Angélica pede reabertura de prazo para adesão às Fundações

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A deputada Angélica Guimarães
A deputada Angélica Guimarães

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/05/2013 às 03:14:00

 A presidente da Assembleia Legislativa, deputada estadual Angélica Guimarães (PSC), motivada pelo fato de o governo do Estado não entregar um plano de cargos e salários para os servidores da Saúde de Sergipe, requereu ontem a reabertura do prazo para os profissionais que têm interesse em aderir às Fundações de Saúde. Angélica ressaltou que esta é uma propositura que ela faz em conjunto com o também deputado Francisco Gualberto (PT).

Ao iniciar seu pronunciamento, Angélica Guimarães disse que "eu quero solicitar que o Estado abra um novo prazo para as adesões às fundações para os servidores da Saúde que não o fizeram á época. Isso vale para médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, dentre outros. Muitos não aderiram por medo, por imaginar que o plano de cargos e salários viria logo em seguida".

Em seguida, Angélica disse que a luta pelo envio do Plano de Cargos é antiga e que pelo não envio encontrou como alternativa a abertura de um prazo para os profissionais interessados aderirem às Fundações. "Não temos, por exemplo, anestesistas trabalhando no Crase. Estão faltando especialistas em várias áreas no Hospital João Alves e, como existia a dúvida na época, esses profissionais ficaram de fora".

Por fim, Angélica Guimarães disse que não existe política salarial para quem não aderiu às Fundações. "O certo era o governo enviar um plano de cargos e salários. Buscar a isonomia salarial. Temos médicos recebendo R$ 1,5 mil com mais de 30 anos de trabalho; os estatutários das Fundações recebem R$ 4 mil; os Celetistas recebem R$ 6 mil e os contratados em torno de R$ 10 mil. Muitos médicos querem aderir agora. Isso vai ser bom para a categoria, para o governo e melhor ainda para a sociedade que terá mais opções", explicou.