Empresas lideradas por mulheres negras são mais atingidas por pandemia

Geral


  • Em Sergipe ainda não há nenhum estudo sobre o retorno das aulas presenciais

 

As mulheres empreendedoras ne-
gras são o segmento mais afeta
do pela pandemia do novo coronavírus entre todos os grupos de empreendedores brasileiros. Pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), divulgada ontem (3) mostra que as empresas lideradas por mulheres negras têm maior dificuldade de funcionar de modo virtual e conseguir empréstimos bancários em razão do CPF negativado.
O levantamento, feito em parceria com a Fundação Getulio Vargas, revela ainda que os pequenos negócios liderados por esse grupo representam a maior proporção entre as empresas que ainda permanecem com a atividade interrompida.
A pesquisa ouviu 6.470 donos de pequenos negócios de todos os estados e do Distrito Federal, entre os dias 25 e 30 de junho. Os dados mostram que enquanto 36% das empreendedoras negras estão com a atividade interrompida temporariamente, essa proporção cai para 29% entre as empresárias brancas e 24% entre os homens brancos (entre os homens negros, a proporção é de 30%).
De acordo com o Sebrae, a dificuldade enfrentada pelas mulheres negras para manter suas atividades é explicada, em parte, pelo fato de que os seus negócios só conseguem operar de forma presencial (27%). Entre as mulheres brancas, a proporção cai para 21% e entre os empreendedores brancos, o segmento representa 20% (entre os empresários negros, o percentual é de 25%).
Considerando o acesso a crédito, segundo o levantamento, 58% daquelas que pediram empréstimo tiveram o crédito recusado. Ao analisar as razões apresentadas pelas instituições financeiras para a recusa, as mulheres negras apresentaram a maior proporção de CPF negativado (25%), contra 24% dos empresários negros, 17% de mulheres brancas e 15% de homens brancos.
As mulheres empreendedoras negras também apresentam uma proporção mais elevada de dívidas em atraso que as mulheres brancas à frente de um negócio. Enquanto 45% das empresárias negras enfrentam tal situação, essa é a realidade de 36% das mulheres brancas.
A pesquisa ainda revelou que as empresárias negras são as que menos têm negócios com empregados em regime de CLT (29%), elas são as que demitiram maior número médio de empregados (3 em média). O estudo também mostrou que as mulheres negras à frente de uma empresa têm a maior proporção de negócios que recorreram à redução de jornada e salários (29%).
De acordo com o Sebrae, o levantamento mostrou que a proporção dos empresários que já tomaram  a decisão definitiva de fechar ainda é baixa. Mas, pela amostra pesquisada, esta foi uma opção mais adotada entre as empreendedoras negras. Já desistiram de continuar em atividade 5% das mulheres negras donas de negócio, contra 4% no caso das mulheres brancas e homens brancos e 3% no caso dos homens negros.

As mulheres empreendedoras ne- gras são o segmento mais afeta do pela pandemia do novo coronavírus entre todos os grupos de empreendedores brasileiros. Pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), divulgada ontem (3) mostra que as empresas lideradas por mulheres negras têm maior dificuldade de funcionar de modo virtual e conseguir empréstimos bancários em razão do CPF negativado.
O levantamento, feito em parceria com a Fundação Getulio Vargas, revela ainda que os pequenos negócios liderados por esse grupo representam a maior proporção entre as empresas que ainda permanecem com a atividade interrompida.
A pesquisa ouviu 6.470 donos de pequenos negócios de todos os estados e do Distrito Federal, entre os dias 25 e 30 de junho. Os dados mostram que enquanto 36% das empreendedoras negras estão com a atividade interrompida temporariamente, essa proporção cai para 29% entre as empresárias brancas e 24% entre os homens brancos (entre os homens negros, a proporção é de 30%).
De acordo com o Sebrae, a dificuldade enfrentada pelas mulheres negras para manter suas atividades é explicada, em parte, pelo fato de que os seus negócios só conseguem operar de forma presencial (27%). Entre as mulheres brancas, a proporção cai para 21% e entre os empreendedores brancos, o segmento representa 20% (entre os empresários negros, o percentual é de 25%).
Considerando o acesso a crédito, segundo o levantamento, 58% daquelas que pediram empréstimo tiveram o crédito recusado. Ao analisar as razões apresentadas pelas instituições financeiras para a recusa, as mulheres negras apresentaram a maior proporção de CPF negativado (25%), contra 24% dos empresários negros, 17% de mulheres brancas e 15% de homens brancos.
As mulheres empreendedoras negras também apresentam uma proporção mais elevada de dívidas em atraso que as mulheres brancas à frente de um negócio. Enquanto 45% das empresárias negras enfrentam tal situação, essa é a realidade de 36% das mulheres brancas.
A pesquisa ainda revelou que as empresárias negras são as que menos têm negócios com empregados em regime de CLT (29%), elas são as que demitiram maior número médio de empregados (3 em média). O estudo também mostrou que as mulheres negras à frente de uma empresa têm a maior proporção de negócios que recorreram à redução de jornada e salários (29%).
De acordo com o Sebrae, o levantamento mostrou que a proporção dos empresários que já tomaram  a decisão definitiva de fechar ainda é baixa. Mas, pela amostra pesquisada, esta foi uma opção mais adotada entre as empreendedoras negras. Já desistiram de continuar em atividade 5% das mulheres negras donas de negócio, contra 4% no caso das mulheres brancas e homens brancos e 3% no caso dos homens negros.

Recurso

O Facebook e o Twitter informaram que vão recorrer da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes que determinou o bloqueio internacional dos perfis de usuários investigados pela Corte pela suposta divulgação de notícias falsas (fake news) e ameaças aos ministros.

Bloqueio

A manifestação da empresas foi divulgada após a decisão proferida pelo ministro, que estendeu o bloqueio nacional determinado por ele na semana passada. Segundo Moraes, o Facebook e o Twitter não fizeram o bloqueio internacional da visualização dos perfis, permitindo que as páginas sejam vistas fora do país e por usuários que estão no Brasil, por meio redes privadas de VPN, contornando a proibição.

Atingidos

Entre os usuários que tiveram as contas suspensas estão os jornalistas Allan dos Santos e Bernardo Kuster, os empresários Edgar Corona e Luciano Hang, o ex-deputado Roberto Jefferson e a ativista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter.

Fake news

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que vai acelerar a votação do projeto que combate as chamadas fake news após ataques sofridos pelo influenciador digital Felipe Neto. Neto tem um canal no YouTube com 39 milhões de inscritos e mais de dez bilhões de visualizações acumuladas. Crítico do governo Bolsonaro, o youtuber tem sido atacado nas redes sociais com acusações falsas e ameaças.  Na última quarta-feira (29), homens foram com um carro de som até a casa do de Felipe Neto fazer ataques verbais a ele.

A proposta

O Projeto de Lei 2630/20, já aprovado pelo Senado a partir de projeto do senador Alessandro Vieira (Cidadania), institui a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet. O texto cria medidas de combate à disseminação de conteúdo falso nas redes sociais, como Facebook e Twitter, e nos serviços de mensagens privadas, como WhatsApp e Telegram, excluindo-se serviços de uso corporativo e e-mail. As medidas valerão para as plataformas com mais de 2 milhões de usuários, inclusive estrangeiras, desde que ofertem serviços ao público brasileiro.

Motoristas

O deputado estadual Iran Barbosa (PT) propôs, através de Indicação, que sejam realizados estudos de viabilidade para que se promova, excepcionalmente, para os veículos devidamente cadastrados para a promoção da atividade de transporte escolar, a anistia, a isenção, a alíquota 0% ou a suspensão do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores  (IPVA)  e do Licenciamento Anual Veicular, durante este período de enfrentamento  ao novo coronavírus.

Sem trabalho

Iran destacou que os trabalhadores vinculados ao transporte escolar tiveram a sua atividade laborativa entre as primeiras a serem interrompidas, já que as atividades escolares se encontram suspensas em sua forma presencial e, muito provavelmente, será uma das últimas atividades econômicas a retornar. "É inegável a existência de uma crise econômica que atinge diversos contribuintes, em especial os que vivem da atividade de transporte escolar que teve a sua atividade interrompida desde meados de março", entende o deputado.

Japaratuba

O Ministério Público de Sergipe, por meio da Promotoria de Justiça de Japaratuba, recomendou à prefeita do Município que suspenda, em razão da pandemia de Covid-19, todos os eventos públicos em que participem mais de 05 pessoas em ambientes fechados ou 10 pessoas em ambientes abertos (inclusive eventos festivos, inaugurações, ações diversas, assinaturas de ordens de serviço, dentre outros).

Viagens

A Promotoria de Justiça também recomendou que sejam suspensas as viagens a serviço de servidores municipais, pelo período de 30 dias, ressalvadas situações de extrema urgência. Além disso, orientou que o Município não autorize e não permita a realização de eventos privados que gerem aglomeração de pessoas, ainda que em ambientes abertos. De acordo com o MP, o descumprimento da recomendação ensejará na responsabilização dos infratores, com a promoção das medidas cabíveis, notadamente a apuração da prática de atos de improbidade administrativa, com o consequente ajuizamento da ação pertinente.

Saúde

Do ex-deputado Márcio Macêdo, pré-candidato do PT a PMA: "Eu nunca precisei de muletas, tenho o meu nome testado. Mas eu tenho muito orgulho do que o PT criou, e eu fiz parte dos governos de Déda e de Lula. E se eu estivesse à frente da Prefeitura, eu faria UTIs, compraria respiradores, faria o projeto de renda básica, faria ampla testagem. Eu vi o que Déda e o Senador Rogerio Carvalho fizeram pela saúde em Aracaju. Os hospitais municipais, as unidades básicas de saúde, as equipes de saúde básica, uma estrutura que beneficiava a população. Gestor bom é quem prioriza a saúde, e o atual prefeito não é bom gestor".

Não desistiu

O ex-deputado Valadares Filho (PSB) garante que não desistiu da disputa pela Prefeitura de Aracaju, como foi noticiado no final de semana. Independente de alianças com outros partidos. Valadares foi candidato a prefeito em 2012 e 2016 e ao governo em 2018.

Shoppings

O governador Belivaldo Chagas confirmou que os shoppings deverão voltar a funcionar, com restrições, a partir do próximo sábado. A reunião do Comitê Gestor de Retomada Econômica (Cogere) está marcada para a quarta-feira.  "Convidarei um representante dos shoppings para detalhar o que é necessário para isso, com atenção especial com a praça de alimentação, restaurantes e com os protocolos que deverão ser cumpridos nesse processo de reabertura. Também já conversei com o prefeito Edvaldo Nogueira para, caso o Comitê decida sobre o funcionamento dos shoppings, a frota dos ônibus passe a funcionar em 100% para tentar evitar aglomeração no transporte público", disse o governador.

Por etapas

Belivaldo explicou, mais uma vez, que as decisões serão por etapas. "Essa semana resolveremos a questão dos shoppings e, provavelmente, bares e restaurantes na próxima semana. Mas, internamente, já começamos a discussão, também, sobre as possibilidades de retorno às aulas, que poderá acontecer até o final do ano. Há muitas questões que precisamos debater, principalmente porque sabemos que há uma complexidade maior com relação à rede pública, que abrange um público amplo e diversificado de pessoas, há, por exemplo, muitos alunos que moram na zona rural e dependem do transporte escolar, tudo isso precisa ser avaliado. Já quanto aos cinemas, shows e eventos, essa discussão vai ser mais para frente".

Escolas

Após cerca de quatro meses com as aulas suspensas, estados começam a sinalizar a volta às aulas presenciais nas escolas. De um lado, melhor equipadas, de maneira geral, que as escolas públicas, as escolas particulares defendem que estão prontas para uma retomada com segurança. Do outro, há professores e funcionários que não se sentem seguros com o retorno e dizem que a permanência nas salas de aula e uma maior circulação de pessoas nas cidades podem aumentar os casos de infecção pelo novo coronavírus.

Estado

De acordo com o Mapa de Retorno das Atividades Educacionais presencial no Brasil, elaborado diariamente pela Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), até sexta-feira (31), havia, no país, um estado com a reabertura autorizada das escolas, Amazonas. Outros nove estados e o Distrito Federal têm propostas de data para retornar às atividades presenciais. São eles: Acre, Pará, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Alagoas, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. No Rio de Janeiro, na capital, a prefeitura autorizou o retorno facultativo para algumas séries este mês. As demais unidades da federação estão sem data definida.

Com agências

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS