Mais de 250 famílias estão desabrigadas pelas enchentes

Geral


  • CHUVAS FORTES NAS ÚLTIMAS 48 HORAS PROVOCARAM GRANDE INUNDAÇÃO NA ÁREA CENTRAL DO MUNICÍPIO; OUTRAS REGIÕES FORAM ATINGIDAS

 

Milton Alves Júnior
Mais de 250 famílias em todo o estado de Sergipe ficaram ilhadas ou desabrigadas em virtude das fortes chuvas e rajadas de vento registrados nas últimas 24h, em especial, nas cidades interioranas de Riachuelo, Estância, Pedrinhas, Itaporanga d'Ajuda, Itabaiana, e Laranjeiras. Neste último município, o volume da água das chuvas foi intenso ao ponto contribuir para o transbordamento do Rio Cotinguiba, o qual transcorre pelo centro da cidade. Com o alagamento, mais de 100 pessoas ficaram ilhadas ou necessitaram deixar as respectivas residências. Alagamentos também foram registrados em ruas e avenidas da cidade de Riachuelo. Situação semelhante ocorreu no município de Estância, no Povoado Porto do Mato, onde 11 famílias precisaram deixar as casas e aguardar o escoamento da água.
Já na rodovia SE-255, no trecho que interligam os municípios de Itaporanga d'Ajuda e Itabaiana, uma cratera foi aberta em uma obra do Governo de Sergipe que se arrasta há sete anos. De acordo com o assessor de comunicação de Itaporanga, a prefeitura tem trabalhado junto à administração executiva estadual a fim de agilizar o processo de finalização da obra, porém, a força das chuvas tem impossibilitado, e prejudicado a conclusão dos serviços. Ainda de acordo com a gestão municipal, não há previsão para o início dos serviços de reparo na cratera. Desde a madrugada da última terça-feira, 19, o volume de água das chuvas acumula mais de 20 mm. Na capital sergipana, Aracaju, sinais de alerta voltaram a ser emitidos pela Defesa Civil.
Atingindo no final da manhã 90% da sua capacidade de armazenamento, o Rio Poxim gerava riscos de transbordamento e forçou para que a Prefeitura de Aracaju passasse a chamar a atenção dos moradores para possibilidade de inundações. Com a continuidade das chuvas, às 14h esse nível já havia atingido 99%. Esse sinal de alerta é direcionado, em especial, para milhares de moradores que residem nas proximidades do rio, principalmente na região Oeste da cidade, onde se localizam os conjuntos Sol Nascente e Santa Lúcia. Nos últimos cinco anos o registro de transbordamentos tem aumentado, e provocado o desalojamento de centenas de famílias. A vulnerabilidade do local é confirmada por técnicos da Defesa Civil.
Em mensagens encaminhadas via SMS, todas as pessoas que moram nas proximidades do rio Poxim devem ficar atentas aos riscos de transbordamentos bem como aos demais problemas. Em caso de emergência, a Defesa Civil estadual pode ser acionada através do número: 199. De forma mais intensa ao que inicialmente foi previsto pelo Departamento de Meteorologista da Superintendência Especial dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente (SERHMA) - 50 mm de chuva - no início da tarde de ontem, no litoral sergipano, esse volume já ultrapassava a casa dos 160 mm; o Agreste do estado teve entre 90 e 150 milímetros, e o Sertão registrou um volume de chuva entre 40 e 80 mm.

Milton Alves Júnior

Mais de 250 famílias em todo o estado de Sergipe ficaram ilhadas ou desabrigadas em virtude das fortes chuvas e rajadas de vento registrados nas últimas 24h, em especial, nas cidades interioranas de Riachuelo, Estância, Pedrinhas, Itaporanga d'Ajuda, Itabaiana, e Laranjeiras. Neste último município, o volume da água das chuvas foi intenso ao ponto contribuir para o transbordamento do Rio Cotinguiba, o qual transcorre pelo centro da cidade. Com o alagamento, mais de 100 pessoas ficaram ilhadas ou necessitaram deixar as respectivas residências. Alagamentos também foram registrados em ruas e avenidas da cidade de Riachuelo. Situação semelhante ocorreu no município de Estância, no Povoado Porto do Mato, onde 11 famílias precisaram deixar as casas e aguardar o escoamento da água.
Já na rodovia SE-255, no trecho que interligam os municípios de Itaporanga d'Ajuda e Itabaiana, uma cratera foi aberta em uma obra do Governo de Sergipe que se arrasta há sete anos. De acordo com o assessor de comunicação de Itaporanga, a prefeitura tem trabalhado junto à administração executiva estadual a fim de agilizar o processo de finalização da obra, porém, a força das chuvas tem impossibilitado, e prejudicado a conclusão dos serviços. Ainda de acordo com a gestão municipal, não há previsão para o início dos serviços de reparo na cratera. Desde a madrugada da última terça-feira, 19, o volume de água das chuvas acumula mais de 20 mm. Na capital sergipana, Aracaju, sinais de alerta voltaram a ser emitidos pela Defesa Civil.
Atingindo no final da manhã 90% da sua capacidade de armazenamento, o Rio Poxim gerava riscos de transbordamento e forçou para que a Prefeitura de Aracaju passasse a chamar a atenção dos moradores para possibilidade de inundações. Com a continuidade das chuvas, às 14h esse nível já havia atingido 99%. Esse sinal de alerta é direcionado, em especial, para milhares de moradores que residem nas proximidades do rio, principalmente na região Oeste da cidade, onde se localizam os conjuntos Sol Nascente e Santa Lúcia. Nos últimos cinco anos o registro de transbordamentos tem aumentado, e provocado o desalojamento de centenas de famílias. A vulnerabilidade do local é confirmada por técnicos da Defesa Civil.
Em mensagens encaminhadas via SMS, todas as pessoas que moram nas proximidades do rio Poxim devem ficar atentas aos riscos de transbordamentos bem como aos demais problemas. Em caso de emergência, a Defesa Civil estadual pode ser acionada através do número: 199. De forma mais intensa ao que inicialmente foi previsto pelo Departamento de Meteorologista da Superintendência Especial dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente (SERHMA) - 50 mm de chuva - no início da tarde de ontem, no litoral sergipano, esse volume já ultrapassava a casa dos 160 mm; o Agreste do estado teve entre 90 e 150 milímetros, e o Sertão registrou um volume de chuva entre 40 e 80 mm.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS