Perigo nas BRs

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Manifestação em Itabaiana
Manifestação em Itabaiana

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/06/2013 às 12:23:00

Em menos de uma semana, Sergipe assistiu a dois protestos de moradores revoltados com a falta de segurança para pedestres nas rodovias federais do Estado. O primeiro ocorreu no sábado (8), após o atropelamento de uma estudante de 16 anos. A comunidade do Povoado Pau Ferro, em Maruim, cansada de ver tragédias envolvendo os moradores da região, impediu o tráfego de veículos na rodovia por 17 horas, montando barricadas com galhos de árvores, móveis velhos, pedras e pneus usados.

Em Itabaiana, na BR 235, nas imediações do Bairro Campo Grande, uma senhora também foi atropelada ao tentar atravessar a via de bicicleta. O caso aconteceu na quarta-feira (11) e revoltou a população, que ateou fogo em pneus, galhos secos, placas de sinalização e carcaças de veículos. Os moradores dizem que os acidentes naquele trecho são constantes, principalmente depois da ampliação do número de vias na região.

Em ambos os casos, a comunidade solicita que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) melhore a sinalização da estrada, com a colocação de redutores de velocidades, radares e passarelas, que garantirão mais tranquilidade para quem mora próximo à rodovia e necessita atravessar a pista com frequência. E os moradores têm toda a razão, pois o conforto da ampliação das vias não pode, de forma alguma, prejudicar a segurança deles.

Também não deve haver críticas quanto às manifestações. Se os moradores não se manifestarem, não brigarem e cobrarem o direito deles, vão continuar assistindo amigos e parentes irem embora por imprudência de motoristas e falta de segurança. Já não bastasse o alto número de acidentes envolvendo veículos, agora os atropelamentos também farão parte do dia a dia deles.

Não dá para viver tranquilo sabendo do risco que se corre ao apenas atravessar a rua. As obras de infraestrutura devem vim para melhorar, em todos os sentidos. Tanto o tráfego de veículos e a escoação da produção agrícola - sem dúvida, a duplicação e o aumento das vias favorecem nesse sentido -, quanto o bem estar dos moradores da região. Obra boa é aquela que não causa prejuízos, mas sim progressos.

A RESPOSTA I
"Devemos debater a Saúde de forma técnica e sem exageros". Foi assim que se manifestou o deputado federal e presidente do PT em Sergipe, Rogério Carvalho, em relação às afirmações do deputado federal Mendonça Prado (DEM), ditas em emissoras de rádio e pelo Twitter. O parlamentar alegou não ter ofendido a honra pessoal de ninguém (nem do prefeito João Alves, nem da secretária de Saúde Goretti Reis), apenas questionado a implantação das O.S. Ele diz que a atual gestão não apresentou nenhuma política de saúde, a não ser essa, e que o debate que ele propõe é sobre esse projeto.

A RESPOSTA II
Rogério Carvalho disse ainda que está à disposição para debater com os adversários políticos sobre qualquer tema, principalmente a Saúde, com um foco técnico, sem exageros, e argumenta que não entendeu a reação de Mendonça Prado em "agredi-lo gratuitamente por um questionamento que fez". "Os cidadãos querem um debate autentico, de alto nível, e principalmente que se esclareça os fatos. Caso o prefeito e a secretária, secretário adjunto queiram, nessas condições, estou a disposição", comentou.
AUXÍLIO I    
Produtores rurais que se dedicam à pecuária leiteira em quatro municípios sergipanos passarão a contar com um importante auxílio para desenvolver a atividade. Eles serão beneficiados pelo projeto Balde Cheio, uma iniciativa desenvolvida pelo Sebrae em Sergipe, que busca viabilizar economicamente as pequenas unidades produtoras de leite, incorporando novas tecnologias, reduzindo custos e elevando a produtividade por área e animal.

AUXÍLIO II
A parceria foi firmada com Riachão do Dantas, Boquim, Itabaianinha e Lagarto durante o XI Encontro Nordestino do Setor de Leite e Derivados (Enel), em Parnamirim (RN). Pelo acordo, serão instaladas unidades demonstrativas para aplicação da metodologia do programa em cada uma das cidades. Inicialmente, a iniciativa beneficiará 100 produtores rurais. A metodologia do projeto foi desenvolvida pela Embrapa, do Sudeste, e realizada em Sergipe com o apoio da Cohidro. O modelo já beneficiou produtores do Perímetro Irrigado do Jabiberi, em Tobias Barreto.