JB quer transferir aposentados para poderes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador em exercício Jackson Barreto e o procurador Orlando Rochadel
O governador em exercício Jackson Barreto e o procurador Orlando Rochadel

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/06/2013 às 03:00:00

O governador em exercício, Jackson Barreto, reuniu-se ontem com o procurador-geral do Ministério Público Estadual (MPE), Orlando Rochadel, para debater o déficit previdenciário da folha de pagamento do Executivo. O MPE foi a primeira Instituição a tomar conhecimento da reivindicação dos trabalhadores da administração estadual que reivindicam que cada instituição (MPE, Tribunal de Contas do Estado) e os poderes Legislativo e Judiciário assumam o pagamento da folha dos seus respectivos aposentados. Jackson se comprometeu, em audiência com Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Oficial do Estado de Sergipe (Sintese), realizada no último sábado, 8, realizar essas conversas.
"Fomos muito bem recebidos pelo Ministério Público Estadual, que é uma instituição séria e comprometida com o estado de Sergipe", diz Jackson Barreto, que estava acompanhado dos secretários de Estado do Planejamento, Jefferson Passos, e o interino da Fazenda, Oliveira Júnior .

Com uma folha de pagamento duas vezes superior à receita corrente líquida, o Executivo estuda forma de enxugar o déficit previdenciário, que este ano chegará a R$ 706 milhões.
"Nosso objetivo foi aprofundar o diálogo com a instituição que tem grande responsabilidade no estado de Sergipe, como é o Ministério Público. Mostramos a evolução do orçamento do Estado, a questão financeira e as dificuldades que derivam da ampliação dos gastos com a Previdência. É uma forma de pedir o apoio para conseguir soluções para essas dificuldades que atualmente nos defrontamos. Transmitimos a reivindicação dos sindicatos. O governador em exercício se comprometeu em expor a situação aos poderes e começamos com esta reunião. Trata-se de um assunto complexo, que exige considerações de ordem legal e técnica, e esse encontro foi o início desse debate", declara Oliveira Júnior.

O procurador geral do Ministério Público Estadual, Orlando Rochadel, informou que o órgão está disposto a contribuir com o Governo do Estado. "O MPE não se furtará de participar desse movimento de adequação fiscal. Essa visita do governador em exercício é muito bem-vinda porque é uma visita de gestores preocupados com nosso Estado. Vamos estudar o impacto financeiro do retorno do aporte previdenciário para nossa Instituição", afirma.