No último dia de prazo, 1,9 mi têm auxílio emergencial em análise

Geral


  • Quem tiver benefício liberado receberá cinco parcelas mensais

 

Wellton Máximo
Agência Brasil 
No último dia de ca
dastramento para 
o auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), 1,9 milhão de brasileiros ainda estão com o pedido em análise, divulgou ontem (2) a Caixa Econômica Federal. Desse total, 1,2 milhão de pedidos estão em primeira análise e 700 mil estão em segunda análise, quando o cidadão que teve o benefício rejeitado e corrige dados ou contesta a não aprovação.
O vice-presidente de Rede de Varejo da Caixa, Paulo Henrique Angelo, explicou que quem tiver o benefício liberado depois do fim do prazo receberá as cinco parcelas previstas no programa, com intervalo mínimo de 30 dias entre cada uma. "A análise e a liberação do benefício dependem da Dataprev [estatal de tecnologia que verifica os cadastros]. A Caixa apenas recebe a lista e faz os pagamentos", explicou.
Em três meses de funcionamento, o auxílio emergencial pagou R$ 112,5 bilhões a 64,9 milhões de brasileiros. "Praticamente um a cada três adultos no país está recebendo o benefício", disse Angelo. Ele ressaltou que o programa é um dos maiores sistemas de transferência de renda do mundo.
Desse total, 31 milhões estão recebendo a terceira parcela, 8,7 milhões a segunda parcela e 1,1 milhão, que tiveram o benefício liberado na metade de junho, começaram a receber a primeira parcela. Existem ainda 19,2 milhões de inscritos no Bolsa Família incorporados automaticamente ao auxílio emergencial que acabaram de receber a terceira parcela.
Desde 7 de abril, quando começou o cadastramento para o auxílio emergencial, a Caixa recebeu 108,9 milhões de pedidos por meio do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial ou do site auxilio.caixa.gov.br. Desse total, 107,7 milhões foram processados, dos quais 65,2 milhões foram considerados elegíveis para receberem o benefício e 42,5 milhões tiveram o pedido rejeitado.

No último dia de ca dastramento para  o auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), 1,9 milhão de brasileiros ainda estão com o pedido em análise, divulgou ontem (2) a Caixa Econômica Federal. Desse total, 1,2 milhão de pedidos estão em primeira análise e 700 mil estão em segunda análise, quando o cidadão que teve o benefício rejeitado e corrige dados ou contesta a não aprovação.
O vice-presidente de Rede de Varejo da Caixa, Paulo Henrique Angelo, explicou que quem tiver o benefício liberado depois do fim do prazo receberá as cinco parcelas previstas no programa, com intervalo mínimo de 30 dias entre cada uma. "A análise e a liberação do benefício dependem da Dataprev [estatal de tecnologia que verifica os cadastros]. A Caixa apenas recebe a lista e faz os pagamentos", explicou.
Em três meses de funcionamento, o auxílio emergencial pagou R$ 112,5 bilhões a 64,9 milhões de brasileiros. "Praticamente um a cada três adultos no país está recebendo o benefício", disse Angelo. Ele ressaltou que o programa é um dos maiores sistemas de transferência de renda do mundo.
Desse total, 31 milhões estão recebendo a terceira parcela, 8,7 milhões a segunda parcela e 1,1 milhão, que tiveram o benefício liberado na metade de junho, começaram a receber a primeira parcela. Existem ainda 19,2 milhões de inscritos no Bolsa Família incorporados automaticamente ao auxílio emergencial que acabaram de receber a terceira parcela.
Desde 7 de abril, quando começou o cadastramento para o auxílio emergencial, a Caixa recebeu 108,9 milhões de pedidos por meio do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial ou do site auxilio.caixa.gov.br. Desse total, 107,7 milhões foram processados, dos quais 65,2 milhões foram considerados elegíveis para receberem o benefício e 42,5 milhões tiveram o pedido rejeitado.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS