Procura por \"Divórcio\" é um dos temas que mais cresceram no Nordeste

Gilvan Manoel


  • A vaquejada estava sendo realizada em Porto da Folha: desrespeito as normas sanitárias

 

A crise gerada pelo novo coronavírus 
provocou diversas mudanças na so
ciedade, tanto na economia, como nas relações pessoais, é o que aponta um levantamento realizado pela Dubbio - plataforma que esclarece dúvidas jurídicas e conecta gratuitamente cidadãos a advogados. No Nordeste, entre os assuntos jurídicos que tiveram o maior crescimento durante a pandemia estão temas como "Direito Trabalhista" e "Divórcio".
Somente no Nordeste, a busca por "Direitos Trabalhistas" cresceu 52% de março a junho, na comparação com o mesmo período de 2019. A segunda posição nessa lista ficou com "Imóvel / Aluguel", que apresentou alta de 45% no período avaliado. O terceiro termo que mais cresceu a procura entre os nordestinos também está ligado diretamente ao bolso e foi "Cobrança Indevida / Abusiva", que subiu 31%.
"Com o aumento do desemprego, falência de empresas e a desaceleração da economia, os brasileiros se viram diante de várias situações inesperadas e passaram a procurar mais sobre os seus direitos. O estado de calamidade pública reconhecido pelo governo também foi essencial para ajudar as pessoas que buscavam por renegociação, em casos como contratos de aluguel, por exemplo", comenta Tomaz Chaves, CEO da Dubbio. 
Mas os assuntos jurídicos mais pesquisados não ficaram restritos somente à relações profissionais e se estenderam à família. A busca por "Pensão Alimentícia" cresceu no Nordeste 29% durante a pandemia do novo coronavírus, ocupando a quarta posição no ranking de pesquisas que mais cresceram no período. 
O quinto assunto que apresentou maior crescimento entre os nordestinos no período está diretamente relacionado à convivência e aos desentendimentos agravados durante a quarentena. A procura pelo  tema "Divórcio" teve alta de 22% no período avaliado, com muitos casais que buscaram mais informações sobre separação. 
"Muitas pessoas já tinham problemas de relacionamento antes, que foram intensificados com o convívio na quarentena. Com o estresse gerado pelos problemas de saúde, financeiros, entre outros, os   casais passaram a ter mais dificuldades para administrar no casamento", comenta Tomaz Chaves.

A crise gerada pelo novo coronavírus  provocou diversas mudanças na so ciedade, tanto na economia, como nas relações pessoais, é o que aponta um levantamento realizado pela Dubbio - plataforma que esclarece dúvidas jurídicas e conecta gratuitamente cidadãos a advogados. No Nordeste, entre os assuntos jurídicos que tiveram o maior crescimento durante a pandemia estão temas como "Direito Trabalhista" e "Divórcio".
Somente no Nordeste, a busca por "Direitos Trabalhistas" cresceu 52% de março a junho, na comparação com o mesmo período de 2019. A segunda posição nessa lista ficou com "Imóvel / Aluguel", que apresentou alta de 45% no período avaliado. O terceiro termo que mais cresceu a procura entre os nordestinos também está ligado diretamente ao bolso e foi "Cobrança Indevida / Abusiva", que subiu 31%.
"Com o aumento do desemprego, falência de empresas e a desaceleração da economia, os brasileiros se viram diante de várias situações inesperadas e passaram a procurar mais sobre os seus direitos. O estado de calamidade pública reconhecido pelo governo também foi essencial para ajudar as pessoas que buscavam por renegociação, em casos como contratos de aluguel, por exemplo", comenta Tomaz Chaves, CEO da Dubbio. 
Mas os assuntos jurídicos mais pesquisados não ficaram restritos somente à relações profissionais e se estenderam à família. A busca por "Pensão Alimentícia" cresceu no Nordeste 29% durante a pandemia do novo coronavírus, ocupando a quarta posição no ranking de pesquisas que mais cresceram no período. 
O quinto assunto que apresentou maior crescimento entre os nordestinos no período está diretamente relacionado à convivência e aos desentendimentos agravados durante a quarentena. A procura pelo  tema "Divórcio" teve alta de 22% no período avaliado, com muitos casais que buscaram mais informações sobre separação. 
"Muitas pessoas já tinham problemas de relacionamento antes, que foram intensificados com o convívio na quarentena. Com o estresse gerado pelos problemas de saúde, financeiros, entre outros, os   casais passaram a ter mais dificuldades para administrar no casamento", comenta Tomaz Chaves.

Transparência

Um ranking divulgado pela organização não-governamental Transparência Internacional aponta que a pressão da sociedade influenciou positivamente para que governadores e prefeitos fossem mais transparentes na divulgação de dados sobre contratações emergenciais para o enfrentamento do novo coronavírus. De acordo com a atualização do Ranking de Transparência no Combate à Covid-19, 12 estados e 15 capitais brasileiras que tiveram avaliação Regular ou Péssima há um mês, passaram para as categorias Bom ou Ótimo.

Avaliação

A escala de avaliação vai de zero a 100 pontos, sendo zero péssimo, indicando que o ente é avaliado como totalmente opaco; e 100 ótimo, mostrando que governo ou prefeitura oferece alto grau de transparência. O resultado foi divulgado na madrugada de hoje (29), um mês após a divulgação do primeiro levantamento. Entre as administrações públicas avaliadas, não há mais nenhuma com nível de transparência péssimo. Os dados mais recentes mostram que também não há mais nenhum estado avaliado como ruim. 

Sergipe

Pela pesquisa, Sergipe ficou em 22º lugar entre os estados, com 65,8 pontos, conceito Bom. Entre uma pesquisa e outra subiu 20 pontos; já Aracaju ficou em 17º lugar entre as capitais, com 64,5 pontos, também conceito Bom. Subiu 14 pontos entre as pesquisas.

Fake news

A votação do projeto de lei que visa combater notícias falsas disseminadas pelas redes sociais (PL 2.630/2020), do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE),  ainda está na pauta da sessão desta terça-feira (30) no Plenário, mas sem confirmação, segundo a agenda legislativa publicada no site do Senado. O impasse levou ao adiamento da reunião de líderes prevista para esta segunda, e sua remarcação para as 10h30 da terça-feira (30). A líder do Cidadania, senadora Eliziane Gama (MA), informou, no entanto, por meio da assessoria, que há entendimento para votação da matéria.

Sem consenso

O projeto esteve na pauta da sessão da quinta-feira (25), mas a votação foi adiada por falta de consenso. O líder do MDB, senador Eduardo Braga (AM), explicou que a oposição de vários colegas se devia ao fato de terem pouco tempo para estudar o relatório ao projeto, apresentado na semana passada pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA). Assim, Braga propôs que a votação fosse transferida para permitir a adesão de mais senadores.

Covardes

Para o líder do PT, senador Rogério Carvalho (SE), as fake news "são armas de covardes, pessoas que precisam da mentira para viver na política". Em sua conta no Twitter nesta segunda-feira, Carvalho completou: "Todo cidadão honesto precisa se empenhar em combater essa prática criminosa".

Eleições

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse ontem (29) que ainda está longe de um acordo para votar na Casa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/20, que adia as eleições municipais deste ano, previstas para outubro, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). O texto, aprovado na semana passada no Senado, prevê que o pleito seja realizado nos dias 15 e 29 de novembro, em vez das datas oficiais de 4 e 25 de outubro. 

Consenso

Rodrigo Maia disse que está trabalhando para que haja consenso para votar a matéria até quarta-feira (1°). "É importante que a Câmara tome a sua decisão. Estamos dialogando para construir o apoio necessário, até a unanimidade, para que a gente possa votar, mas ainda estamos longe disso. A nossa intenção é, com diálogo, chegar até quarta-feira (1º) a uma solução para esse problema", disse durante coletiva ao lado do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, e do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), depois de uma reunião reservada.

Adiamento

Maia, que defende o adiamento do pleito, lembrou que pelo atual calendário eleitoral, o dia 4 de julho já impõe uma série de restrições nas condutas de agentes públicos e servidores que podem afetar a igualdade de oportunidades entre candidatos nos pleitos eleitorais. "A decisão de votar a PEC precisa acontecer essa semana, até porque temos o prazo de 4 de julho, que é muito importante. São milhares de servidores públicos que pretendem disputar a eleição, certamente muitos na área da saúde, que precisam da informação para tomar a sua decisão", disse.

Aglomeração

O secretário da Segurança Pública, João Eloy de Menezes, determinou abertura de procedimento investigativo para apurar informações e fotos que mostram uma reunião de pessoas em um sítio da cidade de Japaratuba, de propriedade do ex-prefeito Hélio Sobral, ocorrido no início de junho. O delegado Jonathas Evangelista foi comunicado sobre a determinação e iniciará o procedimento com o suporte da Delegacia de Japaratuba.

Adesão

A festa foi realizada para comemorar a adesão do ex-prefeito à chapa da prefeita da cidade, Lara Moura. As fotos mostram diversas pessoas reunidas no sítio, entre elas o ex-deputado federal André Moura e o deputado estadual Zezinho Sobral. As imagens revelam ainda flagrante descumprimento do que determina o decreto governamental, que define regras para diminuir a incidência de casos da Covid-19 em Sergipe.

Crimes

A SSP lembra que tal postura pode incidir em práticas de alguns crimes previstos no Código Penal e que têm sido utilizados por autoridades policiais para responsabilizar pessoas nesse período da quarentena e de normas definidas pelo Poder Público, a exemplo do crime de desobediência e contra a saúde pública.

Flagrantes

No final de semana equipes da Polícia Militar flagraram aglomerações no interior do estado: em Boquim, foi fechada uma rinha de galos com a presença de dezenas de pessoas; em Porto da Folha estava sendo realizada uma vaquejada, que também foi encerrada e os responsáveis detidos.

Saneamento

O deputado estadual Iran Barbosa (PT) emitiu uma nota de repúdio em manifesto à aprovação, Senado Federal, do Projeto de Lei 4.162/2019, que fixou o novo marco regulatório do saneamento básico no Brasil. "A aprovação do citado projeto merece o nosso mais firme repúdio, por inúmeras e consistentes razões", pontuou o deputado, não escondendo o seu inconformismo com a proposta.

Pressa

Iran lamenta que uma matéria tão importante e estratégia para o futuro do País tenha sido apreciada e votada em uma sessão remota, sem espaço para maior debate e em meio à maior crise sanitária da história do país e do mundo. "A instrumentalização de um momento tão dramático para aprovar medida de tamanha dimensão atesta, por si só, a gravidade política de sua aceitação pelos que acompanharam o voto do relator, o senador cearense Tasso Jereissati (PSDB), que não acatou nenhuma das mais de 80 emendas apresentadas ao Projeto de Lei".

Currículo

O Planalto decidiu ontem adiar a posse de Carlos Alberto Decotelli no Ministério da Educação, que estava prevista para esta terça-feira. Medida foi tomada depois que a Universidade de Wuppertal, na Alemanha, informou que  Decotelli não realizou pós-doutorado na instituição, como ele diz em seu currículo. O ministro também foi desmentido pela Universidade de Rosário, na Argentina, que afirmou que ele não possui o título de doutor pela instituição. Além desta, há também denúncia de plágio na dissertação de mestrado do ministro.

Efeito da covid-19

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), apontou que a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), em Sergipe, totalizou pouco mais de R$ 210,6 milhões, em maio deste ano. Em termos relativos, verificou-se redução real de 28,2% na arrecadação em relação a maio de 2019, considerando o efeito da inflação medida pelo IPCA. Por outro lado, no comparativo com a quantia arrecadada em abril último, verificou-se retração real de 15,9%.

Queda

A arrecadação do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), no mês analisado, somou aproximadamente R$ 11,6 milhões. Em termos relativos, houve decréscimo real de 30,6% no comparativo com maio do ano passado. Já em relação ao mês imediatamente anterior, abril deste ano, foi observado aumento real. O recolhimento do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD) ficou em R$ 927,4 mil, enquanto as taxas pagas em função da contraprestação de algum serviço público recolheram mais de R$ 165,7 mil aos cofres do estado, no mês analisado.

Com agências

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS