Don't believe the hype

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Rock de verdade
Rock de verdade

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/06/2013 às 12:14:00

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br

Já haviam me recomendado o trabalho da Casa Forte. Eu fiz cara de paisagem. As novidades de nosso tempo cheiram a naftalina. Tem um bocado de gente engolindo Fanta Uva como se fosse a última Coca-Cola do deserto. A crença no hype, o mal do século, transborda em tênis coloridos e riffs aguados. Música que é bom anda em falta no mercado.

Eu fiz cara de paisagem e caí do cavalo. Esta semana, por força do ofício, venci os melhores conselhos de meus pré-conceitos e me dispus a visitar a página da banda no SoundCloud. A fórmula não é nova, rock mesclado às diversas vertentes do mesmo gênero, mas os caras dão conta do recado.

Esta semana eles se apresentam na Casa Rua da Cultura, junto às bandas Lêmures e Urublues, que depois de um tempo parada voltou com a corda toda e toca quase todo fim de semana, pra alegria de quem curte um blues rasgado. Uma excelente oportunidade pra quem ainda não conferiu o trabalho da Casa Forte de frente pro crime, na vera, valendo.
Música de verdade, em carne e osso, é coisa rara em nossos dias.

Casa Forte - A formação original, quando a banda ainda se apresentava no formato de Power Trio, contava com egressos do harcore local: Erik "Frog" e Roque Souza da Rótulo e Bruno Petoh da Nucleador. A proposta, no entanto, era a mesma. A Casa Forte se propõe a fazer rock instrumental com influência de samba rock, funk, soul, blues e jazz.
Em 2012, um novo membro chega para reforçar o time, o guitarrista Jão Alberto, da banda de rock progressivo Penny Mocks, também de Aracaju, improvisou na Percussão e levou um pouco de suingue para a mistura musical da Casa Forte

A banda já lançou um EP virtual com 2 músicas (funk espacial e Rock ensina algo) e participou de eventos de música instrumental como por exemplo o Festival Mangaba Instrumental, ao lado de bandas locais como Ferraro Trio e Coutto Orquestra, além da baiana Vendo 147 e, mais recentemente, o Circuito Sesc de Música.

Desconcerto na Casa Rua da Cultura
Sexta-feira, 14 de junho, às 22 horas