Menos mal

Opinião

 

Em cumprimento à decisão liminar proferida pela 
Juíza Federal da 1ªV ara da Seção Judiciária do 
Estado de Sergipe na Ação Civil Pública, movida pelos Ministérios Públicos Federal, do Trabalho e Estadual, foi  suspensa o faseamento laranja previsto no Plano de Retomada Econômica. Trocando em miúdos: devagar com o andor, o santo é de barro.
Melhor assim. Até agora, a política de isolamento social adotada por governadores e prefeitos, criticada todos os dias pelo presidente Jair Bolsonaro, foi o único obstáculo capaz de preservar o Sistema Único de Saúde de um colapso. O risco, no entanto, ainda existe. Se o contágio se alastrar, a situação de falência pode se repetir também em Sergipe.
Não é caso para brincadeira. O Brasil já é o segundo País do mundo em número de mortos por coronavírus. De acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins, o país concentra mais de 10% de todas os óbitos derivados da pandemia no planeta.
Convém sublinhar, contudo, que a situação pode ser ainda mais dramática. As estatísticas correspondem aos casos confirmados por exame médico em um contexto de limitação e demora na testagem. O número real de contaminados, oculto pela subnotificação, é incalculável.
Fechar os olhos para a realidade não salvará ninguém. Neste momento, a retomada da atividade econômica está em conflito com as recomendações da comunidade científica mundial. Quem puder deve permanecer em casa. Por hora, apesar dos efeitos colaterais, o isolamento social é a única barreira eficiente contra a propagação do covid-19. Ainda que não seja imposto por força de decreto.

Em cumprimento à decisão liminar proferida pela  Juíza Federal da 1ªV ara da Seção Judiciária do  Estado de Sergipe na Ação Civil Pública, movida pelos Ministérios Públicos Federal, do Trabalho e Estadual, foi  suspensa o faseamento laranja previsto no Plano de Retomada Econômica. Trocando em miúdos: devagar com o andor, o santo é de barro.
Melhor assim. Até agora, a política de isolamento social adotada por governadores e prefeitos, criticada todos os dias pelo presidente Jair Bolsonaro, foi o único obstáculo capaz de preservar o Sistema Único de Saúde de um colapso. O risco, no entanto, ainda existe. Se o contágio se alastrar, a situação de falência pode se repetir também em Sergipe.
Não é caso para brincadeira. O Brasil já é o segundo País do mundo em número de mortos por coronavírus. De acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins, o país concentra mais de 10% de todas os óbitos derivados da pandemia no planeta.
Convém sublinhar, contudo, que a situação pode ser ainda mais dramática. As estatísticas correspondem aos casos confirmados por exame médico em um contexto de limitação e demora na testagem. O número real de contaminados, oculto pela subnotificação, é incalculável.
Fechar os olhos para a realidade não salvará ninguém. Neste momento, a retomada da atividade econômica está em conflito com as recomendações da comunidade científica mundial. Quem puder deve permanecer em casa. Por hora, apesar dos efeitos colaterais, o isolamento social é a única barreira eficiente contra a propagação do covid-19. Ainda que não seja imposto por força de decreto.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS