Odontologia hospitalar: uma questão de saúde pública

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/06/2012 às 14:26:00

Sergipe é o quinto Estado do Nordeste a criar um Departamento de Odontologia para atuar no ambiente hospitalar. A iniciativa da Sociedade de Terapia Intensiva (Sotise) tem como objetivo garantir tratamento dentário a pacientes hospitalizados. A unidade vai ser presidida pelo cirurgião-dentista José Augusto Santos Silva, que será empossado hoje  na sede do Conselho Regional de Odontologia de Sergipe.
A boca é uma das portas de entrada para infecções, principalmente a respiratória. Se não estiver limpa, facilita a proliferação das bactérias. Se não tratadas, elas podem comprometer o quadro clínico do paciente, especialmente dos entubados, além de atrasar o processo de alta. É o que explica José Augusto Santos, coordenador de cursos do Conselho Regional de Odontologia de Sergipe (CRO-SE).
UTI - A situação é ainda mais grave nas Unidades de Terapia Intensiva, onde a falta de higienização bucal pode causar até pneumonia ao paciente, doença responsável por 30% das mortes nesse ambiente hospitalar. O cirurgião-dentista assume o Departamento com a missão de mostrar que a Odontologia Intensiva veio para renovar conceitos e servir de instrumento facilitador de qualidade de vida para o paciente crítico. "Os objetivos são vários, mas o principal trata da emergente e necessária inclusão dos cuidados odontológicos nas Unidades de Terapia Intensiva", destaca José Augusto.
 nome de José Augusto Santos Silva foi indicado para a presidência do Departamento de Odontologia da Sotise pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB). "Vamos buscar novos membros para o Departamento divulgando ações já em andamento pela AMIB e criando outras pela nossa sociedade", disse José Augusto, ao ressaltar ainda que um importante foco este ano é a realização de um curso de capacitação de instrutores em Odontologia Intensivista para que possam auxiliar na abordagem junto às equipes intensivista.