Avenida Tancredo Neves é a campeã em acidentes

Geral


  • Somente este ano já foram registrados 250 acidentes na avenida

 

Dados da Superin
tendência Munici
pal de Transporte e Trânsito (SMTT), e da Polícia Militar do Estado de Sergipe, através da Companhia de Polícia de Trânsito (CPTran), indicam que a Avenida Tancredo Neves permanece sendo a via expressa em Aracaju com maior índice de vulnerabilidade para pedestres, motoristas e motociclistas. Somente até o início da tarde de ontem foram registrados 73 acidentes envolvendo vítimas com ferimentos, e quatro óbitos. Sobre as principais causas, os agentes militares identificaram que o desrespeito à velocidade máxima, o uso de aparelhos telefônicos para realizar ligações ou enviar mensagens de texto, bem como o uso de bebidas alcoólicas estão entre os principais fatores responsáveis pelos acidentes. 
Por ser a principal via que dá acesso à entrada e saída de Aracaju através das rodovias federais BR 101 e 235, bem como por ser a principal rota de acesso ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), o Major Aldevan Silveira, comandante da CPTran, acredita que esses números elevados devem permanecer pelos próximos anos se comparado com as demais avenidas da capital sergipana. "Essa situação só mudará caso os condutores automotivos passem a multiplicar os cuidados ao dirigir um veículo, e respeitem tudo aquilo que determina o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Se isso não ocorrer, por mais que ações educativas e de fiscalização sejam realizadas, esses números negativos permanecerão ocorrendo, infelizmente", avaliou. 
Os números que envolvem acidentes sem ferimentos, neste ano de 2020, ultrapassam a casa dos 250. Estatística alarmante, uma vez que restam ainda 42 dias para encerrar o ano, mas bem abaixo do registrado nos anos de 2018 e 2019. Há dois anos, por exemplo, o Núcleo de Estatística da SMTT contabilizou 407 sinistros. A redução, segundo o comandante da CPTran, é notável em decorrência do isolamento social respeitado por milhares de famílias aracajuanas, em especial, entre a segunda quinzena de março e a primeira quinzena de agosto. Como a pandemia provocada pelo novo coronavírus permanece contribuindo para que trabalhadores permaneçam produzindo de casa, a expectativa para esse ano é que os números permaneçam bem abaixo do registrado nos últimos cinco anos. 

Dados da Superin tendência Munici pal de Transporte e Trânsito (SMTT), e da Polícia Militar do Estado de Sergipe, através da Companhia de Polícia de Trânsito (CPTran), indicam que a Avenida Tancredo Neves permanece sendo a via expressa em Aracaju com maior índice de vulnerabilidade para pedestres, motoristas e motociclistas. Somente até o início da tarde de ontem foram registrados 73 acidentes envolvendo vítimas com ferimentos, e quatro óbitos. Sobre as principais causas, os agentes militares identificaram que o desrespeito à velocidade máxima, o uso de aparelhos telefônicos para realizar ligações ou enviar mensagens de texto, bem como o uso de bebidas alcoólicas estão entre os principais fatores responsáveis pelos acidentes. 
Por ser a principal via que dá acesso à entrada e saída de Aracaju através das rodovias federais BR 101 e 235, bem como por ser a principal rota de acesso ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), o Major Aldevan Silveira, comandante da CPTran, acredita que esses números elevados devem permanecer pelos próximos anos se comparado com as demais avenidas da capital sergipana. "Essa situação só mudará caso os condutores automotivos passem a multiplicar os cuidados ao dirigir um veículo, e respeitem tudo aquilo que determina o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Se isso não ocorrer, por mais que ações educativas e de fiscalização sejam realizadas, esses números negativos permanecerão ocorrendo, infelizmente", avaliou. 
Os números que envolvem acidentes sem ferimentos, neste ano de 2020, ultrapassam a casa dos 250. Estatística alarmante, uma vez que restam ainda 42 dias para encerrar o ano, mas bem abaixo do registrado nos anos de 2018 e 2019. Há dois anos, por exemplo, o Núcleo de Estatística da SMTT contabilizou 407 sinistros. A redução, segundo o comandante da CPTran, é notável em decorrência do isolamento social respeitado por milhares de famílias aracajuanas, em especial, entre a segunda quinzena de março e a primeira quinzena de agosto. Como a pandemia provocada pelo novo coronavírus permanece contribuindo para que trabalhadores permaneçam produzindo de casa, a expectativa para esse ano é que os números permaneçam bem abaixo do registrado nos últimos cinco anos. 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS