Cinco segundos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Poderia ser apenas mais uma historinha de casa mal assombrada
Poderia ser apenas mais uma historinha de casa mal assombrada

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 03/05/2013 às 11:24:00

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br

Quando não há janela, derrubamos as paredes.
O impulso realizador de Marlon Delano pode ser tomado como um sintoma da disposição que anima a cena audiovisual em nossos dias. Vida Social, "distribuído" via Youtube, chamou a atenção de gregos e troianos. Nem todo mundo gostou. O apelo panfletário e um inadvertido tom publicitário incomodou alguns críticos. O mais importante, no entanto, é que um bocado de gente viu. O trabalho gerou discussão. Bastou a coragem de um clique para o diretor meter o bedelho onde não foi chamado e falar ao mundo. Bonito.

Esta semana, Marlon repete a dose com Os gritos da rua Barão. Poderia ser apenas mais uma historinha de casa mal assombrada, obediente aos truísmos do gênero. Em certa medida, é apenas isso mesmo. Suas maiores virtudes são técnicas. Mas os poucos passos do protagonista interpretado pelo ator Samir Tuffy na Barão de Maruim ecoam no imaginário do lugar.

Dificuldades existem - O silêncio da prefeitura Municipal de Aracaju em relação ao destino pretendido para o Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira não nos deixa mentir -, mas o apetite por paisagens, feições, sotaques e discursos engendrados por uma nova geração de realizadores talvez acabe com o fastio ostentado por certa intelligentsia.

Falo por mim, um velho expatriado para quem o banzo é como um parasita. Cinco segundos num passeio gasto pelas havaianas de todo dia fazem meu coração saltar.
Os gritos da rua Barão estreia amanhã. Para conhecer o curta-metragem, basta acessar o canal do diretor: www.youtube.com/marlondelanoav