brasileiro e chega às raias de ser criminoso".

Veja essa ...

Do senador Alessandro Vieira: "Falando sobre crise atual, Jair Bolsonaro disse que tem o poder de interferir e vai continuar interferindo na atuação dos ministros. Está certo. O Congresso e o Judiciário também têm o poder e vão continuar corrigindo erros e excesso. Para os desavisados, o nome disso é democracia".

Curtas

O vereador Jason Neto (PDT) ressalta a importância de proteger os moradores de rua durante a fase de quarentena da pandemia. "Estado e prefeitura devem tomar medidas rápidas de proteção dessas pessoas. Distribuir álcool 70% e conscientizar sobre a importância de seguir as medidas de proteção que cada indivíduo deve ter. As pessoas também deve fazer sua parte de levar até eles alimento e proteção. Em um momento como esse não podemos virar as costas para os que mais precisam", disse o vereador. 

O parlamentar destacou que as medidas que estão sendo tomadas pelo estado e município esta sendo satisfatória. " Os mercados estão sendo desinfectados nas áreas internas e externas. O que já ajuda para aqueles moradores de rua que vivem naquele local",  avalia Jason Neto.

Depois da região Sudeste, com 2.507 casos, o Nordeste, com 790, é a região que está concentrando um maior número de casos do novo coronavírus. O Sul tem 593 diagnóstico da doença, o Centro-Oeste apresenta 435 e o Norte 254 casos.

No Brasil, até ontem à tarde, conforme dados do Ministério da Saúde, havia um registro de 159 mortes e 4.579 casos oficiais. Em Sergipe, os casos subiram de 16 para 18.   

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS