LN aguarda posiçãoda CBF sobre torneio

Esporte

 

LN aguarda posição
da CBF sobre torneio
Há dois meses paralisada, por conta da covid-19, e sem qualquer previsão de retorno, a Copa do Nordeste vive dias de incerteza, com relação ao calendário para a conclusão da competição. Precisando de cinco datas para finalizar o torneio, o presidente da Liga do Nordeste, Eduardo Rocha, deixou o futuro da disputa a cargo da CBF, organizadora oficial do evento.
- Não temos nenhuma definição sobre a Copa do Nordeste. Estamos esperando uma posição da CBF e das autoridades dos estados e municípios. Não temos previsão de volta e como será essa volta vai depender do que a CBF irá definir.
Considerando apenas as competições chanceladas pela CBF, serão necessárias 38 datas para as realizações das Séries A e B, além de 11 para a Copa do Brasil e mais cinco para Copa do Nordeste. Este cenário que fez com que Eduardo reconhecesse as dificuldades de encaixar todo o calendário ainda em 2020.
- Está ficando apertado para todo mundo. Se o Brasileiro mantiver a fórmula, que é o desejo dos clubes, creio que poderemos ter que disputar jogos no próximo ano. É uma situação muito difícil, porque não há prazo para volta.
Apesar da incerteza, Eduardo acredita que a Copa do Nordeste não corre risco de ser dada por encerrada. Na avaliação dele, o torneio precisa ser finalizado em campo. "Acredito que temos que acabar em campo. Até pelo respeito aos torcedores e aos clubes. Competição que começou precisa acabar em campo. Mas como isso será feito vai depender da CBF", concluiu.

Há dois meses paralisada, por conta da covid-19, e sem qualquer previsão de retorno, a Copa do Nordeste vive dias de incerteza, com relação ao calendário para a conclusão da competição. Precisando de cinco datas para finalizar o torneio, o presidente da Liga do Nordeste, Eduardo Rocha, deixou o futuro da disputa a cargo da CBF, organizadora oficial do evento.
- Não temos nenhuma definição sobre a Copa do Nordeste. Estamos esperando uma posição da CBF e das autoridades dos estados e municípios. Não temos previsão de volta e como será essa volta vai depender do que a CBF irá definir.
Considerando apenas as competições chanceladas pela CBF, serão necessárias 38 datas para as realizações das Séries A e B, além de 11 para a Copa do Brasil e mais cinco para Copa do Nordeste. Este cenário que fez com que Eduardo reconhecesse as dificuldades de encaixar todo o calendário ainda em 2020.
- Está ficando apertado para todo mundo. Se o Brasileiro mantiver a fórmula, que é o desejo dos clubes, creio que poderemos ter que disputar jogos no próximo ano. É uma situação muito difícil, porque não há prazo para volta.
Apesar da incerteza, Eduardo acredita que a Copa do Nordeste não corre risco de ser dada por encerrada. Na avaliação dele, o torneio precisa ser finalizado em campo. "Acredito que temos que acabar em campo. Até pelo respeito aos torcedores e aos clubes. Competição que começou precisa acabar em campo. Mas como isso será feito vai depender da CBF", concluiu.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS