Denarc apreende 50 quilos de cocaína e santinhos de candidato

Geral


  • Drogas apreendidas numa casa usada como depósito

 

A Polícia Civil confirmou 
ontem a apreensão 
de mais de 50 quilos de cocaína, que estava acompanhado de uma grande quantidade de material de campanha eleitoral. Foi durante uma operação de combate ao tráfico de drogas, na tarde desta sexta-feira. O material estava no quarto de uma casa no bairro José Conrado de Araújo (zona oeste da capital). 
Segundo o Departamento de Narcóticos (Denarc), investigações iniciadas há poucos dias, após o recebimento de uma informação pelo Disque-Denúncia (181), possibilitaram a descoberta de uma residência utilizada para estocagem de grande quantidade de cocaína em Aracaju. A moradia era usada para receber carregamentos de narcóticos de outros estados e, a partir daquele ponto, os entorpecentes eram distribuídos para traficantes da Grande Aracaju.
Ninguém foi encontrado no local, mas os policiais acharam cerca de 50 quilos de cocaína, divididos em tabletes. Também foram apreendidos 6,5 quilos de maconha, seis balanças digitais usadas para pesagem dos entorpecentes, 38 munições de diversos calibres, 250 seringas intactas, uma pistola de airsoft, documentos e produtos provenientes de roubos. Ainda foram recolhidos milhares de santinhos de um candidato a vereador da capital sergipana, produzido com resmas de papel-ofício. O nome do candidato não foi divulgado. 
Estima-se que o material ilícito apreendido na operação do Denarc esteja avaliado em cerca de R$ 1 milhão. As drogas apreendidas já foram examinadas pelo Núcleo de Inteligência e Apoio à Atividade Policial do Instituto de Identificação, na sede do Denarc.Os investigadores identificaram, em cada tablete da droga, uma imagem de bicicleta em baixo relevo, apontando uma possível marca. O material encontrado será devidamente periciado pelos setores da Coordenadoria Geral de Perícias.
As investigações prosseguem para identificação de todos envolvidos. O delegado Osvaldo Rezende, do Denarc, informou que, além do inquérito da Polícia Civil, o caso já foi comunicado à Polícia Federal e ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), para que seja apurada qual a relação existente entre o candidato citado no material de campanha e as drogas apreendidas. 

A Polícia Civil confirmou  ontem a apreensão  de mais de 50 quilos de cocaína, que estava acompanhado de uma grande quantidade de material de campanha eleitoral. Foi durante uma operação de combate ao tráfico de drogas, na tarde desta sexta-feira. O material estava no quarto de uma casa no bairro José Conrado de Araújo (zona oeste da capital). 
Segundo o Departamento de Narcóticos (Denarc), investigações iniciadas há poucos dias, após o recebimento de uma informação pelo Disque-Denúncia (181), possibilitaram a descoberta de uma residência utilizada para estocagem de grande quantidade de cocaína em Aracaju. A moradia era usada para receber carregamentos de narcóticos de outros estados e, a partir daquele ponto, os entorpecentes eram distribuídos para traficantes da Grande Aracaju.
Ninguém foi encontrado no local, mas os policiais acharam cerca de 50 quilos de cocaína, divididos em tabletes. Também foram apreendidos 6,5 quilos de maconha, seis balanças digitais usadas para pesagem dos entorpecentes, 38 munições de diversos calibres, 250 seringas intactas, uma pistola de airsoft, documentos e produtos provenientes de roubos. Ainda foram recolhidos milhares de santinhos de um candidato a vereador da capital sergipana, produzido com resmas de papel-ofício. O nome do candidato não foi divulgado. 
Estima-se que o material ilícito apreendido na operação do Denarc esteja avaliado em cerca de R$ 1 milhão. As drogas apreendidas já foram examinadas pelo Núcleo de Inteligência e Apoio à Atividade Policial do Instituto de Identificação, na sede do Denarc.Os investigadores identificaram, em cada tablete da droga, uma imagem de bicicleta em baixo relevo, apontando uma possível marca. O material encontrado será devidamente periciado pelos setores da Coordenadoria Geral de Perícias.
As investigações prosseguem para identificação de todos envolvidos. O delegado Osvaldo Rezende, do Denarc, informou que, além do inquérito da Polícia Civil, o caso já foi comunicado à Polícia Federal e ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), para que seja apurada qual a relação existente entre o candidato citado no material de campanha e as drogas apreendidas. 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS