\'Exames represados\' continuam puxando alta de casos

Cidades

 

Subiu para 24.817 o nú-
mero de casos confirma
dos de coronavírus em Sergipe, desde o início da pandemia, com 653 mortos. O balanço foi divulgado ontem pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), com base nos dados das secretarias estaduais da área. Somente ontem, foram 396 pacientes infectados, mas os dados também incluem a soma de 2.513 novoscasos registrados nos boletins epidemiológicos de sábado e domingo. Desse total, 1.437 correspondem aos chamados 'exames represados', que foram realizados entre 18 e 22 de junho e processados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, mas só agora tiveram seus resultados confirmados.
Conforme o JORNAL DO DIA informou na edição deste domingo, estes exames atrasados aumentaram o volume de casos da doença, com acréscimos acima da média de 400 confirmações diárias. Um total de 2.168 amostras que estavam acumuladas no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) foi enviado para feitura e processamento na Fiocruz. De acordo com a Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH), a liberação dos resultados destas amostras foi concluída neste sábado pelo Lacen, o que, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), ajudou a aumentar os casos da doença. 
"A parceria do Lacen com a Fundação Oswaldo Cruz visa garantir o acesso de forma mais rápida aos resultados dos testes que são realizados com a metodologia RT-PCR de biologia molecular. Por esse processo a amostra passa pelo processamento, extração e amplificação do RNA do vírus para confirmação ou não do coronavirus", explica o superintendente do Lacen, Cliomar Alves, informando ainda que as equipes do Lacen prosseguem com as análises no mesmo ritmo de trabalho, ou seja, durante 24 horas. O laboratório recebeu uma média diária de 800 amostras na última semana das Unidades de Pronto Atendimento (UPA), Unidades Básicas de Saúde (UBS), hospitais e maternidades no Estado. Segundo dados do serviço de Biologia Molecular, de março a até 28 de junho, a unidade já processou mais de 30.000 amostras de material coletado de pacientes para detecção da Covid-19.
A mesma explicação é relacionada ao número de mortos, que teve um acréscimo de 74 registros nos últimos três dias. Foram 33 mortes confirmadas no balanço de ontem, 15 no de domingo e 26 no de sábado. A maioria dos casos foi na capital. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, foram 11 óbitos, sendo oito homens: 66 anos, tireoidite de hashimoto (óbito dia 27); 65 anos, hipertensão e obesidade (óbito dia 27); 73 anos, cardiopatia e hipertensão (óbito dia 28); 80 anos, sem registro de comorbidades (óbito dia 28); 70 anos, hipertensão, diabetes e amaurose bilateral (óbito dia 28); 75 anos, obesidade e hipertensão (óbito dia 29); 90 anos, sem registro de comorbidades (óbito dia 28); 44 anos, obesidade (óbito dia 28). E três eram mulheres: 66 anos, sem registro de comorbidades (óbito dia 28); 88 anos, hipertensão e cardiopatia (óbito dia 27); 91 anos, diabetes e hipertensão (óbito dia 28).
Dos novos casos confirmados, 112 são mulheres, com idades entre um e 87 anos; e 123 homens, com idades entre oito e 90 anos.Com isso, sobe para 14.486 o número de pessoas diagnosticadas com covid-19 em Aracaju. Destas, 322 estão internadas em hospitais; 6.510 estão em isolamento domiciliar; 7.382, que estavam infectadas, já estão recuperadas; e 272 vieram a óbito.Dos 121 casos suspeitos, que aguardam resultados de exames para detecção da doença, todos estão internados. Os dados da SMS foram divulgados às 19h de ontem.
No Brasil - O Brasil teve 727 mortes registradas em razão do novo coronavírus em 24 horas, mostra levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. Com isso, são 58.385 óbitos pela Covid-19 até este segunda-feira (29) no país: 58.385 mortes; eram 57.658 até 20h deste domingo (28); uma diferença de 727 óbitos.
1.370.488 casos confirmados; eram 1.345.254 infectados até a noite do domingo, ou seja, houve um aumento de 25.234 infectados.

Subiu para 24.817 o nú- mero de casos confirma dos de coronavírus em Sergipe, desde o início da pandemia, com 653 mortos. O balanço foi divulgado ontem pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), com base nos dados das secretarias estaduais da área. Somente ontem, foram 396 pacientes infectados, mas os dados também incluem a soma de 2.513 novoscasos registrados nos boletins epidemiológicos de sábado e domingo. Desse total, 1.437 correspondem aos chamados 'exames represados', que foram realizados entre 18 e 22 de junho e processados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, mas só agora tiveram seus resultados confirmados.
Conforme o JORNAL DO DIA informou na edição deste domingo, estes exames atrasados aumentaram o volume de casos da doença, com acréscimos acima da média de 400 confirmações diárias. Um total de 2.168 amostras que estavam acumuladas no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) foi enviado para feitura e processamento na Fiocruz. De acordo com a Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH), a liberação dos resultados destas amostras foi concluída neste sábado pelo Lacen, o que, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), ajudou a aumentar os casos da doença. 
"A parceria do Lacen com a Fundação Oswaldo Cruz visa garantir o acesso de forma mais rápida aos resultados dos testes que são realizados com a metodologia RT-PCR de biologia molecular. Por esse processo a amostra passa pelo processamento, extração e amplificação do RNA do vírus para confirmação ou não do coronavirus", explica o superintendente do Lacen, Cliomar Alves, informando ainda que as equipes do Lacen prosseguem com as análises no mesmo ritmo de trabalho, ou seja, durante 24 horas. O laboratório recebeu uma média diária de 800 amostras na última semana das Unidades de Pronto Atendimento (UPA), Unidades Básicas de Saúde (UBS), hospitais e maternidades no Estado. Segundo dados do serviço de Biologia Molecular, de março a até 28 de junho, a unidade já processou mais de 30.000 amostras de material coletado de pacientes para detecção da Covid-19.
A mesma explicação é relacionada ao número de mortos, que teve um acréscimo de 74 registros nos últimos três dias. Foram 33 mortes confirmadas no balanço de ontem, 15 no de domingo e 26 no de sábado. A maioria dos casos foi na capital. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, foram 11 óbitos, sendo oito homens: 66 anos, tireoidite de hashimoto (óbito dia 27); 65 anos, hipertensão e obesidade (óbito dia 27); 73 anos, cardiopatia e hipertensão (óbito dia 28); 80 anos, sem registro de comorbidades (óbito dia 28); 70 anos, hipertensão, diabetes e amaurose bilateral (óbito dia 28); 75 anos, obesidade e hipertensão (óbito dia 29); 90 anos, sem registro de comorbidades (óbito dia 28); 44 anos, obesidade (óbito dia 28). E três eram mulheres: 66 anos, sem registro de comorbidades (óbito dia 28); 88 anos, hipertensão e cardiopatia (óbito dia 27); 91 anos, diabetes e hipertensão (óbito dia 28).
Dos novos casos confirmados, 112 são mulheres, com idades entre um e 87 anos; e 123 homens, com idades entre oito e 90 anos.Com isso, sobe para 14.486 o número de pessoas diagnosticadas com covid-19 em Aracaju. Destas, 322 estão internadas em hospitais; 6.510 estão em isolamento domiciliar; 7.382, que estavam infectadas, já estão recuperadas; e 272 vieram a óbito.Dos 121 casos suspeitos, que aguardam resultados de exames para detecção da doença, todos estão internados. Os dados da SMS foram divulgados às 19h de ontem.

No Brasil -
O Brasil teve 727 mortes registradas em razão do novo coronavírus em 24 horas, mostra levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. Com isso, são 58.385 óbitos pela Covid-19 até este segunda-feira (29) no país: 58.385 mortes; eram 57.658 até 20h deste domingo (28); uma diferença de 727 óbitos.
1.370.488 casos confirmados; eram 1.345.254 infectados até a noite do domingo, ou seja, houve um aumento de 25.234 infectados.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS