Servidores federais cobram valorização da carreira

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/03/2013 às 15:03:00

 Kátia Azevedo

Técnicos-administrativos de unidades de educação federal realizaram ontem o Dia Nacional de Luta em Defesa e Pela Valorização da Carreira. Em Sergipe, a data foi marcada com um café da manhã no hall da Reitoria da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

A manifestação foi convocada pela Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnicos-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra) com o objetivo de obter um posicionamento da administração da universidade sobre o cumprimento integral do acordo de greve, diante da ameaça do governo federal de quebra de paridade entre ativos e aposentados

A mobilização, que aconteceu em todo o país, teve grande adesão de servidores públicos federais com participação dos sindicatos de base que realizaram ato público na reitoria da universidade.
Segundo a categoria, o governo pretende excluir os aposentados das concessões previstas referentes a progressão por capacitação e incentivo a qualificação.

A presidente do Sindicato dos Servidores Técnico-Administrativo da UFS (Sintufs), Edjanária Borges, não descarta novas mobilizações. "A categoria vai insistir na defesa dos direitos dos servidores aposentados, que ao contrário do governo, entendemos que os inativos têm direito a incentivos. Defendemos a valorização da carreira", informa.

Além da manifestação, a categoria realizou mobilização virtual, com envio de e-mails para deputados estaduais, federais e senadores, para a Presidência da República, Superior Tribunal Federal, Câmara dos Deputados e Senado Federal. O objetivo da ação é alertar as autoridades para o risco de não cumprimento integral do acordo de greve fechado entre o Governo e a categoria.

A mobilização também foi organizada para denunciar e fortalecer a luta contra a implantação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH e em defesa dos Hospitais Universitários. O ato foi uma decisão aprovada pelos servidores durante a última Plenária Nacional da Fasubra realizada entre os dias 8 e 10 de março, em Brasília.

Também ontem, em Brasília, houve uma reunião entre a Fasubra e representantes do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para discutir a questão. No dia 24, haverá a Marcha Nacional a Brasília. A ação é organizada pelo Fórum dos Trabalhadores do Serviço Público Federal, centrais sindicais e movimentos populares e tem por meta defender direitos sociais e trabalhistas, além de denunciar as consequências da política econômica do Governo Federal.