Sintese é notificado pela justiça

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/06/2012 às 21:51:00

Kátia Azevedo
katiaazevedo@jornaldodiase.com.br

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Sergipe (SINTESE) recebeu na manhã de ontem, 11, a notificação sobre a decisão judicial que concedeu liminar ao governo considerando a greve ilegal.
Os professores decidem nesta terça-feira em assembleia geral a partir das 9h, no Instituto Histórico e Geográfico, os novos rumos da greve, que já dura quase dois meses. A programação aprovada na última assembleia está mantida. Ontem à tarde, os educadores fizeram vigília na Assembleia Legislativa pedindo apoio dos parlamentares para que só aprovem a proposta salarial com o reajuste de  22,22% pleiteado pela categoria.
Também nesta terça-feira a categoria realiza a partir das 10h pelas ruas do centro de Aracaju o cortejo fúnebre do Governo. Em seguida, a categoria fará o enterro simbólico do governo na Praça Fausto.

Decisão política - Sobre a notificação, a  presidente do  Sintese, Ângela Maria de Melo, informou que não será o governador Marcelo Déda quem definirá o fim da greve, mas a categoria.  Ao assinar a notificação da Justiça dando conta da ilegalidade da greve, a sindicalista também criticou a postura do judiciário diante da mobilização dos trabalhadores. "Tenho colocado que a Justiça em Sergipe toma decisões muito mais políticas do que jurídicas. Espero que um dia a Justiça de Sergipe tenha a autonomia e a liberdade que hoje tem o Supremo Tribunal Federal. Nós acalentamos esse sonho e quem sabe nós vamos conseguir que em Sergipe as decisões não sejam políticas".
Em nota, o Sintese divulgou posicionamento sobre a situação da atual greve da categoria e criticou a ameaça corte de ponto. Para os professores, o Governo do Estado vem adotando tom ameaçador com o intuito de intimidar a categoria e pressioná-la a voltar para sala de aula antes do término da greve.