Yazaki não fecha fábrica em Socorro, mas avalia impactos do fim da Ford

Geral


  • Reunião do prefeito de Socorro com representantes da Yazaki

  • EMPRESA FABRICA COMPONENTES ELÉTRICOS PARA CARROS DA FORD

 

A notícia do encerramento das atividades da montadora americana Ford no Brasil, após mais de 100 anos de história, despertou preocupação também em Sergipe, por causa do fechamento da fábrica da Ford em Camaçari (BA), principal montadora dos carros populares da marca. Uma das fornecedoras da unidade baiana é a japonesa Yazaki, que mantém desde 2015 uma fábrica em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). A unidade produz peças elétricas e eletrônicas para carros e motos, como cabos, chicotes elétricos, ignições e outros materiais.
A Yazaki divulgou nota na terça-feira, lamentando a decisão da Ford e confirmando que 20% da produção de Socorro era comprada pela montadora. A informação deu início a uma série de rumores e preocupações entre empresários do Estado, gestores políticos e, principalmente, entre os cerca de 3 mil empregados, que temem a ocorrência de demissões ou mesmo o fechamento da fábrica. 
Ontem, o prefeito de Socorro, Padre Inaldo Luiz, fez uma reunião, por teleconferência, com o presidente da Yazaki no Mercosul, Lázaro Figueiredo, e o diretor de Recursos Humanos no Mercosul, Jair Pontes. Também participaram da reunião o gerente de fábrica Thomas Otto e o gerente de Recursos Humanos da planta Socorro, Jorge Rodrigues; além do secretário de Indústria e Comércio, Luiz Carlos, e do vereador Elmo Paixão. 
Ainda segundo Padre Inaldo, a diretoria da empresa ressaltou que não trabalha apenas com a Ford, mas com outras marcas, como a Fiat, que mantém uma unidade em Goiana (PE). "A Yazaki é uma empresa grande, que trabalha com estratégia. Se perderam um cliente, com certeza, vão buscar outro para substituí-lo. Deixei claro que a Prefeitura de Socorro está à disposição, dentro da permissão legal, para ajudá-los nesse processo. O nosso desejo é que nenhum trabalhador seja afetado", disse o prefeito.

A notícia do encerramento das atividades da montadora americana Ford no Brasil, após mais de 100 anos de história, despertou preocupação também em Sergipe, por causa do fechamento da fábrica da Ford em Camaçari (BA), principal montadora dos carros populares da marca. Uma das fornecedoras da unidade baiana é a japonesa Yazaki, que mantém desde 2015 uma fábrica em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). A unidade produz peças elétricas e eletrônicas para carros e motos, como cabos, chicotes elétricos, ignições e outros materiais.
A Yazaki divulgou nota na terça-feira, lamentando a decisão da Ford e confirmando que 20% da produção de Socorro era comprada pela montadora. A informação deu início a uma série de rumores e preocupações entre empresários do Estado, gestores políticos e, principalmente, entre os cerca de 3 mil empregados, que temem a ocorrência de demissões ou mesmo o fechamento da fábrica. 
Ontem, o prefeito de Socorro, Padre Inaldo Luiz, fez uma reunião, por teleconferência, com o presidente da Yazaki no Mercosul, Lázaro Figueiredo, e o diretor de Recursos Humanos no Mercosul, Jair Pontes. Também participaram da reunião o gerente de fábrica Thomas Otto e o gerente de Recursos Humanos da planta Socorro, Jorge Rodrigues; além do secretário de Indústria e Comércio, Luiz Carlos, e do vereador Elmo Paixão. 
Ainda segundo Padre Inaldo, a diretoria da empresa ressaltou que não trabalha apenas com a Ford, mas com outras marcas, como a Fiat, que mantém uma unidade em Goiana (PE). "A Yazaki é uma empresa grande, que trabalha com estratégia. Se perderam um cliente, com certeza, vão buscar outro para substituí-lo. Deixei claro que a Prefeitura de Socorro está à disposição, dentro da permissão legal, para ajudá-los nesse processo. O nosso desejo é que nenhum trabalhador seja afetado", disse o prefeito.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS